Resenha: A Voz do Silêncio, vol. 2 - Yoshitoki Oima

segunda-feira, setembro 21, 2020

A Voz do Silêncio (vol. 2), Yoshitoki Oima, São Paulo: New Pop Editora, 2014, 200 págs.
Tradução: Sayuri Tanamate
COMPRAR: Amazon | Outras Lojas

Saudações Leitores!
Estou bem empolgada para falar sobre A Voz Do Silêncio, vol. 2 (Koe no Katachi - 聲の形, 2014) da mangaka Yoshitoki Oima. A Voz Do Silêncio é uma série de mangás com 7 volumes, cujo primeiro volume (Resenha AQUI) me deixou apaixonada, vibrante e com um misto de vários sentimentos, então, obviamente, não demorei para pegar o volume dois. A propósito, como gostei tanto dessa série de mangás tem um especial no canal falando sobre os volumes CONFIRA AQUI.

Em A Voz Do Silêncio, vol. 2 já vamos acompanhar a história de Shouya Ishida e Shouko Nishimiya depois de decorridos 6 anos dos acontecimentos do volume anterior. Portanto, aqui o nosso protagonista Shouya já está com 17 anos e, mais maduro começa a refletir sobre seus erros do passado.

Após ter praticado bullying com Shouko, por ela ser uma garota surda, todos os "amigos" o culparam pela saída da garota da escola e, de bully, Shouya, acabou se tornou vítima de bullying, passando 6 anos de total sofrimento, mágoa, raiva, abandono e solidão na escola.


Shouya acabou ficando bastante depressivo e pensando em se matar, porém, decidiu que deveria pedir perdão a Nishimiya por tudo o que fez com ela e por todo o sofrimento que lhe causou. Com esse propósito, Shouya vai em busca de Shouko.

As coisas não são muito fáceis no começo, porque Shouko acaba fugindo de Ishida ao vê-lo, afinal, quem não teria medo ao ver um garoto bully que tanto lhe magoou?

Porém, o Shouya evoluiu bastante durante os 6 anos que passou em "exílio" e, acreditem, apesar de ter sofrido com o sofrimento dele (porque não acho que bullying deve se pagar na mesma moeda), fiquei bastante feliz por ele ter conseguido se autoavaliar e enxergar os próprios erros, de modo que quis se redimir e para isso ele aprendeu a língua de sinais japonesa (que no caso é chamada Shuwa) para poder pedir perdão para Shouko. (EU FICO ATÉ ARREPIADA!).


Então, depois de um primeiro momento de fuga, Shouko acaba tomando coragem e parando para falar com Shouya e qual foi a surpresa? Ele conversa com ela na língua de sinais e Shouko fica absolutamente impressionada (NESSE MOMENTO MEUS OLHOS FICARAM CHEIOS DE LÁGRIMAS).

Como já era de se esperar da fofa-maravilhosa-encantadora-gentil-poderosa Shouko, ela perdoa o Shouya e os dois começam a conversar e, talvez, surja aí uma amizade. É nesse momento que temos a verdadeira problemática de A Voz Do Silêncio, vol. 2 que será todo pautado na reflexão do que é e como se começa uma amizade.

Enquanto Shouya está muito abalado emocionalmente porque todos os amigos que ele achava possuir, nos últimos 6 anos lhe viraram as costas e praticaram bullying com ele, claro que acaba desacredita na amizade e já não sabe mais o que é ser amigo e qual a definição de amizade.

Por outro lado temos a Shouko que sempre foi uma garota solitária e vítima de bullying e que deseja fervorosamente ter amigos, então, claramente, quando Shouya aparece conseguindo "conversar" e compreendê-la, Shouko já vê uma possibilidade de amizade ali.


No entanto, as coisas não vão ser tão simples para que Shouya e Shouko sejam amigos, vai haver ali alguns empecilhos como a irmã de Shouko, Yuzuru, e até mesmo a mãe, afinal todos querem proteger Shouko de possíveis sofrimentos, até porque sabem quem é Shouya e que foi ele o motivo de Shouko ter sido transferida há 6 anos atrás da escola.

Todavia, não é apenas a família de Shouko que será um empecilho na amizade de ambos, o próprio Shouya Ishida também tem dúvidas se tem o direito e pode ser amigo de alguém a quem ele já fez mal e que causou sofrimento (É tão fofo quando ele fica buscando "motivos" para tentar encontrar com Nishimiya novamente!)

Ainda no âmbito de amizade, mas fazendo referência a transformação de Shouya, quando ele finalmente se redime e reconhece seus erros, sua vida começa a melhorar em todos os aspectos e ele desiste dos pensamentos suicidas e, nesse ínterim, acaba defendendo de bullying e conquistando a amizade de Tomohiro Nagatsuka, que era um garoto excluído de sua escola (Essa nova amizade de Ishida é maravilhosa!).

Como já mencionei que Shouya Ishida estava deprimido, por conta de todo o sofrimento que passou e guardou para si mesmo, resultando em pensamentos suicidas, quero falar um pouquinho a respeito disso, porque é, claramente, uma das maiores consequências do bullying e uma das mais recorrentes no mundo todo (e bastante no Japão), além disso, para a sociedade japonesa suicídio ainda é um tabu, apesar do país ter muitos casos e, no geral, é um problema em todo o mundo, e em decorrência disso, devemos discutir, pois sempre há uma saída, sempre há esperança!


Portanto, em A Voz Do Silêncio, vol. 2 temos essa mensagem de esperança e de que coisas boas podem acontecer de forma inesperada se a pessoa se abrir para novas experiências, não viver isolado, conversar, ter um propósito de vida.

Desse modo, temos a problemática do suicídio sendo explorada de maneira esperançosa, no entanto, como o mangá traz uma abordagem mais leve, esse tema também é tratado de forma mais leve inclusive até com um pouco de exagero, o que leva a uma certa comicidade.

Isso fica mais claro, por exemplo, quando a mãe de Shouya descobre que o filho possa estar deprimido e vai conversar com ele de forma histérica, porém, mesmo nessa cena que pode parecer engraçada, a princípio (o que me incomodou um pouquinho), a mensagem que ela passa é fundamental, pois a mãe diz que não sabia que o filho estava mal porque ele nunca falou ou demonstrou nada.

Essa cena é tocante porque mostra a importância de estarmos sempre vigilantes e atentos em relação as pessoas que estão próximas da gente. Trabalhamos tanto, ficamos tanto tempo correndo de um lado para o outro que não prestamos mais atenção nas pessoas, apenas nas coisas... Se prestássemos mais atenção nas pessoas a gente perceberia pequenos detalhes que talvez nos ajudasse a salvá-las de situações emocionais como essas.


Então, sim, eu amei A Voz Do Silêncio, vol. 2 achei que trouxe temas complexos, cotidianos e emocionantes de forma bastante equilibrada para a atmosfera do mangá, temas como: arrependimento, redenção, perdão, amizade, apoio familiar, proteção familiar, acessibilidade, a importância da língua de sinais, suicídio, esperança. AI MEU DEUS, tem um mangá mais perfeitinho do que esse?

Pra completar em A Voz Do Silêncio, vol. 2 a gente consegue entender mais os personagens, as vivências deles, as histórias familiares e, temos um conhecimento maior sobre a Shouko, que no primeiro mangá não tínhamos e eu senti falta, então, encontrar isso neste volume foi perfeito!

O ainda mangá fecha com chave de ouro, porque, tanto no vol.1, quando no vol.2 nas últimas páginas temos uma parte bastante educativa sobre a língua de sinais, tanto explicando que a Libras como a Shuwa são diferentes porque essas línguas são pautadas na cultura de cada país e que até mesmo dentro de cada país pode sofrer variações linguísticas na língua de sinais, mesmo tento seus aspectos gramaticais conservados.

Sem dúvida, vou colocar um ponto final neste veredito e pegar o próximo volume imediatamente, porque estou sedenta pela continuação dessa série. Partiu.

COMPRAR: Amazon | Outras Lojas

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Muito obrigada pelo Comentário!!!!