SOCIAL MEDIA

Mostrando postagens com marcador Editora Martin Claret. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Editora Martin Claret. Mostrar todas as postagens
Razão e Sensibilidade, Jane Austen, São Paulo: Martin Claret, 2012, 453 págs.
Tradução: Roberto Leal Ferreira
COMPRAR: Amazon | Outras Lojas

Saudações Leitores!
Razão e Sensibilidade (Sense and Sensibility, 1811) escrito por Jane Austen, dispensa apresentações porque se trata de um romance clássico da literatura inglesa, acho que vale a pena mencionar que este é o segundo livro da escritora que leio, cujo primeiro foi Orgulho e Preconceito (que amei).

Fiquei bastante surpresa ao ler Razão e Sensibilidade, pois esperava um enredo e personagens tão incríveis como os que encontrei em Orgulho e Preconceito, porém, não foi bem isso que aconteceu aqui e mais, o ritmo desse livro também é bastante diferente do outro. Dupla surpresa, hein?!


Não é o tempo nem a oportunidade que determinam a intimidade, é só a disposição. Sete anos seriam insuficientes para algumas pessoas se conhecerem, e sete dias são mais que suficientes para outras.

Resenha: Razão e Sensibilidade - Jane Austen

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Jane Eyre, Charlotte Brontë, São Paulo: Martin Claret, 2014, 780 pág
Tradução: Carlos Duarte e Anna Duarte
COMPRAR: Amazon

Saudações Leitores!
Jane Eyre escrito pela escritora britânica Charlotte Brontë foi publicado originalmente em 1847 e faz parte do cânone da literatura mundial. Sempre quis ler Jane Eyre, por conta da personagem que todos falavam ter um comportamento muito à frente de seu tempo. Além disso é o tipo de romance de época que gosto, sem contar que assisti uma adaptação do livro que me deixou encantada e desde a época desejei ler.

Queria ter lido o livro há mais tempo, mas estou feliz por ter lido agora. O livro começa de uma forma que me deixou angustiada por toda a infância de sofrimento pela qual Jane Eyre passou, o quanto seus parentes a maltrataram e a abandonaram além de tratarem-na de forma tão injusta e cruel.
"É muito melhor suportar pacientemente com inteligência uma dor que ninguém sente, exceto você, do que cometer um ato precipitado cujas consequências terríveis se estenderão a todos que lhe são ligados."

Resenha: Jane Eyre - Charlotte Brontë

domingo, 24 de dezembro de 2017

Orgulho e Preconceito, Jane Austen, São Paulo: Martin Claret, 2012, 480 pág.
Tradução: Roberto Leal Ferreira
COMPRAR: Amazon, Saraiva

Saudações Leitores!
Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice, 1813) escrito pela inglesa Jane Austen está no rol dos clássicos da literatura inglesa. Tanto a obra quando a escritora dispensam apresentações, pois mesmo não tendo tido o verdadeiro reconhecimento na época de sua publicação original, posteriormente vem figurando entre os melhores livros da ficção já escritos. Além da obra já apresentar diversas edições há também várias adaptações cinematográficas da obra, sendo que a mais recente data de 2005.

Sempre tive intenção de ler Orgulho e Preconceito, mas tinha um certo receio de ser a única pessoa a não gostar da obra o que, graças a Deus, não aconteceu, agora ela também figura entre meus livros favoritos.

Resenha: Orgulho e Preconceito - Jane Austen

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Saudações Leitores!
Fazia muito tempo - muito tempo mesmo - que eu queria ler esse livro, desde quando a moda "vampiro" entrou em auge, pois sempre tive muita curiosidade de saber como tudo isso surgiu. Agora a Editora Martin Claret me deu a oportunidade de conhecer essa clássico de Bram Stocker. Muito obrigada!
A narrativa foi um pouco diferente de como imaginei, pois eu acreditava que saberia de tudo através de narração comum, mas a história é toda cotada através de epístolas e relatos, isso é bem interessante. Gosto de livros assim, mas vou deixar de devaneios: Confiram e deixem seus comentários na resenha...




Drácula – O Vampiro da Noite, Bram Stoker, São Paulo: Martim Claret, 2012, 4ª. edição,406 pág. (traduzido por Maria Luísa Lago Bittencourt)

Com o título original: Drácula, esta obra do escritor irlandês Bram Stoker (1847-1912) foi publicada pela primeira vez o ano de 1897. Bram Stoker foi um escritor irlandês que viveu de 1847 a 1912, é o autor do grande mito do vampiro, pois criou o vampiro mais conhecido de todos os tempos: Drácula. Antes de escrever seu tão célere livro, Bram, aprofundou-se através de pesquisas sobre folclore europeu e as mitológicas histórias dos vampiros.
Drácula – O Vampiro da Noite, é verdadeiramente uma história fascinante, contada através de epistolas, apesar de ser bem interessante essa forma de narrativa ela deixa de fora as verdadeiras origens do conde Drácula, sabe-se contudo que ele provém da Transilvânia e muda-se para Londres onde a maior parte dos relatos acontecem.

"Que espécie de homem será ele, ou que espécie de criatura disfarçada em homem? Sinto que os pavores deste lugar tenebroso me dominam; tenho medo... um medo horrível... e não posso fugir. Estou cercado de terrores tais que nem ouso pensar neles..." (p.52)

É através da obra de Bram que ficamos sabemos como se matar um vampiro, quais amuletos de proteção usar e como ele pode hipnotizar e controlar as pessoas, animais e até mesmo as condições ambientais.
A história começa com os relatos de Jonathan Harker que por ter sido contratado do Conde Drácula vai para Transilvânia e sofre o mais terrível pesadelo acordado. Após uma sucessão de fatos, ficamos a par que Lucy Westenra amiga de Mina Murray, futura senhora Harker, adoece e coisas estranhas acontecem nesse período. Nesse ínterim, o Dr. Seward solicita a presença do doutor Abraham Van Helsing, este percebe o que está acontecendo ali e toma todas as providencias necessárias para “cortar o mal pela raiz”, mas o tempo é implacável e nem sempre se pode mudar o destino.

"O sangue de um homem bravo é a melhor coisa na terra para uma mulher em dificuldade. Não há dúvida de que você é o homem. Bem, o diabo pode voltar-se contra nós com todas as suas forças, mas Deus nos envia homens quando deles necessitamos." (p.175)

A narrativa é bastante interessante e as cartas e relatos dão uma dinâmica à obra. Ademais os personagens são complexos, pois por mais que eles estivessem vendo que alguns fatos eram inconcebíveis, eles acreditavam duvidando (se é que me entendem).

"Deus tem Seu modo e tempo próprios de agir. Não se regozije nem receie no presente, pois aquilo que desejamos talvez nos cause a destruição." (p.329)

Uma coisa que achei muito interessante foi saber que o personagem Van Helsing está na obra de Bram, pois eu não fazia ideia de que ele era um personagem da obra clássica. Com certeza fiquei fascinada pelo livro e achei de uma maestria a composição, criatividade e os aspectos fantásticos e góticos.
Muito indicado Drácula – O Vampiro da Noite, para todas as pessoas que tem curiosidade de conhecer a história que originou todas as outras histórias de vampiros. Sei que muita gente já leu algo sobre vampiro, mas é sempre bom saber como tudo começou.

Camila Márcia

Resenha: Drácula – O Vampiro da Noite - Bram Stoker

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Saudações Leitores!
Alice no País das Maravilhas é um dos livros mais diferentes que já li na minha vida. No sentido de ter uma história muito curiosa e inusitada e apesar de sempre querer ler eu nunca imaginei o que deveria esperar do livro. Diferente é a única palavra que me vem a cabeça. Confiram:


Alice no País das Maravilhas, Lewis Carrol, 2 ed, São Paulo: Martin Claret, 2011, 150 pág. (tradução de Márcia Feriotti Meira)

Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland) foi publicado originalmente em 1865 e escrito pelo inglês Lewis Carrol pseudônimo de Charles Lutwidge Dodgson (1832-1898). Carrol é também autor de Alice no País dos Espelhos (1872) entre outras obras.
A obra nos traz a menina Alice, uma garota inteligente e muito simpática. Num dia quando ela e sua irmã estavam à beira do riacho ela observa um Coelho Branco passar muito apressado e o mais assustador: o coelho falava, mas Alice não se assustou, pelo contrário ficou tão curiosa que saiu atrás do Coelho e vendo-o entrar por uma toca, arriscou ir também e caiu, caiu, caiu e quase não parou mais de cair, o poço era tão profundo que Alice tinha a impressão de estar indo parar do outro lado da terra.
"Ou o poço era mesmo muito fundo, ou era ela que caía muito devagar, porque enquanto caía teve tempo de sobra para ficar olhando tudo ao seu redor e imaginar o que aconteceria em seguida." (p. 18)
Então ela cai num lugar totalmente diferente e inusitado, um lugar mutável, eis que aos poucos o leitor é apresentado ao inesquecível ‘País das Maravilhas’, um lugar complemente inventado e onírico. Alice parece aceitar todas as coisas bizarras como se elas fossem normais (coisa que só uma criança seria capaz de aceitar), mas em alguns momentos, percebemos os inúmeros questionamentos e receios da menina, que apesar de aceitar quer também entender o que acontece ali.
"Chego quase a me arrepender de ter entrado por aquela toca de coelho. Mas... no entanto... é muito interessante esse tipo de vida! Fico imaginando o que será que realmente aconteceu comigo e não chego a nenhuma conclusão. Antigamente quando eu lia os contos de fadas, eu achava que essas coisas não aconteciam na vida real. E aqui embaixo parece que estou bem no meio de uma dessas histórias." (p.48)
Os questionamentos de Alice são bastante pertinentes para a reflexão e obviamente a obra foi escrita para crianças, mas traz arraigada nela vários valores sociais, políticos e filosóficos presentes na vida e em todos os tempos.
_ Que tipo de gente mora por aqui?
_Naquela direção_ disse o Gato, apontando com a pata direita_ mora um chapeleiro. E naquela_ apontou com a outra pata_ mora a Lebre de Março. Visite qual deles quiser: os dois são loucos.
_Mas não quero me meter com gente louca_ ressaltou Alice
_Mas isso é impossível_ disse o Gato._ Porque todo mundo é meio louco por aqui. Eu sou. Você também é." (p.76)
Alice no País das Maravilhas é um livro muito diferente, pois como num sonho em que as cenas mudam e você não entende, assim acontece em Alice também. As ‘cenas’ mudam rapidamente, animais desaparecem misteriosamente e todos eles falam e tais eventos são tão inerentes à história que depois que se pega o ritmo o leitor começa a aceitar essas mudanças e entra no ‘sonho’.
Lewis realmente escreveu um livro encantador e uma personagem que fascina o leitor, não é à toa que Alice mesmo após 147 anos tem uma legião de admiradores, definitivamente Carrol imortalizou Alice e os demais personagens bem como O País das Maravilhas.
Outro ponto que vale frisar é que essa segunda edição da Martin Claret além de ter uma capa muito bonita e manter o formato de bolso – o que gera praticidade na hora de manusear –, apresenta ilustrações de John Tenniel em toda a obra o que nos permite visualizar alguns eventos relatados nas páginas bem como os personagens imortalizados.
Livro indicado a crianças (que serão capazes de voar em cada página) e também para jovens e adultos, não há contra indicações de idade, pelo contrário, quem quiser se aventurar pelo País das Maravilhas só há duas formas: pela toca do coelho, que é difícil ser achada já que não temos nenhum mapa disponível (google maps não funciona neste caso queridos) ou através do livro que é como um passaporte. Então, boa viagem!

Camila Márcia

Resenha: Alice no País das Maravilhas - Lewis Carrol

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Saudações Leitores!
Vamos ficar por dentro de mais novidades da Editora Martin Claret, desde já antecipo que entre os lançamentos temos os livros: As Aventuras de Pinóquio e O Cão dos Baskerville, confiram e deixem seus comentários!

Leviatã nº 1
Thomas Hobbes – Coleção A obra-prima de cada autor – Série Ouro
Código do Produto: 9788572327626
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 762 - 6

Leviatã (1651) é a mais importante criação de Thomas Hobbes e considerada por muitos sua obra-prima.
A filosofia de Hobbes, especialmente sua teoria a respeito da origem contratual do Estado, exerceu profunda influência no pensamento de Rousseau, Kant e dos enciclopedistas. Além disso, contribuiu para preparar, no plano ideológico, o advento da Revolução Francesa.
Partidário do absolutismo político, defende-o sem recorrer à noção do “direito divino”.
Segundo o filósofo, a primeira lei natural do homem é a da autopreservação, que o induz a impor-se sobre os demais – “guerra de todos contra todos”. Leviatã é, sem dúvida, leitura obrigatória para os interessados em filosofia.

Fábulas nº 200
Jean de La Fontaine – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572328630
ISBN: 978-85-7232-863-0

Considerado o pai da fábula moderna, La Fontaine tornou-se conhecido internacionalmente com suas criações inspiradas na tradição clássica e oriental.
Fábulas é sua obra mais famosa. Escrita em versos, com uma linguagem simples e atraente que conquista imediatamente seus leitores, inclui histórias mundialmente conhecidas, como A cigarra e a formiga, O corvo e a raposa e A lebre e a tartaruga
La Fontaine trata de temas universais, como a vaidade, a estupidez e o vício humanos, retratados por meio dos animais. Segundo ele, sua obra “é uma pintura em que podemos encontrar nosso próprio retrato”.
Esta edição é uma antologia de suas mais importantes composições, traduzidas por célebres escritores brasileiros e portugueses, com ilustrações de Grandville.

O Príncipe e o Mendigo nº 112
Mark Twain – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 978 - 85 - 7232 - 857 -9
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 857 -9

Mark Twain é considerado um dos maiores escritores norte-americanos. Durante sua vida, foi uma testemunha ocular da história de seu país, assistindo às muitas mudanças que a jovem nação enfrentava. Em meio a conflitos internos, ao crescimento da população, à escravidão e à expansão da indústria, Twain retratou a realidade dos Estados Unidos de forma abrangente – seja com uma prosa leve ou com ácidas críticas sociais.
O Príncipe e o Mendigo (1880) narra as aventuras de dois meninos fisicamente idênticos, que ao trocarem de lugar enfrentam realidades totalmente diferentes. Voltado ao público infantil, mescla, com qualidade, uma narrativa leve e juvenil com uma crítica à exploração das classes pobres. 

As Aventuras de Pinóquio nº 88
Carlo Collodi – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572328623
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 862 - 3

“Não era madeira nobre, mas um simples pedaço de lenha, desses que, no inverno, metem-se nos fogões e nas lareiras para acender o fogo e aquecer a casa.” Essa é a origem de Pinóquio, até que Mestre Cereja o descobre e faz dele um boneco de madeira. Mas Pinóquio não fica exatamente satisfeito, quer ser um menino.
Mas à parte a história que todos conhecem, visto que imortalizada pelos estúdios Disney, a versão original de Pinóquio é muito diferente. Recheada de um humor tipicamente italiano e de ironia mordaz, a história de Carlo Collodi retrata a dureza e crueldade da vida. Pinóquio passa uma série de dificuldades para aprender a ser um bom menino. Sua vaidade, sua ingenuidade e seu egoísmo são postos em xeque para que ele possa efetivamente transformar-se.
Pinóquio é um clássico de todos os tempos, no qual magia, humor e fantasia se misturam e encantam todos os tipos de leitores. 

O Cão dos Baskerville nº 64
Sir Arthur Conan Doyle – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572328609
ISBN: 978-85-7232-860-9

O detetive Sherlock Holmes e seu fiel amigo dr. Watson retornam em mais uma série de mistérios, assassinatos, pistas e perseguições em O cão dos Baskerville.
Considerada uma das melhores aventuras do detetive, a obra foi originalmente impressa em partes, publicadas pela revista Strand Magazine de agosto de 1901 a abril de 1902, quando, no mesmo ano, foi lançada em formato de livro.
O mistério a ser solucionado envolve a morte de Sir Charles Baskerville e um cão fantasmagórico que aterroriza os moradores da mansão Baskerville Hall.
O cão dos Baskerville possui uma história eletrizante que se tornou um clássico da literatura policial e promete prender a atenção do leitor a cada virada de página.

Lançamento: Leviatã... e outros

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Saudações Leitores!
Não sei se vocês curtem, mas eu particularmente adoro a praticidade dos livros de bolso, pois cabem em toda bolsa e - para nós mulheres - é fantastico poder levar a leitura para qualquer lugar possível.Então, hoje trago para vocês dicas de leituras - e lançamentos - de umas das melhores editoras de bolsos que disponibilizam obras clássicas, o melhor: por ótimos preços!!!!!! (todos gritam, kkk)

A Viuvinha / Encarnação nº 62
José de Alencar – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572324571
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 457 - 1

José de Alencar é um dos maiores representantes da ficção romântica nacional e um dos fundadores de uma literatura brasileira autônoma de Portugal.
Em seus romances urbanos A Viuvinha (1860) e Encarnação (1893), Alencar presenteia o leitor com histórias de amor, paixões, ciúmes, heróis e heroínas, apresentando os costumes, comportamentos e interesses da sociedade carioca na época do Segundo Império.
Caracterizados pelos preceitos medievais de revelação e conversão cristãs, e de amor e honra heroicos, os romances deste volume possuem importantes valores do Romantismo universal: o culto ao eu, o idealismo, o pessimismo e a melancolia.

Brás, Bexiga e Barra Funda nº 74
Antônio de Alcântara Machado  – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572323635
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 363 - 5

O paulistano Antonio de Alcântara Machado se destacou no movimento modernista quando publicou sua série de contos reunidos no livro Brás, Bexiga e Barra Funda (1927). Seus contos são muito elogiados pela crítica e retratam com humor e exatidão a vida na São Paulo da década de 1920.
Brás, Bexiga e Barra Funda é composta por 11 contos que nasceram da experiência do autor como jornalista e são recheados do linguajar típico das notícias. Os três bairros paulistanos que dão nome ao livro retratam a influência e a integração dos imigrantes italianos na cidade de São Paulo.
Esta edição reúne também os 12 contos de Laranja da China (1928). Fruto de uma paródia do Hino Nacional muito popular na época de Alcântara Machado, “Laranja da China” é uma expressão que dá o tom humorístico e nacionalista aos contos, todos eles pincelados de humor e linguagem coloquial.

Kama Sutra nº 167
Vatsyayana – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572328616
ISBN: 978-85-7232-861-6

Escrito para a nobreza da Índia por Vatsyayana, estudante celibatário que viveu em Pataliputra, o Kama Sutra faz parte da literatura religiosa hindu. Apesar do caráter erótico e com foco no prazer, seus ensinamentos pregam, em primeiro lugar, a elevação espiritual do homem.
Kama significa amor, prazer e satisfação. O termo é um dos pilares da religião hindu, em conjunto com o Dharma e o Artha (o mérito religioso e a aquisição de riquezas, respectivamente).
A obra foi composta nos séculos I e II da nossa era e proclama a arte indiana do amor. O mundo ocidental conheceu o Kama Sutra por meio da clássica tradução de Sir Richard Francis Burton e Foster Arbuthnot.
Atemporal, Kama Sutra é o maior clássico indiano sobre a arte do amor.

Elogio da loucura nº 37
Erasmo de Rotterdam – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572327541
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 754 - 1

Escrito em 1509 e publicado em 1511, Elogio da loucura é considerado um dos mais importantes livros da civilização ocidental e um grande influenciador da Reforma Protestante.
Neste ensaio singular, repleto de alusões clássicas, escritas no estilo típico dos humanistas do Renascimento – em que a loucura é a narradora que ao longo do texto vai mostrando o quanto está presente no mundo dos homens e que, no fundo, é quem torna a vida mais branda e suportável –, Erasmo critica o ensino da Escolástica, os falsos sábios distanciados da vida simples, a suntuosidade do alto clero em contraste com os ensinamentos de Cristo, a hipocrisia das instituições humanas e as guerras.
Uma das grandes obras do Renascimento, Elogio da loucura influenciou o processo das profundas transformações que marcaram o fim da Idade Média e início da Idade Moderna.

Mahatma Gandhi nº 177
Huberto Rohden – Coleção A obra-prima de cada autor
Código do Produto: 9788572321129
ISBN: 978 - 85 - 7232 - 112 - 9

Mahatma Gandhi (1958), escrito pelo filósofo e educador Huberto Rohden, é um marco importantíssimo na cultura brasileira.
Rohden foi um dos primeiros a trazer para o Brasil a biografia espiritual do imortal líder, místico e político indiano.
Gandhi é um fenômeno de incrível força cósmica. Sua mensagem de não violência é a mais revolucionária estratégia social, política e religiosa dos nossos tempos.
A obra, fartamente ilustrada, contém uma série de fatos interessantes, descrevendo a trajetória de Gandhi: seus estudos, sua vida pessoal, suas ações como líder do movimento de independência da Índia, sua vida espiritual e sua influência para a humanidade.

Lançamento: A Viuvinha... e outros

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Saudações Leitores!
Não deixem de conferir alguns lançamentos dos clássicos da Martin Claret, que traz livros de autores consagrados como: Eça de Queiroz, Edgar Allan Poe, Conan Doyle, entre os lançamentos do mês de maio:

O ÚLTIMO ADEUS DE SHERLOCK HOLMES -  No 133
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: Sir Arthur Conan Doyle
ISBN: 978-85-7232-833-3
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 457
R$ 14,90

Sinopse: Mais famoso do que seu próprio criador, o detetive retorna em mais uma série de contos em O último adeus de Sherlock Holmes. Vendido em forma de livro em 1917, os contos foram originalmente publicados na revista Strand Magazine, entre os anos de 1893, 1908 e 1917. Sherlock havia se aposentado no volume anterior, mas os fãs do detetive não deixaram Conan Doyle em paz e, com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, o detetive volta à ativa como um agente secreto.
Aqui, você pode ler e se deliciar com os novos casos emocionantes narrados por Watson: “Vila Glicínia”, “O círculo vermelho”, “Os planos do Bruce-Partington”, “O detetive moribundo”, “O desaparecimento de Lady Frances Carfax”, “O pé do diabo” e “Seu último adeus”.

HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS -  No 32
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: Edgar Allan Poe
ISBN: 978-85-7232-823-4
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 118
R$ 14,90

Sinopse: "Poe é uma influência determinante em toda a nossa modernidade, o criador das histórias de detetive e das tramas de ficção científica, presente nas atualíssimas tendências fantásticas, góticas e underground. Mas ele é, acima de tudo, um esteta de talento que abriu caminhos para todas as correntes literárias de linha subjetivista e barroca que vieram depois dele. Trata-se de um escritor-crítico que tem pleno domínio da arte retórica e da arte poética, um artífice que controla, com mão de ferro e cordas de alaúde, os efeitos que exerce em seu leitor. Um arquiteto do estilo que sabe estruturar um conto como poucos (...).” Eliane Fittipaldi
Traduzido por Eliane Fittipaldi e KatiaM. Orberg, Histórias extraordinárias reúne alguns dos mais conhecidos e importantes contos de Edgar Allan Poe: O gato preto, O enterro prematuro, A queda da casa de Usher, William Wilson e O poço e o pêndulo.

O PRIMO BASÍLIO -  No 10
Coleção Obra-Prima de Cada Autor - Série Ouro
Autor: Eça de Queiroz
ISBN: 978-85-7232-528-8
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 457
R$ 22,90

Sinopse: Na segunda metade do século XIX, os ideais liberais consolidavam-se sobre os defensores da monarquia em Portugal, e o país vivia relativo progresso. Todavia, velhos costumes permaneciam entranhados na sociedade portuguesa, ocultos sob o véu tênue da moralidade. Em meio a esse conflito entre progresso e atraso, surge a chamada geração de 1870.
Dessa geração, provêm alguns dos maiores nomes do pensamento português, dentre os quais Antero de Quental, mentor intelectual do grupo, e Eça de Queirós, o mais importe prosador realista em Portugal.
Em O primo Basílio, Eça nos apresenta uma típica família burguesa de Lisboa, por meio da qual exporá a fragilidade de algumas das instituições mais caras aos portugueses –o casamento.  

A DOUTRINA DE BUDA -  No 135
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: Bukkyo Dendo Kyokai
ISBN: 978-85-7232-859-3
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 214
R$ 14,90

Sinopse: O substantivo “buda” significa “iluminado” e é derivado do nome de uma árvore (bodhi). Como nome próprio refere-se ao príncipe Siddharta Gautama, fundador de uma das grandes religiões do mundo, e, para os budistas, modelo de perfeita virtude.
A referência à árvore remete à história de que depois de anos de experiências ao noroeste da Índia, sentado embaixo de uma árvore, Buda alcançou finalmente o nirvana, isto é, o estado que permite contemplar o ciclo da reencarnação universal.
Esta obra foi idealizada pela Fundação para a propagação do Budismo e possui distribuição mundial. Um verdadeiro alimento para o espírito, a tradução brasileira foi possível graças aos esforços do sr.Yehan Numata.
 
BHAGAVAD GITA -  No 164
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: Krishna
ISBN: 978-85-7232-170-9
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 194
R$ 14,90

Sinopse: Bhagavad Gita (A sublime canção), poema místico-filosófico, é o episódio mais célebre do Mahabharatae (o texto mais venerado pelos hindus.)
Um manual de assertividade, ele nos aponta que a humanidade encontra-se perdida entre dois caminhos: o da passividade, em que o homem, consciente das leis do karma, opta por não agir; e o da agressividade, de acordo com o qual o homem age movido pelo ego, pelos próprios interesses. O Bhagavad Gita então aponta um novo caminho, o caminho do sábio: o reto-agir, o agir de acordo com a essência suprema do ser, agir segundo os mais nobres valores.
Traduzido e comentado pelo filósofo e educador Huberto Hoden, este livro é um verdadeiro compêndio das ideias do hinduísmo.

Lançamento: O Último Adeus de Sherlock Holmes... e outros

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Saudações Leitores!
Vamos conferir alguns lançamentos de autores nacionais do cânone literário deste mês de maio da Martin Claret.
Entre os livros lançados pela editora neste mês temos obras de Álvares de Azevedo, José de Alencar, Bernardo Guimarães e Machado de Assis.
O mais legal dos lançamentos da Martin Claret é que estão adquirindo capas super modernas e bem artísticas, confiram os detalhes dos livros e sinopses:

LIRA DOS VINTE ANOS - No 19
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: Álvares de Azevedo
ISBN: 978-85-7232-342-0
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 230
R$ 14,90

Sinopse: Como todo romântico influenciado fortemente por Lord Byron, a poesia de Azevedo contém traços marcantes de desejo, decepções, morbidez, tédio, melancolia e vício.
Mesmo muito jovem, Álvares de Azevedo se cansou da vida e dos dramas que todo adolescente enfrenta, usando esse descontentamento e a angústia da alma como combustível para suas criações.
A Lira dos vinte anos é uma de suas obras mais célebres e inclui alguns de seus poemas mais famosos: “Idéias íntimas”,“Spleene charutos”,“Lembranças de morrer”,“É Ela! É Ela! É Ela! É Ela” e “Se eu morresse amanhã”. 

O GUARANI - No 17
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: José de Alencar
ISBN: 978-85-7232-338-3
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 379
R$ 14,90

Sinopse: O guarani –romance mais famoso de José de Alencar –foi uma das primeiras obras criadas com o objetivo de fundar uma literatura brasileira autônoma de Portugal.
Em meio à história de amor entre o índio Peri e a moça branca Ceci, José de Alencar cria uma narrativa épica, cheia de amor, aventura, traição, lutas e vingança, prendendo a atenção do leitor a cada nova página.
O romance proclama a brasilidade, focando importantes aspectos da realidade brasileira do século XVII: o índio e o branco; a cidade e o campo; o sertão e o litoral.


A ESCRAVA ISAURA - No 10
Coleção Obra-Prima de Cada Autor

Autor: Bernardo Guimarães
ISBN: 978 -85 -7232 -291 -1
Formato: 14 x 21
Nº de Páginas: 193
R$ 14,90

Sinopse: A campanha abolicionista de 1875 foi o pano de fundo perfeito para a publicação de A escrava Isaura. A obra narra as muitas desventuras de uma escrava branca, bela e de caráter nobre, que vive sob o jugo de um luxurioso e cruel senhor.
O romance –folhetim anti-escravagista e libertário, com fortes traços de idealização romântica –foi um grande sucesso editorial, conquistando a imaginação popular ante as situações intoleráveis do cativeiro e transformando Bernardo Guimarães em um dos mais populares romancistas de sua época no Brasil.
Além de retratar a realidade brasileira, A escrava Isauraajudou a construir a identidade nacional do país recém-independente, mantendo-se como um clássico de leitura imperdível.

CONTOS FLUMINENSES No 252
Coleção Obra-Prima de Cada Autor
Autor: Machado de Assis
ISBN: 978-85-7232-718-3
Formato: 14 x 21
No de Páginas: 214
R$ 14,90

Sinopse: Machado de Assis é o maior nome do conto brasileiro em seus moldes clássicos. Contos fluminenses é composto de sete histórias, e representa a estreia do escritor como contista.
As narrativas revelam algumas das marcas registradas do autor, com personagens complexos e passagens recheadas de ironias e críticas à sociedade fluminense.
Organizada por Machado em 1870, a obra contém os contos “Miss Dolar”, “Luís Soares”, “A mulher de preto”, “O segredo de Augusta”, “Confissões de uma viúva moça”, “Linha reta e linha curva” e “Frei Simão”.

Gostaram? Então aguardem mais novidades da editora! Boas Leituras!

Lançamento: Lira dos vinte anos... e outros

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Instagram