Resenha: “A Arte da Imperfeição” de Brené Brown

Saudações Leitores!
Não se deixem enganar por essa capa fofa, esse livro é um tapa na cara, pois vem a nos mostrar algumas situações em que a maioria das pessoas já passaram e que julgamos tomar/fazer o certo quando na verdade estamos nos reprimindo ou fazendo tudo errado. Eu demorei um tempinho para ler esse livro, minha vida/correria tem me impossibilitado dedicar um tempo maior para as leituras, ademais não é um livro que eu leria comumente, mas foi gratificante chegar à última página e perceber que eu posso e eu sou uma pessoa melhor desde que o li. Obrigada a NC pelo envio do exemplar para resenha.



A Arte da Imperfeição, Brené Brown, Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito, 2012, 184 pág. (traduzido por Antônio Carlos Vilela dos Reis)

O título de origem deste livro é The gifts of imperfection, publicado pela Ph.D., pesquisadora, escritora e professora da Universidade de Houston: Brené Brown. Brené pesquisa sobre a vergonha e tudo o que gira em torno dela.
O livro vem a tratar basicamente de dicas para se chegar a Vida Plena, o que se pode fazer para melhorar em vários aspectos da vida. O que mais me chamou atenção nesse livro é que não se trata de um livro que traz soluções mágicas para os problemas, mas que expõe – a partir da vida da própria autora, que procurou seguir passos para chegar a Vida Plena – maneiras de se chegar a Vida Plena, fazendo coisas que nos deixam felizes e refletindo sobre cada uma das escolhas que fazemos, aprendendo a assumir os riscos.
"Escrever nossa própria história pode ser difícil, mas não é tão duro quanto passar a vida fugindo dela. Aceitar nossas vulnerabilidades é arriscado, mas não é tão perigoso quanto desistir do amor, do pertencimento e da alegria, que, por outro lado, são as experiências que nos deixam mais vulneráveis. Somente quando tivermos coragem suficiente para explorar a escuridão, descobriremos o poder infinito da nossa luz." (p. 25)
Ser feliz é algo que todas as pessoas, de todos os lugares, países e tempos buscam, mas chegar a essa felicidade é coisa que poucos conseguem, há muitos motivos: vida corrida, busca por metas profissionais, medo, vergonha. Para se chegar a Vida Plena devemos aprender a conviver com o medo e assumirmos nossas inseguranças e vergonhas.
"O sacrifício de quem somos pelo que os outros pensam que somos simplesmente não vale a pena. Sim, pode haver "dores de autenticidade" para as pessoas à nossa volta, mas, ao final, sermos verdadeiros conosco é o melhor presente que podemos dar às pessoas que amamos." (p.82)
O livro todo é em primeira pessoa: um diálogo de Brené com os leitores, onde ela expõe sua vida e pesquisa, dá exemplos e tem um toque humorístico incrivelmente sedutor.
Eu devo confessar que não esperava grande coisa desse livro, mas ao ler fiquei surpresa com as ideias e cheguei a conclusão de que me falta muito para chegar a Vida Plena, mas que eu posso conseguir. Vou conseguir.
"Nós não mudamos, não crescemos e não vamos para frente sem trabalho. Se realmente queremos levar uma vida alegre, conectada e plena de sentido, temos que conversar sobre as coisas que atrapalham." (p.60)
Entretanto, apesar do livro ser bem interessante e abordar o assunto de forma bastante motivadora, eu devo admitir que me arrastei na leitura pelo simples fato de não curtir muito livros desse gênero, mas é incrível que quando nos damos a oportunidade de adentrar em novos tipos de leituras podemos nos surpreender e tirar muitos conhecimentos dela.
Super indico esse livro para quem precisa de motivação e para os que desejam mudar de vida, não que ele vá ensinar métodos para fazer isso, mas nesse livro se encontra múltiplos caminhos para nos tornamos pessoas melhores. Quem não quer ser uma pessoa melhor?

Camila Márcia

6 comentários:

  1. Acho que foi o inicio que me deixou mais inquieto para ler um livro.

    De verdade.

    ResponderExcluir
  2. O inicio do seu texto, explicando melhor. kkk

    ResponderExcluir
  3. parece ser um livro muito bom, mas não tenho muita vontade de ler ele por ser estilo auto ajuda :(

    ResponderExcluir
  4. Olá, Camila!

    Devo também confessar que não esperava muito desse livro, mas curti bastante sua leitura.
    Achei super engraçado alguns exemplos que a autora contou de si própria, de como ela conseguiu se superar em certas ocasiões. Não sou fã desse gênero, apesar de já ter lido muito, mas é mesmo uma leitura que nos desperta para muitas reflexões.

    Beeijo*;

    ResponderExcluir
  5. Também não curto muito livros desse gênero, então ficaria me arrastando na leitura como você, provavelmente levaria semanas para termianar rs

    Gostei muito daqui, seguindo *-*
    Beijos,
    pepperlipstick.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu até gosto de livros desse tipo, mas não consegui concluir essa leitura. Li metade do livro e abandonei. Sei lá, não creio que seja um livro de auto-ajuda, mas tb tão parece ser um livro de pesquisa/teórico... parece ser... sei lá. Não consegui gostar do livro. Mas sua resneha ficou bacana viu Mila?!

    bjs.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!