Resenha: "Questão de Honra" de Yuri Belov

Questão de Honra: a face da morte no dorso de um cavalo, Yuri Belov, 
Barueri, SP: Novo Século, 2018, 476 pág.

Saudações Leitores!
Questão de Honra (2018) foi escrito por Yuri Belov, que é um nome fictício. Aliás, o autor já tem outro livro publicado e se chama Odalisca, também publicado pela Novo Século. Creio que é importante alguns dados antes de falarmos sobre o livro: Yuri Belov, apesar de ser um nome fictício é acessível através de sua Página no Facebook (AQUI), além do mais se você se interessar pelo livro físico e quiser adquiri-lo, além dos links logo acima, você pode entrar em contato com o próprio escritor através do e-mail: questaodehonra.vendas@hotmail.com e comprá-lo por um preço promocional de R$ 29,90 com o frete já incluso neste valor.

Mesmo tendo gostado da sinopse de Questão de Honra e ter imaginado que a leitura seria muito boa, nunca me passou pela cabeça que amaria tanto este livro quanto amei. O livro é pura ação e espionagem do começo ao fim. Mas está longe de ser apenas isso: o enredo é super bem ambientado, o livro todo é composto por várias referências históricas e os personagens são bem desenvolvidos.
"_ Ora, você montou uma operação do nada, possivelmente gastou uma verba ínfima em relação a outros serviços de inteligência e por pouco não pega um dos caras mais valiosos do mundo. e simplesmente para saldar um compromisso de honra? Cara, Você realmente é um sujeito raro."
Não sei por que não leio muitos livros desse tipo, já que nas vezes que tenho me aventurado por este estilo tenho encontrado bons livros. Em Questão de Honra, vamos acompanhar Tristan Drake que é um ex-oficial das forças especiais da marinha britânica que atualmente tem uma empresa de exploração submarina situada em Malta. Logo no inicio do livro, Tristan se depara com um ataque ao seu navio, Simbad Explorer, deixando o navio prejudicado e necessitando de vários reparos e sua tripulação ferida na Líbia.
A situação do Simbad Explorer teve destaque na impressa e a filha de um rico Sheik, Ameerah, sabendo das dificuldades financeiras pelas quais Tristan está passando decide socorre-lo. Após alguns meses Tristan vai encontrar-se com o misterioso Sheik que lhe ofereceu ajuda e acaba por descobrir vários problemas pelos quais o milionário está passando. Ameerah, confessa que seu irmão está desaparecido e, movido por uma questão de honra, Tristan decide juntar as peças e ir em busca de Khaled.

É nesse ponto que podemos dizer que a estória realmente tem o pontapé inicial e vários fatos vão se desenrolando, várias informações e fios vão se embaralhando e Tristan percebe que Khaled estava envolvido com pessoas desonestas e muito perigosas, que, por sua vez, estavam envolvidas em vários negócios obscuros desde tráfico de drogas, de pessoas, de objetos e desvios de dinheiro, entre outros negócios que acabam prejudicando uma verdadeira gama de pessoas e envolvendo outras tantas nessa máfia.

Sei que mesmo tendo amado o livro, fiquei abismada e achei impossível tal fato acontecer na vida real, pois: será possível alguém passar por tudo o que Tristan Drake se submeteu apenas por uma questão de honra? O personagem acabou devendo favores e prometendo várias coisas nesse intrincado quebra-cabeça para desvendar todo o mistério que tinha toda uma gama: política, terrorista etc. O negócio do sumiço de Khaled, pelo que Drake descobriu depois, tinha proporções maiores, perigosas e mais obscuras do que inicialmente supôs, de tal forma que acabou colocando a vida dele e de muitas outras pessoas em risco na tentativa de cumprir com sua palavra.
"Às vezes as circunstâncias levam um mal a combater outro mal, como antídoto utilizado para neutralizar um veneno, originário do próprio veneno."
De todo o modo, Questão de Honra é um livro surpreendente e muito bem escrito, é notável a preocupação do escritor em contextualizar o enredo explicando e trazendo elementos políticos, culturais ou históricos (geralmente acontecidos no século XX e XXI). Lendo esse livro acabamos aprendendo/recordando vários fatos e curiosidades sobre os países em que se passa a estória. (Tristan está sempre viajando entre Europa, Asia e Africa).

Creio que o fato de Yuri Belov estudar muito sobre história militar, medieval e sobre mitologia, além de já ter trabalhado na Africa e America Latina deu um respaldo maior para toda a estória e propriedade para uma ambientação verídica.

Questão de Honra é um livro que tem potencial de surpreender qualquer leitor, pois não deixa a desejar em relação ao esperado de livros de espionagem e ação. O que é mais maravilhoso é o fato de Yuri Belov ser um escritor nacional e ter escrito um livro tão bom que faz-se digno de ser lido.

Só preciso fazer um adendo: sei que tem muita gente que acha meio absurdo escritores nacionais escreverem livros ambientados fora do país ou mesmo com personagens que não tem nome brasileiros, mas creio que tais aspectos devam ser criticados apenas quando analisada toda a obra. Por exemplo, em Questão de Honra é perceptível que a intenção do escritor era exatamente ambientar sua estória em um país que desse mais respaldo a toda a conjuntura política, econômica e com personagens, embora fictícios, que fossem conhecidos por participarem de momentos cruciais na história mundial.

Enfim, achei o livro sensacional e não chega nem a pecar na diagramação: pois o volume tem detalhes na introdução de capítulos e ilustrações muito bonitas que enchem os olhos do leitor para o cuidado com a parte visual do livro. Questão de Honra é, sim, uma excelente opção para quem gosta de livros de espionagem, quem quer sair de sua zona de conforto, ou gostam de ler livros de autores nacionais.

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!