Resenha: "Fahrenheit 451" de Ray Bradbury

Fahrenheit 451, Ray Bradbury, São Paulo: Globo de Bolso, 2014, 216 pág.
Tradução: Cid Knipel
COMPRAR: Amazon, Saraiva, Submarino

Saudações Leitores!
Fahrenheit 451 foi lançado originalmente em 1953 e escrito pelo norte-americano Ray Bradbury (falecido em 2012) e se trata de um romance distópico de ficção científica soft, que tem ganhado muito destaque em nossa atual sociedade por fazer-nos refletir sobre diversas situações polêmicas que enfrentamos.

De início Fahrenheit 451 vem apresentar um futuro onde os livros são proibidos e os pensamentos  e opiniões próprios são consideradas antissociais, suprimindo assim qualquer crítica e potencial de mudança de cada ser humano.

Vamos conhecendo esse mundo futurista pelos olhos do personagem principal Guy Montag que trabalha como bombeiro, no entanto, aqui, ser bombeiro não tem o mesmo significado que conhecemos, em Fahrenheit 451 ser bombeiro é queimar livros quando alguém liga informando que alguém está com algum exemplar ou biblioteca oculta. 

Mas por que queimar livros? A sociedade que Montag vive determinou que livros são perigosos e que disseminam a discórdia e trazem a infelicidade, porque fazem os leitores questionarem coisas e os questionamentos traz inseguranças, duvidas, conhecimento e consequentemente infelicidade. Bem sugestivo não é mesmo? 
Contudo Montag tem uma vida que considera boa ao lado de sua esposa Mildred que passa os dias inteiros interagindo com outras pessoas de forma virtual, sem contatos físicos e apenas para conversarem sobre futilidades, sem questionarem a situação de suas vidas. Entretanto, a vida de Montag começa a mudar quando ele conhece a jovem Clarisse que com pensamentos livres começa a incutir dúvidas e fazer Montag pensar sobre a vida já que a criança lhe faz várias perguntas incomuns.
Montag nunca mais será o mesmo. Montag começa a querer ler livros. Rouba livros para lê-los. Revolta-se com a falta de conhecimento das pessoas. Se torna um rebelde, sendo perseguido pelo governo totalitário.

Fahrenheit 451 é um livro questionador, inquietante e surpreendente, ao longo dos anos tem sido submetido há várias interpretações, mesmo diante disso, Ray Bradbury, declarou que sua obra não trata de censura, mas de como a televisão destrói o interesse pela leitura.

Mas como uma obra literária tem o poder de dar margem a múltiplas interpretações e quando um autor expõe seu texto para o mundo ele passa a ser algo de todos, então atrevo-me a dizer que Fahrenheit 451 pode nos levar a questionar o quanto a situação apresentada ali na obra não se distancia tanto do que vivemos em nossa sociedade contemporânea, pois é fato que o governo não quer que a população tenha pensamento crítico, ou para tornar um campo minado são jogadas tantas informações e tanto conteúdo que servem para tirar o foco da população daquilo que realmente importa. 

Nossa sociedade está cercada por meios de comunicação, por notícia, por formas de estarmos em vários lugares ao mesmo tempo, no entanto, nunca vi pessoas mais alienadas como as de hoje, parece que lemos, ouvimos, assistimos e não percebemos que estamos sendo manipulados e sendo marionetes das ideologias de quem está no governo, sobretudo os mais jovens que deveriam estar formando seu pensamento crítico estão se distraindo com "bobagens". 

Para mim, em Fahrenheit 451, a queima dos livros significa a destruição do conhecimento crítico e do poder de escolha e identidade das pessoas e da sociedade, então, estamos atualmente vivendo em um mundo onde livros são queimados, pois há milhares de pessoas que entra ano e saí ano não pegam em um livro para ler.

2 comentários:

  1. Adorei a resenha. Eu já tinha ouvido falar desse livro e sempre soube que era um desses que todo mundo deve ler mas não sabia sobre o que ele falava de fato. Fiquei muito curiosa e já vou adicionar a minha lista de 'Preciso ler Urgente'. Me parece uma leitura muito interessante.
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. êbaaaaa, obrigada por ter gostando da resenha e se interessado por este livro.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!