Resenha: “O Eterno Barnes” de Salustiano Luiz de Souza

Saudações Leitores!
A resenha de hoje é de um livro cedido pelo autor parceiro do blog Salustiano Luiz de Souza, quero aproveitar o momento para agradecê-lo pelo exemplar. O livro é bem diferente do tipo de leitura que sou acostumada a fazer, mas acredito que devemos arriscar novas leituras e, vou ser o mais sincera possível na minha resenha, mas já deixo claro que a experiência de ler um livro que comumente não leria, influenciou na minha postura diante da leitura  e do meu parecer diante da obra, sem mais esse blá-blá-blá, vejam a resenha:


O Eterno Barnes, Salustiano Luiz de Souza, Barueri, SP: Novo Século, 2012, 248 pág.

Escrito por Salustiano Luiz de Souza, nascido em Itajaí – Santa Catarina, O Eterno Barnes é o primeiro livro publicado pelo autor. Salustiano atua como advogado e é sócio do escritório Souza Postai Advogados Associados na cidade de Joinville onde atualmente reside.
O Eterno Barnes é um livro de ficção científica cujo personagem principal é o Doutor Barnes que sofre de câncer e através de pesquisas tenta criar uma forma de permanecer vivo eternamente. Vale lembrar que o experimento que ele faz é sigiloso e antiético, pois se utiliza de suas funções de médico para fazer coisas reprováveis tanto pela comunidade científica como pela sociedade.
Entretanto, para conseguir seu propósito o Dr. Barnes acaba envolvendo James (um técnico em computadores) e Lurdes, médica e amante de Barnes. Contudo estas pessoas vivem numa teia de relacionamentos que acabam envolvendo outras pessoas como Tatiana, uma alpinista social, que de forma inescrupulosa acaba contando o que sabe para o pretensioso e duvidoso Dr. Bruno.
Nesse meio tempo os acontecimentos se desenvolvem, o poder está em jogo e o mistério deve prevalecer nas pesquisas do Dr. Barnes que de forma inescrupulosa não se importa de fazer o que for preciso para manter seu segredo. Mortes, mistérios, pacientes inocentes e investigações policiais estão presentes na ficção científica criada por Salustiano.
Sem dúvida O Eterno Barnes é um livro completamente bem escrito e com uma riqueza de detalhes impressionante – tanto que você passa a acreditar que o autor ao invés de advogado é um médico ou cientista – o que prova que o autor fez uma vasta e complexa pesquisa no campo, mas tantos e tantos detalhes acabou deixando a narrativa um pouco cansativa, principalmente para quem não conhece os termos e os processos científicos.
Não obstante, se você conseguir passar das primeiras cinquenta páginas as coisas começam a melhorar e o estranhamento inicial e as demasiadas descrições passam a se tornar aceitáveis embora ainda incompreensíveis [para mim], mas tanta complexidade chegou a me convencer de que tal procedimento científico narrado no livro poderia ser real. Como salientei são tantos detalhes dados pelo autor que você duvida de que não seja possível acontecer o que de fato aconteceu no livro [não vou falar o que foi, pois seria um spoiler enorme].
Achei ousada a história criada por Salustiano Luiz de Souza e é bastante incrível a qualidade da narrativa. Alguns pontos que me chamaram mais atenção foi os temas abordados na obra, entre eles o que seriamos capazes de fazer para termos a vida eterna, a fragilidade das relações afetivas e sociais, a ganância e o poder, a falta de ética que são geradas por interesses próprios. Diante de tantas coisas abordadas nas mídias alguns valores vão ficando de lado e Salustiano coloca em xeque, em sua obra, estes valores.
Contudo, devo afirmar que achei, sim, a leitura cansativa muito descritiva e filosófica demais, mesmo reconhecendo o potencial de O Eterno Barnes que dá um gancho para uma ótima continuação, percebo que se o livro fosse um pouco mais objetivo eu teria apreciado bem mais.
O Eterno Barnes é uma história ousada e incrível, para quem gosta de ficção científica que tenham argumentos tão bons que cheguem a convencer o leitor da possibilidade do acontecimento este livro é uma ótima pedida, mas para quem gosta de leituras mais leves e sem muitos termos científicos e fundos filosóficos é melhor passar bem longe.

Camila Márcia

14 comentários:

  1. Mila, estava super curiosa com a sua resenha porque O Eterno Barnes foi um livro que eu gostei, apesar de todos os pontos que você ressaltou que, realmente, incomodaram um pouco. Eu admiro muito você ter se aberto para novas possibilidades, afinal, livros diferentes podem nos surpreender ou não, não é mesmo?
    Adorei a sinceridade e, apesar de tudo, acredito que você conseguirá despertar a curiosidade de alguns dos seus leitores. ;D
    Parabéns pela resenha, ficou ótima e, mais importante: refletiu exatamente como você se sentiu.

    Beijos querida!

    Only The Strong Survive

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vê!
      De fato fui sincera ao escrevê-la, acho que isso é o que dá credibilidade para as minhas resenhas e, realmente, espero poder despertar o interesse dos leitores para o livro, pois o Salustiano escreve muito bem e tem ótimos argumentos (como todo bom advogado), embora deva também admitir que eu não consegui gostar dos personagens e aparentemente só tem vilões no livro e isso me incomodou bastante. Acredito firmemente que o livro precisa de uma continuação... são tantos questionamentos... ai ai...

      Excluir
  2. Lendo sua resenha deu a impressão de que o livro parece cansativo apesar de ser uma história bem legal como você salientou. Você diz que a história dá um gancho para uma continuação é bom que o autor veja algumas das observações dos leitores e se aprimore, pelo que você disse também, ele escreve bem, mas cometeu o excesso de descrever processos técnico(?) demais... mas veja o lado que salientou: foram as descrições que lhe convenceram então será mesmo um ponto tão negativo assim?

    Beijos linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Rafa, minha resenha é bem particular e eu achei o livro um pouco cansativo, mas a história é realmente boa. As descrições foi o que me cansou, mas também o que me convenceu também então acredito que a balança está igual. Espero que tenha uma continuação, pois o final não me satisfez a curiosidade (sou uma pessoa extremamente curiosa, vocês sabem).

      Excluir
  3. Eu li a sinopse desse livro quando ele foi lançado, mas não me chamou atenção... Não faz meu gênero de leitura e ao contrário de você, Mila, acho que deixo passar.
    Adorei a resenha e como Vê Inamonico falou você colocou bem sua opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ju. Bem, se o livro não faz seu gênero e você realmente não quer ler melhor não ler, leitura como entretenimento não deve ser feita por obrigação. Somos livres para escolher a respeito de tudo, inclusive - claro - sobre os livros que desejamos ler.

      Super abraço, querida.

      Excluir
  4. Ótima resenha Mila, apesar de não ser um livro que eu leria gostei de saber do que se trata.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida. Realmente é sempre bom saber do que um livro se trata.
      Thanks pelo seu comentário.

      Excluir
  5. Oi, flor.
    Gostei da sua resenha.
    Tenho o livro na estante, mas ainda não li.
    Quando o vi, não gostei muito da capa. Mas aí fui vendo algumas resenhas, e ele parece ser bem interessante.
    Em breve estarei lendo.
    Obrigada pela resenha. ;)

    http://feliciity-unjourdepluie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Feliciity, então, a história é realmente interessante e espero que você goste.
      Obrigada por seu comentário, querida.

      Excluir
  6. Apesar de ter ficado receosa com a narrativa detalhada que você fala na resenha, é um livro que eu gostaria muito de ler. Acho bacana sair das escritas convencionais que estamos acostumados para nos permitir algo novo.
    Bacana quando tem algum ponto negativo pra gente, ele pode ser justificado pela pesquisa do autor.

    Beijos
    www.leitoraincomum.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida Fernanda! O Salustiano pesquisou e deve ter estudando muito em questão técnica o livro dele é bem convincente. O ruim é que ficou técnico demais e isso não me agradou tanto, mas sei que tem muitos leitores que gostam de livros exatamente assim. Te digo só uma coisa, gostaria muito que o Salustiano continuasse a história, pois tem muito potencial.

      Obrigada pelo comentário, querida. Xerin.

      Excluir
  7. Fico impressionado com a sua sinceridade, Mila. Que bom seria se todas as resenhas fossem assim.
    Eu realmente não sei dizer se iria gostar desse livro. A ideia parece ser interessante, mas a quantidade de termos técnicos e de partes filosóficas pode não favorecer, afinal muitas vezes queremos nos divertir com uma leitura. Isso, obviamente, não me faz ignorar o livro. Se tiver a oportunidade irei ler.

    Beijos
    Ricardo - www.blogovershock.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rick,
      Então, volto a frisar que a ideia é bem interessante, mas eu, particularmente, senti que não apreciei mais a leitura por conta dos termos técnicos e filosóficos, mas é claro que para quem gosta desses detalhes a leitura deve ter sido fabulosa. E o aconselho que se tiver oportunidade de ler este livro realmente não a deixe passar, é sempre bom apreciar o trabalho de nossos escritores nacionais. Eles nos deixam orgulhosos!!!

      xoxo, obrigada pelo comentário e visita.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!