Resenha: “Baroak - a estrela” de Cris Motta

Saudações Leitores!
Esse é um livro que me surpreendeu e gostei bastante da história, achei-a muito diferente dos livros que estão aí, pois a literatura hoje traz muitas histórias de vampiros e Baroak é completamente diferente, ele vem a trazer aos leitores história de gênios que concedem desejos. 
Quero agradecer muito a autora Cris Motta por ter me dado a oportunidade de conhecer seu trabalho e espero que os seguidores e visitantes do DLL sintam-se envolvidos pela resenha e fiquem motivados para ler a obra, confiram:


Baroak - a estrela, Cris Motta, Barueri, SP: Novo Século, 2011, 312 pág.

Baroak – a estrela” foi escrito pela carioca Cris Motta. A autora é formada em jornalismo e já trabalhou em emissoras de rádio e TV. “Baroak” trata-se de uma série fantástica arraigada na contemporaneidade.
No livro acompanhamos a história de Beatriz Comarin, ou simplesmente: Bia, uma adolescente insegura e solitária. Seu pior pesadelo é a escola onde ‘as patricinhas’ lhe tratam muito mal e sempre encontram um jeito e oportunidade para humilhá-la. A pior garota do colégio é Liana, que sempre sentiu inveja de Bia, pois esta era a melhor aluna do colégio e o garoto mais popular da escola, Rodrigo, sempre procurou se aproximar da jovem. Bia apesar de achar impossível Rodrigo amá-la, sempre o amou.
Tudo começa a mudar quando Bia e sua família vão para os países árabes, por conta do trabalho do pai. Lá Bia se desenvolve, fica mais vaidosa e adquire um pouco mais de autonomia, apesar de seus pais ainda a superprotegerem. Os anos passam e Bia volta ao Brasil, mas antes ela acaba comprando um artefato árabe em forma de uma estrela de cristal. A vendedora informa à Bia que a estrela só pode ser aberta quando a jovem mais precisar.
De volta ao Brasil, Bia retoma sua vida anterior e sua perseguidora Liana volta à ativa, pois a inveja somente aumentou. E Bia se vê diante de uma terrível e humilhante situação, desolada ela decide que chegou o momento de abrir a estrela. Eis que surge uma djinn (gênio) chamada Clair Baroak. A gênia concede três desejos à Bia, mas Bia não os faz imediatamente, pois prefere cultivar a amizade da gênia.
Tudo muda na vida de Bia, os anos passam e as mudanças são cada vez mais salientes, principalmente quando Bia conhece o mundo mágico dos gênios e a família de Clair, incluindo aqui seu lindo irmão Pietroh – o típico Deus Grego. Mas a história não para por aí, mistérios mágicos e quebras de regras se configuram numa hybris, em que todos sofrerão as consequências.
A linguagem utilizada por Cris Motta é simples e cativante. A história traz um tema bastante interessante que apesar de fantástico não envolve a moda vampírica e sim gênios em estrelas de cristais! Os personagens são cativantes e às vezes, irritantes. Clair a gênia se tornou minha personagem favorita. Bia já não me cativou tanto, achei-a muito insegura, no livro todo foi exaltada sua inteligência, mas senti que a garota apesar de inteligente não sabia lidar com muitas coisas e tinha atitudes muito infantis. Rodrigo, cativou-me demasiadamente, ele é o típico príncipe encantado, o rapaz mais apaixonado do mundo. Já Pietroh é lindo, sexy e maravilhoso, com uma aura mágica e cheio de crueldade também, realmente ele me deixou na dúvida entre amor e ódio: eu me encantei com ele, mas em alguns momentos eu tive muita raiva.
Quero também salientar que a capa do livro tem um encantamento maravilhoso, envolve qualquer leitor. Se eu indico a obra? Sim! Ela é muito boa e envolvente. Já espero ansiosamente pela continuação, pois o final deste volume deixa o leitor numa curiosidade incrível. Então fica aqui a dica: Leiam Baroak - a estrela!

Camila Márcia

10 comentários:

  1. Nossa, a história de gênios que concedem desejos? Fantástico. Sério. Não é algo que você vê por ai todos os dias, aliás, eu nunca vi. Juro pra você que vou colocá-lo na minha wishlist agora mesmo. Achei incrível essa ideia. E realmente a capa é encantadora. Adorei a sua resenha e já estou seguindo aqui pra descobrir mais livros legais.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  2. nossa, adorei a resenha! e como a Ágata disse: Não é algo que você vê por ai todos os dias.
    acho que vai para a minha lista! :P

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei bastante curiosa pra ler. Como a Ágata eu também nunca li nada sobre gênios, só assisti Alladin... acho interessante... rsrsrs

    Sua resenha tá ótima flor!

    bjs.

    ResponderExcluir
  5. Parece muito interessante Mila, deu vontade de ler. Quando eu for em alguma livraria vou procurar, já anotei aqui.

    Beijos Linda!

    ResponderExcluir
  6. Mila realmente fiquei interessada e essa capa é simples mais tão charmosa, gostei bastante dessa cor e essa fumacinha dá uma impressão tão zein... posso até estar enganada...
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Já vi resenha desse livro em outros blogs e todas com pontos positivos do mesmo! É bom ler obras onde os personagens mexam ou provoquem em nós algum tipo de sentimento, sendo bom ou ruim! ^^ A capa é linda mesmo.
    Beijocas!
    http://palomaviricio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pelo carinho! Mil beijos para vcs!;-)

    ResponderExcluir
  9. Mila, não conhecia muito bem essa obra e talvez até tive certo preconceito, mas gostei da sua resenha. "Os gênios" é uma coisa pouca - ou quase nunca - usada, então isso chama a atenção. É sempre bom quando encontramos algo inovador.

    Parabéns pela resenha.
    Beijos
    Ricardo - www.overshock.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Resenha maravilhosa, Camila! Deu para ter uma noção bem legal da história! Bem interessante esse livro! Sucesso para a autora!
    Em breve quero ver a resenha do meu aqui, se Deus quiser!!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!