Resenha: "Socrates in Love" de Kyoichi Katayama e Kazumi Kazui

Socrates in Love: o amor sobrevive ao tempo, Kyoichi Katayama & Kazumi Kazui, São Paulo: Editora JBC, 2011, 192 pág.
Tradução: Mariana Ueda
COMPRAR: Amazon, Saraiva

Saudações Leitores!
Sekai no Chushinde ai wo Sakedo no Brasil recebeu o título Socrates in Love: o amor sobrevive ao tempo se trata de um mangá criado por Kazumi Kazui, mas é baseado no romance de Kyoichi Katayama, tive a sorte de encontrá-lo enquanto navegava na seleção de mangás da Amazon e fiquei curiosa.

Logo de início preciso dizer que Socrates in Love é uma história triste, mas muito bonita e romântica que comove a todos que se entregam a leitura de suas páginas, pois aqui iremos acompanhar um casal de jovens: Sakuratô Matsumoto (carinhosamente chamado de Saku-chan) e Aki Hirose, que se conhecem ainda na escola e de uma amizade onde ambos implicavam um com o outro nasceu o amor e, na medida em que o tempo passa, esse sentimento vai se tornando maior e mais intenso.

Saki-chan de Aki passam a fazer planos juntos e sonham com um futuro em que eles poderão se tornar inseparáveis, mas todo esse sentimento é abadalo quando Aki adoece e, no auge de sua juventude, tem que ficar internada em um hospital para fazer o tratamento. 

Aki se sente deprimida, pois sua vida agitada acaba sofrendo uma pausa, além do mais sente-se culpada por fazer seu amor, Saki-chan ter que ficar indo e vindo do hospital, além disso, passa a achar que está atrapalhando na vida dele e fazendo com que ele deixe de aproveitar a vida por conta do problema dela, para estar ao seu lado.
As coisas passam a ficar mais cinzas quando a família de Aki esconde o real problema da garota tanto da própria Aki, quanto de Saki-chan, e assim Aki passa a lutar contra uma doença que ela não entende, não conhece e, começa a ficar estressada por sempre estar presa num hospital, envergonhada por seu cabelo cair, por ter variações de humor horríveis de suportar e por querer estar aproveitando a vida com Saki-chan, mas não poder.
O mangá me emocionou demais, ver ambos: tanto Saki-chan, quanto Aki sofrerem pela doença e a distância que se instalou entre eles não foi fácil. Ver a delicadeza e pureza dos sentimentos de ambos estar sendo fragmentada por uma doença horrível. Ver morrer as esperanças foi muito doloroso para mim, leitora, mas eu conseguia ver algo maior: um amor despretensioso, puro, singelo, onde Saki-chan ao descobrir a doença de Aki tentou salvá-la a todo custo, tentou tornar seus dias melhores.
No fim, é claro que um cisco caiu no meu olho e derramei umas lagrimas porque não sou de ferro e, apesar de muito triste e doloroso, o final foi bonito, deu uma continuidade, porque Saki-chan nunca esqueceu e nem esquecerá aquela que pousou delicadamente em seu coração e marcou toda a sua vida. Gosto de pensar que a existência de Aki fez a vida de Sakuratô melhor e o tornou numa pessoa melhor, porque quando anjos aparecem em nossos vida eles tem a capacidade de transformá-la por completo. Gostei de poder ver o rumo que a vida de Saki-chan tomou, de certa forma a vida de Saki-chan tornou a vida de Aki perene.
Definitivamente eu poderia falar muito mais sobre esse mangá, mas acho que é muito melhor indicá-lo para a leitura e assim, vocês poderem entender o tamanho do sentimento e beleza expostos nestas páginas. Leiam, por favor, mas leiam com o coração aberto para que as palavras possam enchê-los de amor também.

Mesmo que Socrates in Love tenha o estilo de mangá shoujo ele não é destinado apenas ao público feminino, acredito que o público masculino também poderá apreciar bastante, ok?

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!