Resenha: “O Chamado Selvagem” de Jack London

Saudações Leitores!
Vou ser breve nessa resenha porque apesar do livro ser um clássico e muita gente o avaliar positivamente (no skoob ele está avaliado com 4 estrelas) não me chamou muita atenção, entretanto a leitura breve e a narrativa gostosa me fizeram ler o livro rapidamente. Quero agradecer a Editora Dracaena pelo envio do livro para resenha. Confiram:



O Chamado Selvagem, Jack London, São Paulo: Dracaena, 2011, 116 pág. (tradução de José Luiz Perota)

The Call of the Wild foi publicado em 1903. Obra de Jack London, pseudônimo de John Griffith Chaney, nascido em 1876 e falecido em 1916. London também é autor de outros livros bem conhecidos como “Caninos Brancos” e “O Lobo do Mar”, entre outros.
Esta obra vem narrar a história de um cão São Bernardo chamado Buck que é roubado pelo jardineiro da casa em que morava com o Juiz Miller e vendido para trabalhar juntamente com outros cachorros que, possivelmente, também foram roubados e vendidos.
O período de adaptação de Buck a nova vida é árduo, tendo em vista que em sua antiga casa ele era um cachorro cheio de regalias – lê-se: come e dorme – e já na nova vida ele precisa trabalhar o dia todo e muitas vezes (na maioria) tem que se alimentar pouco por conta da escassez de comida. A adaptação não é árdua apenas pelas difíceis condições de alimentação e de clima (neve), mas também em relação aos outros cachorros com quem tem que trabalhar.
Jack London escreveu uma obra que de forma realista mostra as tristes condições dos cachorros, e apesar do personagem principal ser um cachorro e sabermos o que ele passa ficamos sabendo de tudo a partir de uma narrativa bem descritiva, tendo em vista que cães e animais não podem dialogar. Não obstante as descrições e narrações são bem agradáveis e envolvem o leitor.
Particularmente, eu amo cães, mas não curto muito literatura em que os cães são personagens principais, então, já podem imaginar a minha empolgação ao ler o livro. Realmente eu não criei muitas expectativas e qual foi minha surpresa: apesar de não curtir esse tipo de livro eu me agradei bastante com a forma como o autor escreveu a história e fiquei bastante envolvida.
Para completar, o livro não é extenso e não traz informações desnecessárias, nem fantásticas e não apresenta enrolações e isso faz com que a obra seja enxuta e agradável. Recomendo a leitura a todos os que gostam de livros com cães, e aos que apreciam a arte da narrativa, pois Jack London é um grande narrador, capaz de cativar qualquer leitor que se aventura por suas páginas.

Camila Márcia

7 comentários:

  1. Eu também não gosto de livros com cachorros, mas é um São Bernado <3 eu leria sem problema algum, só pela raça do cachorro, fiquei curiosa para ler esse livro, nem o conhecia.

    beijos
    Luana - Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro tramas de cachorros......amo esse animal.....Quero ler.

    ResponderExcluir
  3. Eu sou doida por cachorros e só em ter um personagem cachorro fiquei bastante curiosa. Queroooo muito ler.

    ResponderExcluir
  4. Pode até ser bom, mas eu não leria.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Mila.
    O estilo de escrita do autor é o que mais chama a atenção na história. Também não gosto quando o protagonista é um animal, como é o caso, mas as aventuras de Buck valem a pena, apesar de tudo.

    Beijos
    Ricardo - www.blogovershock.com.br

    ResponderExcluir
  6. Está na fila dos livros a serem lidos no ano que vem \o/

    ResponderExcluir
  7. Já o livro. è simplesmente fantástico!

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!