Resenha: “Pollyanna Moça” de Eleanor H. Porter

Saudações Leitores!
Nem acredito que li Pollyanna Moça, fazia um tempão que queria ler esse livro e finalmente o ganhei da Editora Martin Claret (parceira do blog), desde já quero agradecê-la pelo exemplar e pela oportunidade que me deu em conhecer tão bela obra. Estou muito contente por ter lido esse livro e espero que eu consiga passar esse meu contentamento através dessa resenha e, assim, poder fazer com que outras pessoas também se interessem em ler esta obra.


Pollyanna Moça, Eleanor H. Porter, 2ª ed., São Paulo: Martin Claret, 2008, 226 pág. 
(tradução: Luiz Fernando Martins)

      Após o grande sucesso que foi Pollyanna (Resenha AQUI), a autora, Eleanor H. Porter, resolveu dar continuidade a história da menina do “jogo do contente” publicando Pollyanna Moça (Pollyanna Grows Up) em 1915, isto é, dois anos após escrever Pollyanna. A autora se dedicou mais em escrever literatura infanto-juvenil. Nasceu em 1868 e faleceu 1920.
      Nesse livro, que dá continuidade ao primeiro, nos deparamos com o crescimento da menina Pollyanna e como ela cresce ainda jogando “O Jogo”. Durante a história Pollyanna vai ajudando seus amigos de maneira tão involuntária que nem ao menos aceita os créditos pela ajuda. A garota contente ainda continua a fazer novas e importantes amizades, entre elas estão: Mrs: Carew, James e Sadie.
      Mas a vida da garota Pollyanna tem uma reviravolta, desde a fazer viagens e ir morar no exterior à morte de seu tio e com isso seu retorno para “casa”. Mas a vida não será a mesma, pois as condições financeiras começam a ficar precárias e Pollyanna sente-se confusa ao descobrir novos sentimentos tão peculiares à vida, mas tão desconhecidos de Pollyanna, agora com vinte anos: “[...] não há alegria de amor que não carregue uma pontada de dor.” (p.208).
      Novamente a história é emocionante e encanta o leitor, embora tenha que admitir que o livro anterior (Pollyanna) é muito mais encantador, pois a personagem tem atitudes infantis tão comuns a sua idade. Mas já em “Pollyanna Moça”, a personagem é muito inocente para a idade de vinte anos, principalmente se levarmos em consideração que a mesma já viajou muito.
      Continuo admirando demasiadamente a forma como Eleanor H. Porter conta a história, sua narrativa é muito cativante e após se iniciar a leitura você não tem mais vontade de parar enquanto não terminar de ler. O vocabulário da autora é simples o que facilita a compreensão da leitura. Os capítulos são bem distribuídos.
      Um problema que enfrentei diz respeito à tradução, pois o livro anterior “Pollyanna” que li era de outra editora (Ediouro) e não achei bem traduzido, até alguns nomes de personagens são mudados consideravelmente o que dificultou minha leitura agora, pois conhecia os personagens por outros nomes. Já nessa edição da Martin Claret, percebo que a tradução é bem melhor e os nomes dos personagens originais são mantidos, e isso é ótimo! Acerca da capa eu achei meiga e muito linda.
      Em resumo, o livro é muito bom e merece ser lido tanto por crianças e adultos, tem lições e delicadezas que encantam a qualquer pessoa que carregue na alma um pouco de sensibilidade. Vez por outra, não consegui evitar uma lágrima. Leiam, leiam, leiam... Vocês vão adorar!

Camila Márcia

Confira resenha de Pollyanna AQUI.

6 comentários:

  1. Não li a esse livro, mas tenho certeza que é bom. Já li Pollyanna e adorei, fiquei muito emocionada. Vou ler esse também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, de tanto você falar desse livro eu fiquei louca pra ler Mila. Outro que você vive falando e que super quero ler é Meu Pé de Laranja Lima... aff, você hein só serve pra fazer eu ficar desejando ler livro!!! rsrsrs, GOSTO TANTO!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Muito fofo esse livro.
    Eu adoro lições de vida. Sempre busco tirar o melhor delas!

    Ótima resenha!
    Beijos :D

    ResponderExcluir
  4. Tenho uma colega que já leu esse e o Pollyana, e ela me disse que eram simplesmente fantásticos. Procurei saber mais quando soube disso, e acabei encontrando fatos sobre o livro que me instigaram a ler. Agora, com a memória reavivada, estou vendo que esse livro é realmente bom...

    ResponderExcluir
  5. Amei esse livro ele è tem uma mensagem muito importante

    ResponderExcluir
  6. Sinceramente. Livro chato pra caramba onde não acontece nada de muito interssante a não ser o acidente de Pollyana que acaba por mudar um pouquinho a estória já sem graça. Os nomes dos personagens são difíceis de memorizar e de pronunciar para crianças que estão entrando no ensino médio. Pra quem tem um pouco mais idade e se sentir interessado pode até ser bom, mas ainda assim achei o livro muito extenso e os capítulos se arrastam até chegar ao final.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!