Resenha: “Noites de Tormenta” de Nicholas Sparks

Saudações Leitores!
Apesar da correria que está minha vida eu tenho conseguido um tempinho para ler e isso me deixa super feliz. Então, como eu tenho alguns livros que ainda não li do Nicholas na minha estante, resolvi pegar Noites de Tormenta para ler e só posso dizer uma coisa: todos deveriam ler, é maravilhoso! Eu, como sempre, me emocionei muito e até chorei ao final do livro (e durante também, kkk). O Nicholas tem o dom de me fazer chorar com os livros dele... Leiam a resenha e digam o que acharam, embora minha resenha não transpareça nem a metade daquilo que senti ao ler:


Noites de Tormenta, Nicholas Sparks, São Paulo: Novo Conceito, 2008, 173 pág. (traduzido por Saul Barata)

Lançado originalmente em 2002 com o título “Nigth in Rodanthe” é mais um romance do escritor best-seller Nicholas Sparks, autor de outros romances como “A Última Música”, “Querido John”. Bem como alguns de outros romances de Nicholas este teve uma adaptação cinematográfica. Sparks, nasceu em Omaha, Nebraska em 1965.
Noites de Tormenta” conta a história de Adrienne Willis e Paul Flanner, que por um acaso, ou força do destino se conhecem em um fim de semana e acabam se apaixonando perdidamente.
Adrienne foi traída pelo marido, Jack e estava separada há três anos dele, mas ainda não havia superado a separação, morava com seus três filhos Matt, Amanda e Dan. Paul Flanner estava recém-separado da esposa Martha, não se entendia com o filho Mark, e vivia apenas para o trabalho (ele era médico), negligenciando tudo o que tinha a ver com a família.
Seria um final de semana comum para Adrienne se sua amiga Jean não tivesse pedido para tomar conta de sua pousada, pois um cliente tinha reservado um quarto. Esse cliente era Paul, que havia ido para Rodanthe para conversar com o marido de uma de suas pacientes que faleceu após cirurgia. Justo nesse final de semana haveria uma forte tempestade na praia.
"Fui lá para encerrar um capítulo de minha vida, esperando que isso me ajudasse a encontrar meu caminho. Mas era você, eu acho, que eu estava procurando todo esse tempo." (p. 19)
Mas após o final de semana Paul tem que partir para o Equador e se encontrar com seu filho e pedir perdão, recomeçar sua relação paternal enquanto Adrienne tem que voltar para casa e continuar cuidando dos filhos além de perdoar o ex-marido pela traição. Um ano era o prazo para que os dois voltassem a se ver. Um ano é tempo demais para se prever o futuro.
O que mais me fascinou na história foi ela ter acontecido com personagens mais maduros, Adrienne tinha 45 anos enquanto Paul 54. Ambos, apesar de terem histórias particulares, eram também parecidas e os dois estavam vivendo um momento de busca por uma identidade, por um recomeço. E todo recomeço só é possível a partir do perdão.
Sabemos da história de Adrienne e Paul através da própria Adrienne, que decide contar para sua filha Amanda, que recentemente perdeu o marido, Brent, e deixa os filhos em total abandono se martirizando pela morte do esposo.
"Quanto maior o amor, maior a tragédia quando acaba. Esses dois elementos sempre andam juntos." (p. 127)
Eu jamais seria capaz de traduzir em palavras a beleza desta história que comove o leitor e é impossível não deixar rolar lágrimas durante a leitura, mais do que um livro para entreter, este é um livro para emocionar e ensinar ao leitor que sempre podemos recomeçar e que não importa o que aconteça o amor resiste qualquer barreira seja física ou temporal.
Apesar de quebrar com o modelo clássico de “e foram felizes para sempre” tão comum nos contos de fadas, Nicholas nos apresenta uma história tão verdadeira e tão possível que emociona cada vez mais. Isso não quer dizer que não existe felicidade, mas que há muitos tipos de felicidade possíveis e que ela é fruto de nossas escolhas.
"O fato de poder olhar para seu passado e perceber que não mudaria muita coisa fazia com que o sono fosse bem melhor nos dias de hoje" (p. 13)
Sem dúvida, sem titubear, sem hesitar eu indico Noites de Tormenta, e aviso que a sensibilidade – para aqueles que a tem – é algo que aflora durante a leitura, e mesmo não sendo uma leitura com personagens adolescentes é impossível não suspirar por Paul e Adrienne.

Camila Márcia

12 comentários:

  1. Olá Camila, adorei seu blog, estou seguindo. Já li Noites de Tormenta e gostei bastante, sou fã do Nicholas. Sua resenha ficou maravilhosa. O único livro do Nicholas que ainda não li foi O Melhor de Mim, mas quero ler o quanto antes. Fã.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que livro trágico! É muita tragédia, muitas decepções, problemas, e ainda sim consegue nascer um amor no meio de tudo isso. Eu gostaria de ler, e essa resenha aumentou a vontade, rs. Todo livro, ao final, nos deixa alguma lição, e esse vai além disso, creio eu. Adorei a tua resenha!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. realmente livros do Nicholas emocionam demais, que agente nem consegue traduzir em palavras, o filme baseado nesse livro me fez chorar horrores kkk imagine o livro. A atmosfera meio tragiaca é necessaria pra que no fim do livro conseguirmos tirar uma lição do livro e da historia. eu sou fã dos romances dele. Amei sua resenha

    ResponderExcluir
  4. Olá, Mila.
    Realmente Sparks tem o dom de cativar o leitor com suas palavras e isso ficou claro nos dois livros que tive a oportunidade de ler. Esse é um autor que pretendo ler o maior número de livros possíveis.
    Sobre a história, é bacana não se passar com adolescentes, pois pessoas mais maduras também podem ter histórias emocionantes. E como você disse: "o amor resiste qualquer barreira seja física ou temporal"

    Parabéns pela resenha, Mila.

    Beijos
    Ricardo - www.overshock.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. ameeeei a resenha
    eu assisti o filme dele mas já faz muito tempo, e não gostei muito não
    os livros do nicholas sempre me emocionam tbm.. e talvez o livro seja melhor que o filme né? acho que vou lê-lo :D

    ResponderExcluir
  6. Como sempre, sua resenha está maravilhosa. Parabéns!
    É por isso que gosto de Nicholas, ele traz personagens jovens e adultos em sua obra o que fascina ainda mais.
    Aina não li Noites de Tormenta, mas tenho muita vontade.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li, mas não foi por falta de vontade não. Nicholas Sparks é um dos autores mais adorados da atualidade né? Sem contar que quase todos os seus livros, cedo ou tarde, recebem adaptações cinematográficas. Já assisti ao filme e gostei, mas até aposto que o livro deve ser bem melhor! \õ/

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Ótima resenha.
    Adorei a parte que vc salientou que "todo recomeço só é possível a partir do perdão." acho que foi apartir do perdão que o casal pode voltar a amar. Amar é realmente perdor, os outros e a si mesmos.
    Como você também escreveu "não importa o que aconteça o amor resiste qualquer barreira seja física ou temporal.", quando se ama nada mais importa. Vou comprar e ler esse livro, fiquei muito curioso, apesar de não curtir muito esses romances açucarados... hihihi

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Nicholas Sparks é de uma sensibilidade encantadora. Apesar de seus romances serem sempre açucarados e com finais geralmente trágicos o que já o torna meio clichê é quase impossivel deixar de lê-lo após conhece-lo. Ele convence o leitor de que finais feliz existem de várias formas: vivendo com o amor, sem o amor... superando obstáculos! Sou fascinada.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Que lindo: "Quanto maior o amor, maior a tragédia quando acaba. Esses dois elementos sempre andam juntos."
    Nicholas sempre, sempre, sempre com livros maravilhosos. Nick sou sua fã.
    Ótima resenha, Mila assista ao filme, você irá amar!

    ResponderExcluir
  11. Olha eu choro em todo livro que leio do Nicholas, ele tem o dom de fazer isso comigo hahaha. Eu não tenho esse ainda, mas eu ganhei Querido John no meu aniversário, mas eu já tinha, então agora já sei por qual trocar. Ótima resenha, aliás suas resenhas são do jeito que eu gosto, vejo sinceridade nelas.

    http://leiturasdepaty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ameii a resenha!
    O Nicholas Sparks é muito sensível.
    Vi o filme mas não gostei muito...

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!