Resenha: Até o Fim - Harlan Coben

terça-feira, abril 16, 2019

Até o Fim, Harlan Coben, São Paulo: Arqueiro, 2019, 272 pág.
Tradução: Marcelo Mendes
COMPRAR: Amazon | Outras Lojas

Saudações Leitores!
Finalmente tive meu primeiro contato com um livro do escritor norte-americano Harlan Coben, que é muito conhecido por escrever livros de mistério. O livro que li foi Até o Fim (Don't let go), um dos mais recentes lançamentos do autor aqui no país, foi uma leitura que prendeu bastante a minha atenção e no geral gostei, mas pela fama do escritor, confesso, esperei mais.

Neste volume vamos acompanhar o policial Nap, que vive atormentado e consumido por sua perda, já que há 15 anos atrás perdeu o irmão gêmeo, Leo, num trágico acidente. Leo estava com sua então namorada Diana e ambos morreram.
"A tragédia nos deixou mais próximos, acho. Nesses momentos a gente costuma procurar a companhia de quem entende o que estamos passando, mesmo que isso não acabe com a dor por completo."
Mas o mais intrigante foi que, com a morte de Leo e Diana, a namorada de Nap: Maura, fugiu nessa mesma noite. Fatos que deixaram Nap tremendamente intrigado e achando que tinha detalhes desconhecidos e ocultos nestes eventos, podendo o acidente e a fuga de Maura terem algum tipo de relação.
"Não quero soar dramática, mas os fantasmas daquela noite ainda estão presos aí, dentro de você. Talvez a verdade os liberte."
Em decorrência de tudo isso, Nap se tornou policial e colocou o nome de Maura no AFIS - Sistema Automatizado de Identificação de Datilogramas - assim, se algum dia as digitais ou o DNA de Maura entrassem no sistema, ele seria avisado.

Quinze anos após os acontecimentos trágicos daquela noite, Nap é procurado por conta do surgimento das digitais de Maura no AFIS, e essas digitais estão intimamente ligadas a um assassinato misterioso de um policial.
É nesse ínterim, que Nap encontra novas pistas sobre os acontecimentos que levaram à morte de seu irmão Leo e Diana, filha de seu melhor amigo Augie. Essas novas informações levaram para uma série de eventos ligados a um clube formado por seis integrantes chamado de Clube da Conspiração, e estes mesmos integrantes estavam sendo assassinados. Vale ressaltar que Leo e Maura faziam parte desse clube secreto.

Tudo levava Nap a crer que os terríveis eventos estavam ligados a uma conspiração do Estado que utilizava uma base militar desativada para fazer experimentos e/ou torturas em pessoas. O rumo que a investigação toma é imprevisível e perigosa. Fiquei, particularmente chocada com o desfecho dos acontecimentos.
"Muita gente gosta de moralizar, dizendo que é contra a tortura. pergunto: "Ah, é? Você é contra a tortura? E se, pra salvar a vida de um filho, você tiver a oportunidade de espancar um monstro que já matou milhões de pessoas? Você faz o quê?" Ninguém responde. Ninguém vai dizer que sacrificaria um filho só pra ser coerente com um juízo moral. Então as pessoas acabam saindo pela tangente, recorrendo a algum tipo de argumento racional tipo: "Tortura não funciona.""
Sem dúvida, Até o Fim, é um livro que me agradou bastante e deixou uma impressão positiva acerca das obras de Harlan Coben, no entanto, esperei que fosse bem melhor, pelo fato do renome do escritor, achei algumas partes bem "bobinhas" (como o fato de Nap ser muito contra as regras da polícia e ter se tornado policial, além dele ter demorado tantos anos para descobrir essas pistas, que estavam lá desde o começo).
"É isso que fazemos, todos nós: registramos aquilo que se encaixa na nossa narrativa e descartamos o que não encaixa."
Não obstante, o livro é extremamente viciante e a leitura é bastante fluida, isso se dá também pelo fato dos capítulos serem breves e excitantes. No geral gostei e recomendo a leitura para quem é fã do escritor e quem gosta de livros de mistérios fundamentados em conspirações.

  • Share:

You Might Also Like

1 comentários

  1. Olá, terminei de ler o livro e também esperava mais do Harlan. Sugiro que leia o livro Cilada e a Série Myron Bolitar, que verá porque tem tanta gente apaixonada pela escrita dele. Inclusive eu.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!