Notinha 24#: Novembrar com Poesia - Ana Cristina Cesar

Saudações Leitores!
Hoje a postagem é bem especial para mim, porque é uma notinha sobre um dos lançamentos da Companhia das Letras para Novembro. Aí você pode me perguntar: qual o lançamento e por que é especial para você? Bem, o lançamento é do livro Poética, da poetisa e tradutora carioca Ana Cristina Cesar. Pode não parecer, mas eu sou louca por poesia e como fiz Faculdade de Letras é quase impossível não ter ouvido falar dessa  poetisa que tem o nome muito vinculado Movimento de Poesia Marginal.


A Poesia Marginal produzida pela geração mimeógrafo foi um movimento cultural fundado em 1970 por poetas - na maioria poetas desconhecidos - que queriam se expressar na época da ditadura e, assim, buscaram um caminho alternativo: ao invés de publicarem de forma tradicional suas obras eles mimeografavam seus trabalhos e comercializavam a baixo custo, até porque com a Ditadura Militar nem toda obra literária/poética era publicada e assim, os poetas para se expressarem livremente e revelarem suas vozes poéticas mimeografavam suas poesias. Esse movimento foi influenciado pela primeira fase do modernismo brasileiro, inclusive movimentos de contracultura.

Por esse e por outros motivos, a poesia marginal é conhecida por ser uma poesia do povo e por isso tem tendência a coloquialidade, espontaneidade, ritmo, humor e representação do cotidiano urbano.

A Companhia das Letras fez um post super legal sobre o lançamento Poética (previsto para 20/11) em seu blog, segue abaixo:

"Há 30 anos, Ana Cristina Cesar se suicidou. Ela se jogou da janela do apartamento dos pais aos 31 anos, no Rio de Janeiro.

Em novembro a Companhia das Letras lançará Poética, que reúne Cenas de abril, Correspondência completa, Luvas de pelica, A teus pés, Inéditos e dispersos, Antigos e soltos: livros fora de catálogo há décadas estão agora novamente disponíveis ao público leitor, enriquecidos por uma seção de poemas inéditos, um posfácio de Viviana Bosi e um farto apêndice. A curadoria editorial e a apresentação couberam ao também poeta, grande amigo e depositário, por muitos anos, da obra de Ana Cristina, Armando Freitas Filho.
 
Ana Cristina Cesar deixou em sua breve passagem pela literatura brasileira do século XX uma marca indelével. Tornou-se um dos mais importantes representantes da poesia marginal que florescia na década de 1970, justamente pela singularidade que a distanciava das “leis do grupo”. Criou uma dicção muito própria, que conjugava a prosa e a poesia, o pop e a alta literatura, o íntimo e o universal, o masculino e o feminino — pois a mulher moderna e liberta, capaz de falar abertamente de seu corpo e de sua sexualidade, derramava-se numa delicadeza que podia conflitar, na visão dos desavisados, com o feminismo enérgico, característico da época."

E viva a poesia feminina, feminista e ao feminismo poético! \õ/
Agora, leitores compulsivos, o que nos resta é esperar, ansiosamente, o dia do lançamento!
Vamos entrar num acordo: um livro da Aan C. já é fabuloso em si, agora imaginar um livro contendo uma coletânea dos livros dela... UAU... só posso dizer UAU.

Camila Márcia

13 comentários:

  1. Ah esse eu passo, ao contrario de ti nao gosto de poesia, na real tenho um certo odinho.


    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que pena Jessica, mas é assim mesmo todo mundo tem aquilo que mais gosta, entretanto vai ver que você ainda não descobriu seu poeta ou poetisa favorito(a)... quando você descobrir, vai amar e vai ser tãoooo lindo. Poesia meio que faz parte da gente.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Oi Mila,
    Bem eu gosto de poesia, apesar de não gostar de todo o tipo e nem de todos os poetas, mas fiquei impressionada com a sua postagem e confesso que me empolgou para querer ler POÉTICA, mas não conheço nada da poetisa, então tenho receio.

    Você irá resenhar?
    Porque tipo assim, temos gostos bem parecidos e você me fez adquirir o Toda Poesia com sua magnifica resenha, agora queria muito saber sua opinião sobre esse livro... quem sabe eu o compre. Digo isso Mila, porque os livros da Companhia das Letras são um pouco caros e ficaria mais tranquila em comprar sabendo que você gostou... pois teria 99% de chances de eu gostar também e não comprar algo caro que eu não fosse gostar.

    JU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju,
      Entendo perfeitamente seu receio, mas acredito, sinceramente, que você irá gostar do livro. Entretanto, vou ver se consigo um exemplar para resenhar o mais rápido possível e assim poder te dar minha opinião para que possa comprá-lo mais tranquilamente, mas isso não é promessa, vou tentar conseguir o livro, certo. Caso consiga será uma de minhas leituras prioritárias e passarei na frente de todas as outras.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  3. Não posso dizer que sou apaixonada por poesia, porque não seria verdade, mas acredito que todo ser humano é poeta, é pensante, e gosto muito de Fernando Pessoa e Vinícius então... porque não me deixar encantar por Ana C.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Em. Arrisque, com certeza, vai amar! Fico na torcida.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  4. Ops... já vai para a lista!

    Abraços, gatinha.

    ResponderExcluir
  5. Mila, eu não sabia dessa novidade... agora estou quase perdendo o fôlego. EU vou comprar até em pré-venda se possível.

    Acredito que muita gente diz que não gosta de poesia porque não sabe o que é poesia. A simples contemplação de uma flor já é um ato poético, ou para os mais atiradinhos a admiração de alguém ou alguma coisa bonita também é um ato poético. Sentimento é poesia interna... Todo ser humano é um poeta ímpar a questão é que uns colocam sua poesia no papel como fez Ana C. e outros deixam-na guardadas e esquecidas dentro de si mesmos.

    AI MEU DEUS DIA 20 JÁ PODE CHEGAR QUERO ESSE LIVRO LOOOOOGO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nooooooossa Adélia,
      Como você roubou assim minhas definições de poesia? hihihihi É exatamente isso, para mim todo ser humano gosta de poesia, só precisa se encontrar. Tenho certeza que é só isso que falta.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  6. Estou interessa Mila, mas confesso que não curti muito essa capa, não... bem que poderia ser parecida com a de Toda Poesia, sei lá... podia ser dois óculos no meio da capa rosa...
    Enfim, aposto que vou gostar da leitura, apesar de não ter curtido a capa. Há gosto para tudo e o que importa é o conteúdo.

    Faço a mesma pergunta da Ju: vai RESENHAR?
    Porque se for antes de comprar espero seu parecer... como uma estudiosa e formada em letras, acho que sua opinião é muito importante....

    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oia aí Bru, agora você me elevou demais, pode isso não, garota!
      Nem tudo o que gosto ou acho de alguma obra não significa que outra pessoas vão sentir igual... às vezes aquilo que me tira o fôlego pode não tirar o de outras pessoas... mas fico feliz por você acreditar e respeitar minhas opiniões... vou ver se resenho o livro.. até porque ele também já está nos meus desejados.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  7. Oi, Camila.
    Bom é a primeira vez que venho aqui. Caí aqui de gaiata procurando por notícias sobre "Poéticas". Sou apaixonada por Ana C. Aquela maneira de fazer poesia como diário ou diário como poesia. Aquele intimismo que te faz sentir-se na poesia.
    Corri a página e não pude deixar de ler os comentários, e achei bem bacana essa interação que você tem com o público, e muitos pedindo resenha do livro. Muito bacana isso.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!