Entrevista 4#: Sergio Carmach

Saudações Leitores!
Mais uma entrevista realizada aqui no blog, dessa vez temos o escritor parceiro Sergio Carmach com entrevistado, ele é autor do livro Para Sempre Ana (resenha AQUI) que de antemão já superindico. Ele gentilmente concordou em responder algumas perguntinhas enviadas por mim e fiquei muito feliz com as respostas. Espero que vocês gostem, confiram:

 

Olá Sergio Carmach?! Gostaria de parabenizá-lo pelo seu livro Para Sempre Ana e dizer que é um prazer poder realizar esta entrevista com você.
Oi, Camila. É um grande prazer estar aqui conversando com você e seus leitores. Muito obrigado por me abrir esse espaço em seu blog.

DLL: É impossível não fazer essa pergunta, pois, como leitora, é sempre um prazer saber quem é o escritor além das páginas de seus livros. Conte-nos um pouco quem é Sergio Carmach.
Carmach: Respondendo à sua pergunta, acho que sou um cara simples, honesto, prestativo, metódico, que gosta de fazer tudo com a mais absoluta perfeição, que valoriza a essência, desligado de cartilhas, que tenta ser sempre justo... Também sou impaciente, às vezes chato, um pouco seco, cheio de manias... A-M-O o silêncio, detesto futebol... Chega, né?! rs

DLL: Desde criança você escreve, mas é também da infância seu desejo de ser escritor?
Carmach: Com certeza! Nos anos 70, o Círculo do Livro abriu um concurso literário infanto-juvenil e publicou os trabalhos vencedores em um livro chamado Mundo Jovem. Eu estava participando e, como precisava entregar o texto datilografado (naquela época, claro, não existia computador), minha mãe começou a batê-lo à máquina. O problema é que a história tinha muitos diálogos em uma língua alienígena (Português ao contrário rsrs) e minha mãe acabou perdendo a paciência (no idioma dos ETs, ela disse: siam otneuga oãn !agehc). Acabei não finalizando minha participação, já que eu só sabia catar milho no teclado da máquina :( :( :(

DLL: Que tipos de Livros você costuma ler? Algum autor preferido?
Carmach: Não gosto de nada levinho. Prefiro livros, filmes, quadros, músicas etc. que sejam densos e, de preferência, que provoquem reflexões. Então, eu poderia dizer que tenho um tipo preferido de literatura, não um autor preferido.

DLL: De onde você buscou inspiração para escrever Para Sempre Ana? Como surgiu a história?
Carmach: Histórias são como o Big Bang. Surgem aparentemente do nada. E a explosão inicial vai, aos poucos, gerando estruturas cada vez mais complexas, até criar maravilhas. O Big Bang do Para Sempre Ana foi em 2000, ano em que surgiu a primeira materialização do livro (um embrião de 80 páginas). Esse texto veio sei lá de que recanto do meu cérebro e ficou praticamente estático até 2008, quando finalmente começou a tomar rumos incríveis e inesperados. O universo de Para Sempre Ana tomou a forma atual em 2009. Mas é bom frisar que os exemplares à venda nas livrarias (a 1ª edição, de 2011) já estão defasados, pois a história ganhou uma página muito importante, a meu ver, no último capítulo. Espero que saia uma nova edição com esse acréscimo.

DLL: Ana é uma personagem bem complexa. Ela foi inspirada em alguém que você conheceu ou conhece?
Carmach: Não. E eu só fui conhecendo de verdade a Ana no decorrer da escrita. Ela mexeu comigo além do esperado!

DLL: O que mais me intrigou em Para Sempre Ana é a personagem principal, Ana, ter sido “pintada” na primeira parte do livro de uma forma a fazer o leitor ficar com raiva dela e só posteriormente nas partes subsequentes a personagem vai sendo descoberta tal como ela é. Enquanto a maioria dos escritores faz um esforço enorme para fazer com que os leitores se encantem com os personagens, você faz com que o leitor praticamente deteste Ana, por quê?
Carmach: A ideia não é fazer com que o leitor deteste a Ana, mas que fique intrigado com seu comportamento. Se o leitor sente raiva dela no início, é sinal de que ele gosta de julgar as pessoas pela aparência ou sem se aprofundar muito nas situações. Essa maneira de agir, aliás, é bastante comum no ser humano. Gostamos de julgar todo mundo; e de forma rasa, com base apenas nos nossos achismos e preconceitos.

DLL: Conte-nos seus projetos para o futuro: já tem algum outro livro para ser publicado ou alguma história já mora em seus pensamentos?
Carmach: Estou escrevendo um livro cuja trama está me envolvendo completamente. Garanto que será uma história tão diferente, cheia de reviravoltas e surpreendente quanto a de Para Sempre Ana. O protagonista é um oficial nazista, que se julga controlado por forças ocultas após ter feito uma suposta viagem ao inferno. O leitor só saberá o que é realidade e o que é ilusão quando chegar ao final da leitura.

DLL: Sergio, muito obrigada pela entrevista, foi realmente um prazer saber um pouco mais de você, de seu trabalho e do processo de criação. Espero que tenha gostado e para finalizar gostaria que você deixasse um recado para os leitores do De Livro em Livro...
Carmach: Sou eu que agradeço a oportunidade de falar com você e com seus leitores, Camila. E meu recado é simples: não veja a vida como os outros querem que você veja; enxergue as coisas com seus próprios olhos. Seja autêntico! E seja feliz! Um grande abraço e obrigado a todos mais uma vez.

Espero que tenham gostado da entrevista e fiquem por dentro das novidades do autor aqui no blog ou em suas redes sociais:

7 comentários:

  1. Gosto muito...Boa entrevista! Li o livro e gostei...agora ele está concorrendo no post de moda do meu blog^^. Olha, desejo muita sorte na promoção da Alice. Beijos!
    http://palomaviricio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Seus comentários sobre são sempre positivos, e pelo que o Sérgio disse sobre Para Sempre Ana, esses comentários fazem jus ao livro. Parece ser interessante. Aliás, achei fantástica a comparação com o Big Bang *-*

    Parabéns pela entrevista Mila :D
    Beijos
    Ricardo - www.overshock.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Realmente a entrevista ficou ótima e as respostas foram bem interessantes. Porque as vezes eu leio outras entrevistas e vejo que as perguntas são demasiadas simples e as respostas as vezes não são explicativas...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Tá ótima a sua entrevista Mila. As respostas estão bem esclarecedoras.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia nem o autor e nem o livro, assim é bom que já fiquei sabendo um pouco do 'making of' e agora já vou procurar o livro. O título parece meio de livro histórico, contos de fada... remete a isso.

    ResponderExcluir
  6. Eu ja li o livro dele e simplesmente amei *-* É sempre bom conhecer mais sobre os autores por meio de entrevista que por sinal foi muito bem feita... parabéns!

    bjos,
    http://www.just-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Otima a entrevista, e adorei o jeito que ele respondeu-as. Gosto as vezes de procurar conhecer os autores, mesmo quando não conheço as obras deles. Acho que isso também me leva a querer comprar um livro.. Quando se conhece um pouco mais do autor :)

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!