Resenha: “Drácula – O Vampiro da Noite” de Bram Stoker

Saudações Leitores!
Fazia muito tempo - muito tempo mesmo - que eu queria ler esse livro, desde quando a moda "vampiro" entrou em auge, pois sempre tive muita curiosidade de saber como tudo isso surgiu. Agora a Editora Martin Claret me deu a oportunidade de conhecer essa clássico de Bram Stocker. Muito obrigada!
A narrativa foi um pouco diferente de como imaginei, pois eu acreditava que saberia de tudo através de narração comum, mas a história é toda cotada através de epístolas e relatos, isso é bem interessante. Gosto de livros assim, mas vou deixar de devaneios: Confiram e deixem seus comentários na resenha...



Drácula – O Vampiro da Noite, Bram Stoker, São Paulo: Martim Claret, 2012, 4ª. edição,406 pág. (traduzido por Maria Luísa Lago Bittencourt)

Com o título original: Drácula, esta obra do escritor irlandês Bram Stoker (1847-1912) foi publicada pela primeira vez o ano de 1897. Bram Stoker foi um escritor irlandês que viveu de 1847 a 1912, é o autor do grande mito do vampiro, pois criou o vampiro mais conhecido de todos os tempos: Drácula. Antes de escrever seu tão célere livro, Bram, aprofundou-se através de pesquisas sobre folclore europeu e as mitológicas histórias dos vampiros.
Drácula – O Vampiro da Noite, é verdadeiramente uma história fascinante, contada através de epistolas, apesar de ser bem interessante essa forma de narrativa ela deixa de fora as verdadeiras origens do conde Drácula, sabe-se contudo que ele provém da Transilvânia e muda-se para Londres onde a maior parte dos relatos acontecem.

"Que espécie de homem será ele, ou que espécie de criatura disfarçada em homem? Sinto que os pavores deste lugar tenebroso me dominam; tenho medo... um medo horrível... e não posso fugir. Estou cercado de terrores tais que nem ouso pensar neles..." (p.52)

É através da obra de Bram que ficamos sabemos como se matar um vampiro, quais amuletos de proteção usar e como ele pode hipnotizar e controlar as pessoas, animais e até mesmo as condições ambientais.
A história começa com os relatos de Jonathan Harker que por ter sido contratado do Conde Drácula vai para Transilvânia e sofre o mais terrível pesadelo acordado. Após uma sucessão de fatos, ficamos a par que Lucy Westenra amiga de Mina Murray, futura senhora Harker, adoece e coisas estranhas acontecem nesse período. Nesse ínterim, o Dr. Seward solicita a presença do doutor Abraham Van Helsing, este percebe o que está acontecendo ali e toma todas as providencias necessárias para “cortar o mal pela raiz”, mas o tempo é implacável e nem sempre se pode mudar o destino.

"O sangue de um homem bravo é a melhor coisa na terra para uma mulher em dificuldade. Não há dúvida de que você é o homem. Bem, o diabo pode voltar-se contra nós com todas as suas forças, mas Deus nos envia homens quando deles necessitamos." (p.175)

A narrativa é bastante interessante e as cartas e relatos dão uma dinâmica à obra. Ademais os personagens são complexos, pois por mais que eles estivessem vendo que alguns fatos eram inconcebíveis, eles acreditavam duvidando (se é que me entendem).

"Deus tem Seu modo e tempo próprios de agir. Não se regozije nem receie no presente, pois aquilo que desejamos talvez nos cause a destruição." (p.329)

Uma coisa que achei muito interessante foi saber que o personagem Van Helsing está na obra de Bram, pois eu não fazia ideia de que ele era um personagem da obra clássica. Com certeza fiquei fascinada pelo livro e achei de uma maestria a composição, criatividade e os aspectos fantásticos e góticos.
Muito indicado Drácula – O Vampiro da Noite, para todas as pessoas que tem curiosidade de conhecer a história que originou todas as outras histórias de vampiros. Sei que muita gente já leu algo sobre vampiro, mas é sempre bom saber como tudo começou.

Camila Márcia

27 comentários:

  1. Meu pai e minha irmã adoraram esse livro! Deve ser fascinante ver a gênese, sabe, o que inspirou tantas outras histórias com as criaturas da noite...

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei de sua resenha Mila e me parece ser um livro muito bom, gosto de clássicos e tudo e é bom saber sobre a história do vampiro original, no entanto essa moda de vampiro pegou de um jeito que vou te contar. Entretanto não costumo ler livros com vampiros, quem sabe eu mude e inicie lendo Drácula.

    bjs.

    ResponderExcluir
  3. Sabe que eu sempre, sempre, sempre quis ler esse livro? Lembro que desde pequena tenho muita vontade de ler, acho facinante as histórias com vampiros, sou fã de Diários do Vampiro e Crepúsculo, gosto de pensar que o vampiro de Crepúsculo são de outra raça: mutantes, e os de TVD são um pouco mais tradicionais, gostaria de ler Drácula para me apropriar da história original. No entanto que fiquei meio decepcionada ao saber que a história é contada através de cartas e documentos, não gosto muito de livros assim.

    bjs.

    ResponderExcluir
  4. A moda de Vampiros me carregou até a leitura de Drácula, mas devo confessar que não curti muito não, achei a leitura maçante, não gostei da forma como a história foi contada e acho que o que menos gostei foi a linguagem, sei o que livro foi escrito há muito tempo atrás, mas sabe... foi muito cansativo ler, embora reconheça que foi de muita importância saber que os vampiros originais eram maus de verdade e não tem essa onde de abstinência de sangue como em Crepúsculo e TVD, vampiros bonzinhos? Que onda...

    ResponderExcluir
  5. Já li e curti bastante. A versão que li foi a da Martin Claret também, mas não era essa capa, eu particularmente prefiro a antiga. É mais bonita.

    xerin

    ResponderExcluir
  6. Ah, é um livro que SEMPRE quis ler. Gostei muito da sua resenha (:
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bela resenha! Tomara que o livro seja tão bom quanto..
    Eu já li diversos livros sobre literatura vampiresca, mas sempre tive curiosidade para conhecer o primeiro de todos..

    ResponderExcluir
  8. este livro está sendo bastante comentado né?
    gosto da história do drácula, e já li algumas versões, mas essa ainda não.

    ResponderExcluir
  9. Eu sempre amei o filme. Ainda não sei qual é melhor, o livro ou o filme
    Só sei que esse vampiro sempre será o meu favorito

    ResponderExcluir
  10. Resenha muito boa, ainda mais por ser difícil falar sobre um assunto tão explorado nos últimos tempos, parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Quero muito esse livro. Obrigada por avisar do sorteio!

    ResponderExcluir
  12. Eu sou a única que fica um tanto chateada quando zoam o estilo de vampiro de Bram Stoker? Quem leu o livro sabe o quanto é interessante (Eu li "Drácula – O Vampiro da Noite" de Bram Stoker, e também li "Drácula, O Morto-vivo" de Dacre Stoker E Ian Holt[a sequência] ), e como diz a resenha a cima, sem contar as cartas que dão um "tcham" no livro, ele é ótimo, sem mais. Acho que esse é um dos motivos por querer ter essa preciosidade em minha estante.

    ResponderExcluir
  13. Sempre quis ler, mas nunca achei pra comprar. Queria o livro pra mim, pra sempre ahahaha

    ResponderExcluir
  14. Eu desejo muito esse livro há tempos, acho que desde a época do ensino médio!^^ Parace ser bem legal. Ah...tbm não fazia ideia que o Van Helsing poderia estar nesse livro.kkk Legal demais. Quero ele demais.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  15. Podemos dizer que Drácula é o vampiro precursor de toda essa saga vampiresca que vemos na atualidade!

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pela resenha! Ótimo livro esse, pena não ter tido a chance de terminá-lo.

    ResponderExcluir
  17. Sempre tive grande curiosidade em relação a esse livro, já que essa é a verdadeira essência dos vampiros. Já li algumas resenhas sobre o mesmo e algumas pessoas criticaram a narrativa, mas sem explicar o verdadeiro motivo. Não lembro de ter lido algo em "epístolas e relatos", mas espero ler o quanto antes e que tenha opinião semelhante a sua rs

    Parabéns pela resenha, Mila.
    Beijos
    Ricardo - www.blogovershock.com.br

    ResponderExcluir
  18. Ow, Drácula é o primeiro livro que tive a vontade de ler quando pequeno. Desde então sempre vejo-o mas nunca cheguei a adquirir o livro.
    Muito obrigado pela indicação da promoção.
    Muito boa sua resenha, direta e madura. Aliás uma característica marcante em seu blog.
    Aprecio muito o bom gosto literário, e a boa vontade de blogueiros assim.

    Um abraço

    Louie

    ResponderExcluir
  19. Tenho muita vontade de ler esse livro; adorei a resenha e depois dela fiquei bastante curiosa; adoro livros que retratam verdadeiramente o mito vampirico.

    ResponderExcluir
  20. Como você já disse: desde a febre vampiresca que surgiu a um tempo tenho vontade de conhecer a origem dessas ficções. Espero ganhar o livro no sorteio hihi

    ResponderExcluir
  21. Adoro histórias sobre vampiros e quando li essa resenha, adorei o livro.
    Deve ser bom.
    Beijos
    neversaynever-believe. blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Eu não tenho o menor saco pra vampiro, nunca li o livro todo (esse), só trechos, e gostei bastante. O filme tb é muito bom, sem vampiros adolescentes e sem viadagem pra cima dos vampiros. O Drácula do Bram Stoker é o único q gosto. E agora q estou lendo Vampiro Americano, tb estou gostando. Mas tb só gosto desses dois. Já li algumas coisas da Anne Rice, achei bacana, mas nada q me fizesse gostar mesmo.

    ResponderExcluir
  23. Acho que esse é o livro oficial, de Bram Stocker, o vampiro dos vampiros. O que deu origem ao filme.
    Sempre tive medo de vampiros, desde menina. E acho que não consigo assistir sozinha, rsrs. O Conde Drácula é um dos meus medos mais remotos, porque costumava ver filmes de vampiros om meu irmão e sempre passava semanas pra me recuperar, rsrs. Quem sabe agora, lendo um original desse porte, esse medo transmude para admiração pela obra.

    ResponderExcluir
  24. Muito antes da moda dos vampiros eu já queria ler esse livro, quando vi o filme gostei muito, mas, pela sua resenha, parece que o livro é um pouco diferente. Fiquei curiosa em saber como é construída a narrativa com essas cartas que vc citou, e tbm gostei de saber q o Van Helsing aparece aqui, já q eu tbm não imaginava q ele era um personagem tão emblemático.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  25. Quando conheci Drácula, eu era pequena e nunca tirava o crucifixo do pescoço kkkk
    Interessante saber como tudo começou, apesar de termos uma noção, o conteúdo foi um pouco distorcido até os dias de hoje. Feliz e saber que Van Helsing realmente faz parte da história!

    ResponderExcluir
  26. adorei a resenha!!!!
    caraaaaa que demais! preciso muito desse livro!!!

    ResponderExcluir
  27. Sempre quis ler esse livro, afinal é um clássico, deve ser muito bom mesmo!!!Ah, e isso sim é vampiro o resto é xerox :p

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!