Resenha: “A Hospedeira” de Stephenie Meyer

Saudações Leitores!
Faz algum tempo que li esse livro e já tinha essa resenha guardada, então como esse livro foi minha indicação do mês resolvi postar a resenha dele, espero que gostem e sintam-se motivados a conhecerem a história. Eu achei-a fascinante!


A Hospedeira, Stephenie Meyer, Rio de Janeiro: Intrínseca, 2009, (tradução de Renato Aguiar), 560 pág.
 
      A Hospedeira (The Host) foi lançado em 6 de maio de 2008, sua autora é Stephenie Meyer, conhecida por ser a criadora da saga Twilight com os livros: Crepúsculo, Lua Nova, Eclipse, Amanhecer. Meyer já ganhou muitos prêmios por seus livros e é considerada uma das escritoras mais promissoras da atualidade.
      Nesta obra de ficção científica Meyer aborda uma superinvasão alienígena, onde o mundo foi tomado por esses seres vindos de outros planetas, eles são como parasitas, tomam os corpos das pessoas, que se tornam seus hospedeiros, e apagam suas mentes. Neste ínterim, apesar de a maioria das pessoas terem sido capturadas e, conseqüentemente, se tornado hospedeiras, existem paralelamente grupos de seres humanos resistentes, ou seja, que conseguiram fugir e se esconder.
      Entre o grupo de resistentes estava Melanie Stryder, mas ela foi pegue ao tentar escapar da investida dos Buscadores. A alma que foi posta em seu corpo é Peregrina. Toda via Melanie se recusa a deixar-se sucumbir, deixar sua memória ser possuída e Peregrina fica perturbada com esse fato. Como pode uma alma tão experiente como ela não conseguir domar sua hospedeira? Peregrina começa a ter acesso a memória de Melanie, mas não completamente há paredões que lhe impedem de ver. Porém ela sabe da existência de Jamie e Jared e reconhece que Melanie os ama. Peregrina começa a se envolver com essas memórias tão arrebatadoras, assim, ela começa a se importar com os dois, a querer estar perto deles, quer salvá-los e saber se eles estão bem. Melanie desbloqueia suas memórias a fim de que Peregrina as leve onde Jared e Jamie se encontram.
      Após o reencontro a vida de Peregrina não será mais a mesma, todos os resistentes são aversivos aos alienígenas, mas eles decidem deixá-la viva. Conflitos externos com os resistentes e internos com Melanie assolam sobre Peregrina, pois ela também estava apaixonada por Jared e Melanie tinha demasiado ciúme dele: ”Você, também, está apaixonada por ele separadamente de mim. O sentimento é diferente da maneira como eu sinto. Outro. Eu não percebi até ele estar lá conosco, até você ver Jared pela primeira vez. Como isso aconteceu?" (p.130). É dessa forma que o triângulo amoroso com apenas dois corpos se inicia.
      Peregrina acaba se apaixonando por Jared a partir das memórias que Melanie havia lhe fornecido. Sentimentos conflitantes, mas Peg sabia que esse amor era impossível, pois se se concretizasse estaria magoando Melanie: “Eu não me senti segura. Amar Jared fazia eu me sentir menos segura que qualquer outra coisa em que eu pudesse pensar" (p.266).
      Este livro de ficção científica surpreende e para quem gosta deste gênero entremeado por amores e fortes sentimentos esse livro é mais que indicado, pois retrata uma história ímpar não só por tratar-se de fenômenos alienígenas, mas também trabalhar a percepção do ser humano, é o amor humano expelido em palavras, é a devoção, o comportamento e a essência de um sentimento que a espécie humana carrega. Como a própria Stephenie coloca “É um livro de ficção científica que não parece ficção científica – é sobre um triângulo amoroso com apenas dois corpos. O que mais gostei neste livro foi explorar o amor de ângulos tão diferentes. O amor pela comunidade, pelo próprio ‘eu’, pela família -  o amor romântico e o amor platônico.
      Minhas considerações pessoais é que o livro desenvolve uma história surpreendente, e apesar de o começo ser um pouco complexo e assim, nos fazer crer que seria apenas um livro maçante, com a evolução da leitura nos prendemos em cada palavra. Dessa forma, o livro torna-se uma criança e o leitor o bicho-papão que devora cada página com arroubo. Ao findar a leitura um pedido suplicante de quero mais para a continuidade da saga é latente, portanto, vale a pena conferir essa nova versão de dominação alienígena. Boa Leitura!

Camila Márcia

6 comentários:

  1. Oiii

    Teve uma época que eu queria ler muito o livro, mas agora eu perdi o interesse. Mas a sua resenha fala muito bem do livro e eu nunca tinha visto uma resenha dele... Irei repensar no caso de comprá-lo. sauhsauhsauhas'

    Beijos
    Patty - Cartas para Ficção

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha Mila, mas acho que esse livro não faz meu estilo, embora eu tenha ficado um pouco curiosa...

    abraços.

    ResponderExcluir
  3. Como eu já tinha dito antes, esse livro foi um dos que eu peguei emprestado de uma colega pra ler. Ela era apaixonada pelo livro, demorou séculos pra ceder pra qualquer pessoa ler. Enfim, consegui. E, para minha surpresa, não consegui passar das primeiras páginas. Eu confesso que quando não entendo algo, vou lendo e relendo até entender. Li o prólogo de A Hospedeira tantas vezes até entender o que se passava! Acabou que perdi o gosto pelo livro, e até hoje não entendi o que era aquilo que estavam implantando em alguém. HUASHUAHSUAS

    ResponderExcluir
  4. Eu adoro esse livro...realmente emocionante!! E estão fazendo o filme dele né?! Tô louca pra assistir tb..
    bjs

    http://serieslivroseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante de sua resenha, e acabei me interessando pelo livro. A história parece ser intrigante, cheia detalhes e reviravoltas.

    ResponderExcluir
  6. Ganhei esse livro em um sorteio. Estou doidaa para ler.
    Ótima resenha.

    http://leituraecrecimento.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!