Resenha: “O Substituto” de Brenna Yovanoff

Saudações Leitores!
O Substituto foi a leitura de janeiro do Clube do Livro que faço parte, mas não o colocaria na minha lista de favoritos e nem de melhores livros já lidos, mas, definitivamente, o colocaria entre os livros mais fofos e com uma das capas mais lindas que já vi [desses livros que qualquer pessoa compraria pela capa]. Entenda o porquê de minha afirmação lendo a resenha:


O Substituto. Brenna Yovanoff. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012, 336 pág.
 Tradução: Bruna Hartstein.

O primeiro livro de Brenna Yovanoff com o título original The Replacement (A Substituição) foi publicado pela Bertrand Brasil com o título O Substituto.
O livro traz uma história bizarra de seres inomináveis que vivem ocultamente na cidade Gentry, entretanto, apesar de nenhum dos moradores da cidade falarem sobre o assunto, aparentemente, todos sabem dos fatos estranhos que acontcem na cidade e que a cada sete anos faz uma criança morrer.
"A verdade, pura e simples, é que não se pode entender uma cidade. Pode-se conhecê-la, amá-la e odiá-la. Pode-se jogar a culpa nela, ficar ressentido, mas nada vai mudar. No fim, a gente continua sendo parte dela." (p.44)
A história tem como narrador personagem Mackie que é o substituto, entretanto a história tem prosseguimento quando a irmã de Tate aparentemente morre, mas todos sabem que aquele corpo encontrado no berço da irmã dela é o de uma coisa inominável e não o da criança: houve uma substituição!
Muitos são os acontecimentos para se encontrar a irmã de Tate, ou melhor, tentar descobrir se a criança está viva ou morta. Mackie é o único que pode ajudar, embora ele nem saiba como.
"A intenção é uma das forças mais poderosas que existe. A sua intenção ao fazer qualquer coisa irá sempre determinar o resultado. A lei molda o mundo” (p.119)
Sabe uma história fofa? Então: O Substituto tem uma história bem fofa, linda e cute, mas acredito que poderia ter sido melhor, mais bem elaborada. Apesar disso a autora Brenna Yovanoff tem tudo para evoluir, pois escreve muito bem.
Acredito que o que mais me incomodou na história foi o personagem Mackie, achei ele fofo demais para ser um ‘ser de outro mundo’ ou fofo demais para ser do sexo masculino, às vezes, tinha a impressão de que a história estava sendo narrada por uma menininha.
Outro ponto surreal é os monstros extremamente bizarros e que deveriam ser assustadores, mas acabavam não sendo, logo a impossibilidade de nomeá-los tornava a história estranha e terminologias como Casa do Caos, Casa do Desespero, para mim, foram demasiadamente infantis. Na conclusão e no desfecho do livro ficaram muitos pontos sem resposta. Mesmo com o livro sendo dividido em quatro partes: 1. Os Segredos dos Vivos; 2. As Mentiras que as Pessoas Contam; 3. Os Mortos-Vivos; 4. Eles, muitas partes ficaram sem explanação convincentes. Para mim, livro tem que convencer o leitor!
Apesar destes pontos a atmosfera lúgubre e gótica em todo o livro e extremamente misteriosa é excitante, não obstante, continuo achando que O Substituto tinha tudo para ser muito melhor. A ideia era boa, mas o seu desenvolvimento 'pecou' em muitos pontos.
Minha indicação vai apenas para aqueles que querem se distrair e gostam de uma narrativa encantadora e fofa, com várias citações lindinhas e profundas, mas que não se importam com os ‘furos’ na história. Não estou dizendo que o livro é ruim, mas confesso que não correspondeu com minhas expectativas e mesmo sem corresponder à elas, reconheço que é uma leitura agradável.

Camila Márcia

4 comentários:

  1. desde a primeira vez que vi este livro quis comprar (pela capa) hahaha
    e a ultima coisa que eu esperava dele era que fosse 'fofo' :P
    mesmo assim não me decepcionei, e ainda quero le-lo :D

    ResponderExcluir
  2. Bah, assim como a Rayme comentou, eu tinha me encantado pela capa do livro, e se tivesse a oportunidade de lê-lo, leria de boa!
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Sabe o que acho mais legal nas resenhas que a gente vê na rede? É que sempre os leitores apontam detalhes diferentes como coisas que mais gostaram no livro e coisas que não gostaram. Por que isso é bom? Se a autora for esperta ela pode acompanhar as resenhas e ir melhorando os pontos egativos de sua escrita e ao mesmo tempo notar o que o leitor quer encontrar num livro do gênero.
    Adorei sua resenha e o voto de confiança que ainda pretende dar a autora. Vi que ela já tem outro livro, mas a sinopse dele não me agradou, vc vai viu?

    abraços.

    ResponderExcluir
  4. Nunca me interessei por esse livro e em sua resenha, apesar de afirmar ser um ótimo passatempo, não me convenceu a lê-lo. Os pontos negativos me desmotivaram ainda mais.
    Este eu deixo passar.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!