Resenha: "Dumplin'" de Julie Murphy

Dumplin', Julie Murphy, Rio de Janeiro: Valentina, 2017, 336 pág.
Tradução: Heloísa Leal
COMPRAR: Amazon  |  Saraiva  | Outras Lojas

Saudações Leitores!
Dumplin' (2015) escrito pela autora best-seller Julie Murphy era um livro que eu queria muito ler e, agora, após a leitura, ainda estou envolvida com a estória, com os personagens. Simplesmente, encantada com tamanha fofura. Inclusive já existe uma "continuação" intitulada Puddin', mas ainda não foi traduzido para as terras tupiniquins e conta a estória de dois personagens presentes em Dumplin'.

Estou escrevendo essa resenha um pouco surtada, pois esse livro que tanto me cativou, terá um filme que irá estrear na Netflix no dia 07 de dezembro (2018) - AMANHÃ - e já estou ansiosa para conferir o resultado, tenho quase certeza absoluta que vou amar.

O livro é narrado em primeira pessoa, por Willowdean Dickson (Will), uma adolescente de 16 anos, que é gorda, filha de Rosie, uma ex-miss, trabalha numa lanchonete, é fã de Dolly Parton e tem como melhor amiga Ellen (que é completamente o padrão de beleza difundido na sociedade). Acredito que seja importante salientar que o título do livro se deve ao fato de Dumplin' ser um apelido carinhoso dado por sua mãe à Will e significa algo como bolinho frito...
"Porque a palavra gorda deixa as pessoas constrangidas. Mas, quando alguém me vê, a primeira coisa que nota é o meu corpo. E o meu corpo é de uma gorda. Por exemplo, eu posso notar que algumas garotas têm peitos grandes, cabelos oleosos ou joelhos ossudos. São coisas que é permitido dizer sem rodeios. Mas a palavra gorda, que é a que melhor me descreve, deixa as pessoas desconfortáveis."
Will, aparentemente sempre foi muito bem resolvida a respeito de seu corpo, aliás nunca pensou muito sobre isso, fato que só veio a lhe incomodar quando Bo, um colega de trabalho super gato por quem nutre sentimentos, começa a correspondê-la.

Os dois acabam se envolvendo romanticamente e em segredo, e isso a coloca numa situação complicada, pois fica pensando o que a sociedade iria pensar ao ver um garoto lindo como o Bo namorando com uma gorda feia como ela... Sua auto-estima despenca a partir desses pensamentos.
"Eu perdi muito tempo na vida me preocupando com as que as pessoas diriam ou pensariam. E, às vezes, era em relação a coisas bobas, como uma ida à mercearia ou aos correios. Mas ouve ocasiões em que me proibi de fazer coisas importantes. E tudo porque estava com medo de que alguém me olhasse e decidisse que eu não tinha valor."
Para completar todos esses conflitos internos, Will vive uma relação estremecida com a mãe, que está com a cabeça apenas no concurso Miss Jovem Flor do Texas do qual é organizadora. Tem também o fato de estar lidando com a perda de sua tia, que segundo Will era mais mãe dela do que a própria mãe. Para fechar o pacote de problemas que abalam Will, ela e sua melhor amiga Ellen estão em crise. Tudo isso acompanhado de doses de bullying que sofre na escola por ser gorda.
Numa tentativa impulsiva para recuperar sua auto-estima, Will resolve se inscrever no tradicional concurso de Miss, e isso vai gerar vários conflitos e também piadas da sociedade, justamente por conta do padrão de beleza mostrado sempre no concurso.

Dumplin'  é um prato cheio de problemáticas, pois levanta várias reflexões pertinentes à adolescência com um agravante de nossa personagem principal ser gorda, pois nos defrontamos constantemente com os estereótipos de beleza sendo quebrados durante a narrativa.

Particularmente amei total este livro, no entanto, consigo enxergar pontos que deixaram a desejar durante o enredo e vou tentar elencar, por exemplo: a narrativa é super gostosa, mas eu senti que Julie Murphy enrolou bastante para chegar a "ação" do livro que seria o concurso de beleza, na verdade, achei mal desenvolvido esse ponto, porque foi muito rápido e a personagem deu pouca importância ao assunto que deveria ter servido como fundo para abordar o padrão de beleza, fazer uma crítica social mais intensa e melhor desenvolvida.
"A vida inteira tive um corpo digno de comentários, e se há uma coisa que viver na minha pele me ensinou foi que, se o corpo não é seu, você não tem direito de dizer nada. Seja a pessoa gorda, magra, alta ou baixa, não interessa."
Outro ponto que me incomodou é que Will é mostrada como uma adolescente empoderada, mas em inúmeras vezes ela pareceu insegura, egoísta e ciumenta e isto me deixou absolutamente frustrada, óbvio que não esperava uma personagem perfeita, ainda mais uma adolescente, e que em qualquer idade é comum ter inseguranças, mas a forma como foi mostrado foi tão bobo, tão sem justificativa que se perdeu esse "empoderamento".
"Às vezes, a perfeição que vemos nos outros é feita de mil pequenas imperfeições, porque tem dias em que a porcaria do zíper do vestido não sobe de jeito nenhum."
Não estou mostrando esses ponto em Dumplin' para dizer que o livro é ruim, de modo algum, eu achei sensacional, a proposta, a forma como temas importantes foram problematizados e expostos, as reflexões que resultaram da leitura. Tudo incrível! Mas o livro tem lá suas partes arrastadas, maçantes e incoerentes com a proposta. No geral, a leitura é ótima, muito válida, além do mais ter uma personagem feminina gorda como protagonista de um livro é algo extremamente fantástico e pouco comum, gosto de pensar que esse tipo de coisa possa voltar a acontecer, porque os heróis (heroínas) não precisam ser magros(as) e tão pouco perfeitos(as), precisam se assemelhar ao real e fazer com que as pessoas se identifiquem, certo?

O final do livro foi lindo e bem aberto, por vezes isso pode desagradar a quem gosta de tudo bem explicadinho, mas - prometo - isso não é o caso aqui, acredito que o final é extremamente coerente com tudo o que foi apresentado durante a narrativa. Super recomendo a leitura!
"A única voz que me falta - e a de que mais preciso - é a minha."

1 comentários:

  1. Muito interessante. Não conhecia. Gostei muito de seus comentários e dos quotes do livro. boas leituras.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!