Resenha: "O Jardim das Palavras" de Makoto Shinkai e Midori Motobashi

O Jardim das Palavras, Makoto Shinkai e Midori Motobashi, São Paulo: NewPop, 2016, 200 pág.
Tradução: Sayuri Tanamate
COMPRAR: Amazon

Saudações Leitores!
O título original desse mangá é: Kotonoha no Niwa e é baseado num filme/animação de Makoto Shinkai com o mesmo nome lançado em 2013. Então, Midori Motobashi criou a arte e assim surgiu o mangá que hoje venho apresentar para vocês.

Ainda não assisti o filme/animação, portanto não vou falar a cerca dele, mas confesso que esperei mais de O Jardim das Palavras, mas mesmo não sendo bem o que eu esperava o mangá não chegou a me decepcionar. É perceptível que temos um mangá shoujo, com temas adolescentes e um personagem no colegial chamado Takao Akizuki.
O enredo é basicamente os encontros que Takao tem com uma mulher misteriosa - e mais velha - em um jardim todas as vezes em que chove. Na primeira chuva o encontro foi inesperado, mas posteriormente ficou quase combinado que nos dias de chuva eles se encontrariam no jardim.

Os dois começam um relacionamento de amizade, falando sobre os projetos de Takao que quer ser um designer e sapateiro, aparentemente a mulher misteriosa tem alguma espécie de problemas nos pés e alguns segredos que posteriormente descobrimos e que vão fazer com que Takao se sinta enganado e descubra que está apaixonado por essa misteriosa mulher. A mulher, por ser mais velha e ter problemas pessoais não consegue aceitar o amor de Takao, mas o mangá nos dá a impressão de que ela sente o mesmo pelo jovem.
Aparentemente O Jardim das Palavras traz alguns temas bem profundos como bullying, fofocas prejudiciais, responsabilidades e acredito que um conceito de pedofilia (a mulher é bem mais velha que Takao e o rapaz está no colegial deve ter no máximo 16 anos, então...), mas é tudo muito superficial, nada foi muito profundo, mas mesmo sem profundidade a história consegue ser fofa de alguma forma, pois podemos ver a delicadeza de todos os envolvidos e as situações que cada um passa.

Gostei quando estava lendo o mangá, mas não se tornou um dos meus favoritos, acho que vale a leitura por ser uma leitura fofa, leve e rápida, mas não tem muita profundidade, mesmo assim, acreditem: estou louca para assistir ao filme que já andei pesquisando e parece ter apenas 45 minutos.
O Jardim das Palavras mesmo não sendo um dos melhores mangás que já li tem seu carisma e não posso deixar de indicar, acredito que quem curte Mangás vai, sim, gostar de ler mais um e esse é realmente fofo, além disso o traço de Midori Motobashi é tão delicado e fofo que vale a pena conferir seu trabalho.


0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!