Resenha: “De Olhos Fechados” de Lavínia Rocha

Saudações Leitores!
Quando a Editora D'Plácido me apresentou De Olhos Fechados* eu fiquei bastante curiosa: gostei do título, quando li a sinopse me despertou curiosidade... depois disso só fui me surpreendendo por 'n' motivos, confiram abaixo:


De Olhos Fechados, Lavínia Rocha, Belo Horizonte: D’Plácido, 2014, 253 pág

De Olhos Fechados foi uma surpresa interessante para mim, primeiro porque li a sinopse do livro e fiquei interessada, depois porque quando estava lendo o livro me dei conta de algo que me passou despercebido, a escritora além de nacional, tem apenas 17 anos, depois descobri mais: ela escreve desde os 11 anos e aos 13 anos lançou seu primeiro livro. Lavínia Rocha é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.
No livro conhecemos Cecília (Ceci) que é cega, mas que “enxerga” com os outros sentidos, ela tem que conviver com as condolências de todos, além do mais a mãe de Ceci faleceu e deixou ela, a irmã (Luna) e o pai (Renato) sozinhos. Ceci leva uma vida normal mesmo com suas limitações, vai para a escola, sai com os amigos e no meio do enredo ela conhece, apaixona-se e engata namoro com Tiago, um aluno novo muito bonito.
De Olhos Fechados tem mistério e segredos que percorrem toda uma geração, há história de antepassados e uma vingança, muita coisa acontece no livro, coisas inexplicáveis que cabe a imaginação do leitor entender se há ou não algo mágico no sangue e na história de Ceci e sua família.
Gostei bastante do livro e acredito que a escritora, Lavínia Rocha, tem muito talento e de uma maneira simples ela abordou dentro de uma história bem criativa temas como: inclusão social, direitos iguais e relacionamentos familiares, amizade e romance.
Entretanto, o que mais me incomodou neste livro é os muitos e intermináveis diálogos, quase não há narração e descrição de nada, para ser mais sucinta, no princípio do livro temos narração, descrição e diálogos muito bem conduzidos, mas do meio para o fim há apenas diálogos e diálogos e mais diálogos.
Não estou dizendo que o livro se torna ruim, não, na verdade, os diálogos são bem esclarecedores e explicativos, mas me incomoda um pouco ter muitos diálogos porque, para mim, deixam de ser romances e passam a ser teatro/ peça, embora reconheça que os diálogos agilizam e dão dinâmica a leitura.
Em suma, De Olhos Fechado é uma leitura fácil, leve, divertida e muito rápida e possivelmente quem gosta de infantojuvenil irá curtir, além disso, tem um romance tão fofinho e tão inclusivo que nos deixa a suspirar. Fofura total.


* Livro enviado pela editora D'Plácido. Saiba mais sobre o livro no aqui ou no skoob.
Quer adquirir um exemplar [dois, três ou mais, rsrsrsrs]? Clique Aqui
Quer conferir um trecho [super indico!]? Clique Aqui.

2 comentários:

  1. Assim que li o nome imaginei que tivesse a ver com uma garota cega. A premissa parece ser legal, mas você citou os interináveis diálogos, isso acaba não me deixando querer tanto assim ler ele. Gosto de diálogos descritivos e bem aplicados, só eles corridos, como uma peça, tendem a me aborrecer.

    bjos,
    Bianca

    www.blogsomaisum.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Biana, obrigada pela visita e comentário.
      O livro começou muito bem, mas aí começaram a ter só diálogos e isso meio que me incomodou, mas há quem goste. Saliento que a história é bacana e os diálogos são explicativos, dá pra acompanhar direitinho a ideia. Mas isso pode ser mudado num próximo livro da Lavínia, ele é jovem e tem uma criatividade incrível... acho que ela pode rever esses detalhes...

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!