Resenha: “O Lugar da Bagunça” de Christina Hopkinson

Saudações Leitores!
Quando eu vi esse lançamento eu realmente fiquei com muita vontade de ler, pois a sinopse é bem atrativa e não sei se sou apenas eu, mas acho que minha casa vive bagunçada, aqui, tem dois homens bagunceiros e, embora, tenha três mulheres para 'arrumar' parece não ser o suficiente, sabe? É como se a gente precisasse de um pelotão para arrumar a casa toda e ainda ter que seguir os passos dos homens e ir arrumando à medida que eles tiram as coisas do lugar ou sujam #Desabafo. Então, solicitei para a parceira Editora Record o livro e assim que chegou eu o li. Quero agradecer a editora pela delicadeza de ter me enviado o livro, diverti-me bastante acompanhando as loucuras da Mary, confiram a resenha e comentem!!!!!!


O Lugar da Bagunça, Christina Hopkinson, Rio de Janeiro: Record, 2013, 352 pág.
Traduzido por Yedda Araújo da Silva

O Lugar da Bagunça, cujo título original é “The Pile of Stuff at the Botton of the Stairs” (2011), foi escrito pela londrina Christina Hopkinson. A autora tem outro livro publicado Izobel Brannigan.com (2004).
Sabe o que vem no final de um belo conto de fadas? Sim, aquela expressão “... e foram felizes para sempre”, mas e depois do “felizes para sempre” o que vem? Isso mesmo: o lugar da bagunça!
Christina Hopkinson escreveu um livro divertido, inteligente e com críticas verdadeiras ao casamento moderno sob a perspectiva feminina de Mary, a narradora personagem mais hilária, estressada e engraçada que já encontrei nos últimos tempos!

"Não é fácil ser fria quando estou pegando fogo por dentro. Hoje em dia eu não me importo se sou convidada ou não para festas, embora eu fique furiosa pelos meus filhos. Semana passada, o Rufus não foi convidado para a festa de 6 anos do Flynn, apesar de eles sentarem juntos. Ainda tenho sonhos de empurrar aquele pivete do patinete para ele cair." (p.189)

O enredo é simples e a narrativa em primeira pessoa enriqueceu a personagem Mary que é muito, muito honesta em seus pensamentos [honesta até demais]. Mary tem 35 anos é casada com Joel e tem dois filhos: Rufus e Gabe. Trabalha meio expediente fora e o resto do dia fica cuidando dos filhos e tentando por ordem, ou melhor, arrumar a bagunça em sua casa, que nunca está arrumada afinal, ela é a única para arrumar enquanto há três homens para sujar e um em particular parece que dá mais trabalho: o seu marido.
Joel é um homem bagunçado, relaxado e despreocupado com tudo, sente-se feliz pelas pequenas coisas e não se importa em largar o casaco no sofá, deixar a xícara de chá por dias e dias na mesa ou tirar as loucas da máquina. Joel é um cara estupendamente bagunçado, mas um ótimo pai. Constantemente no livro os demais personagens ficavam repetindo para Mary o quanto ela tem sorte de ter casado com o Joel, pois ele é maravilhoso. Mas Mary não pensa assim!

"Eu costumava olhar para ele e me perguntar como eu tinha dado tanta sorte. Eu pensava, ‘Não mereço você.’ Agora penso, ‘Não mereço isso.’" (p.63-64)

Mary, já completamente fora de si, com a autoestima baixa e altamente pressionada por ver que as casas de suas amigas estão sempre limpas e arrumadas decide criar A Lista para colocar todos os defeitos de seu marido Joel na ponta do lápis, ou melhor, planilha do Excel, e A Lista é imensa e todos os dias cresce as infrações e Joel perde pontos, no final de um determinado prazo ela decidiria se continuaria com o casamento ou não.

"Eu nunca me mataria. Embora talvez mate Joel. A lista é minha tentativa de não arruinar a vida dos meus filhos com um pai morto e uma mãe destruída por seu assassinato." (p.14)

Desde o começo do livro eu fiquei encantada com a narrativa e apesar de ter considerado a Mary muito rabugenta eu gostei dela, realmente gostei dela! Ela é o tipo de personagem imperfeita, cujas imperfeições são altamente identificáveis com imperfeições de todos nós. Quem em um momento de stress não descontou a raiva no marido, nos filhos ou amigos?
O Lugar da Bagunça é uma das narrativas a respeito do relacionamento em casal mais fieis que já encontrei na literatura. Aponta defeitos [muitos], mas também qualidades e faz-nos refletir sobre um casamento e as relações cotidianas. Às vezes, as aparências enganam muito, ou melhor, não enganam: nós é que nos deixamos enganar.
Durante a leitura um personagem que me chamou bastante atenção foi Becky, a melhor amiga lésbica de Mary, que vive um relacionamento também complicado com sua mulher Cara. Entretanto, ao contrário de Mary, Becky tenta agir com racionalidade, mas as coisas não são fáceis e isso prova que não importa se a relação é heterossexual ou homossexual, todo relacionamento tem seus problemas, seus altos e baixos.

"Mas do que tudo, tenho raiva de você, Joel. E se eu pudesse destilar essa raiva em sua essência mais pura, ela seria uma água de lavar pratos infestada de germes, com partículas de gordura de costela de carneiro boiando para representar sua incapacidade de ajudar em casa. Não muito pura na realidade, mais parecida com um óleo escorregadio de tanta sujeira poluindo meu lar e meu coração do que um óleo essencial." (p.12)

Este livro tem ironia, cenas picantes [homo e hétero], segredos e mistério, tudo na medida certa. É encantador pegar uma narrativa como essa que além de entreter, faz refletir e tentar por ordem na bagunça maior que, literalmente, não é a da casa, mas a do interior de cada um dos personagens/nós. Não é autoajuda, mas é um livro que pode servir de exemplo para salvar muita relação ou para que as pessoas encarem uma relação com uma visão real e não romanceada. Viver com outra pessoa não é fácil e cada um tem sua bagunça particular, imagina quando as bagunças se juntam?
É impossível chegar ao final desta leitura e não indicá-la, ela é simplesmente fantástica e mostra que a realidade pode não ser um conto de fadas, mas pode chegar bem próximo a um, ou se tornar um verdadeiro inferno! Porém, não indico esse livro para pessoas com menos de 15 anos, tem cenas beeeeeem exóticas em suas páginas.

Camila Márcia

20 comentários:

  1. Estou de férias, tenho 30 dias para leitura....recomenda esse? kkk
    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato,
      Pode parecer um romance de mulherzinha, mas sabe, fica umas dicas bem interessantes para a comunidade masculina entender uma 'isquinha' do 'complexo mundo das mulheres'. Recomendo, Sim!
      Obrigada pelo comentário,querido!

      Excluir
  2. Mila, querida, eu não conhecia o livro e nem a autora, mas a sua resenha me encantou muito e eu não só quero como preciso desse livro. Vou compra-lo p/ ler nas férias.
    JU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Ju, faça isso! Vou ficar a torcida para que você goste do livro tanto quanto eu gostei. Depois me conta o que achou, blz?
      xoxo

      Excluir
  3. OIii
    Nossa, obrigada pela dica, só pela resenha e por saber que existe alguém que pensou no depois do Felizes para sempre me deixa com muita vontade de ler o livro!!!

    Wish list já!!!

    Beijos
    Chrys
    Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Chrys, obrigada por seu comentário. O livro fala com realidade a vida pós casamento que às vezes, nem sempre é um mar de rosas, mas que muitas vezes só ficamos no 'comodismo' de culpar o outro sem vermos os nossos defeitos e sem admitir as qualidades do parceiros. Um livro que mostra todos os pontos. Indico. Espero que goste da leitura.
      xoxo

      Excluir
  4. Mila, adorei sua resenha, corri fui no skoob e já vi a sinopse, pois não conhecia o livro. Agora eu quero ler e olhaaaa esse livro é muito lindo, e você nem falou sobre isso, quer dizer eu amei essa capa. Acerca do título original ele não foi fielmente traduzido para o português, mas eu ameih a alteração ficou muiiiiito mais bacana. #EuAcho.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emmy, você realmente tocou em pontos que esqueci de comentar na resenha, eu também gostei bastante da capa, achei-a linda! E sobre o título eu também preferi o título brasileiro, acho que tem muito mais a ver com a história do que o título original, se tivesse sido fielmente traduzido!
      xoxo

      Excluir
  5. Oi Camila.
    Eu adoro livros que me fazem ir, e já no primeiro quote deu pra sentir o que posso esperar da história..
    Eu nunca ouvi falar desse livro, mas já estou muito interessada, achei muito bacana a história ser contada a partir do 'felizes para sempre' rsrsrs.
    Morri de rir com a planilha criada no excel com os defeitos do marido hahahaha.
    Já está na listinha dos desejados.

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paty e esses são apenas alguns quotes engraçados, o livro todo é cheio de coisas engraçadas e um ótima ironia. Pelo que estou vendo pouca gente ouviu falar desse livro mesmo, uma pena,pois ele é realmente bom! Vale a pena ler, flor.

      Excluir
  6. KKKKKKK eu ri de com os quotes Camila, esse livro, acredito, leva o leitor a boas risadas e como você mesmo colocou também faz refletir. É ótimo refletir sobre algo a medida que também nos divertimos com a leitura. Vai para minha lista de desejados e futuras compras, com certeza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Compra! Compra! rsrsrsrs
      Realmente O Lugar da Bagunça promove uma boa reflexão e a percepção do quanto as coisas seriam diferentes se cada membro da família fizesse a sua parte, mas como não fazem a casa vira O Lugar da bagunça e essa bagunça acaba influenciando o coração o humor e a vida pessoal e profissional das pessoas. O livro é bom, vale a pena você comprar e lê-lo!
      xoxo

      Excluir
  7. Sério que tem esse livro? Eu não tinha visto nada sobre ele até o presente momento!!!!! Ele parece ser bem divertido e fiquei muito interessada, vou pesquisar mais sobre ele também. Esse lance de bagunça é muito, muito, muito estressante mesmo e parece ser bem trabalho no livro. Essa Lista como uma tentativa de não provocar uma tragédia na família é muito engraçada... quero muito ver e ler isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duda, o livro é bem inteligente, pois ele poderia ser enfadonho e chato: já imaginou um livro cuja personagem está sempre reclamando da bagunça? Então O LUGAR DA BAGUNÇA tinha 70% de possibilidade de ser um livro chato e enfadonho, mas a autora arrasou ao escreveu e tocar num assunto 'chato' de uma forma bem real e ao mesmo tempo criativa.
      xoxo

      Excluir
  8. Gostei título do livro e da mulher odiar o marido, então por que ela casou com ele? Por que não se separa? Parece ser bem interessante este livro. Fiquei curioso apesar de não ser um livro que eu normalmente leria, despertou minha curiosidade.
    Abraços, linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Livro é bem interessante Carlos!
      Veja bem, Mary e Joel são casados e tem 2 filhos, é normal uma mãe pensar muito antes de se separar de seu marido por conta da bagunça, né? E não é que ela o odeie de verdade, tá mais para não aprovar as ações ou falta de ação dele. Acho que todo relacionamento, por mais estável que seja, passa por isso.
      xoxo

      Excluir
  9. Mila, amiga, eu quero ler.... como faço?
    Eu preciso desse livro!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (*.*) Sim flor, você realmente precisa ler esse livro,vai achá-lo muito divertido!
      xoxo

      Excluir
  10. Puxa amei a resenha e tô aqui pensando que esse livro é do tipo que faz o leitor dar boas risada. Cara a mulher dizer que só não mata o marido para não destruir a vida dos filhos é piração total. Eu ri demais. E quanta verdade existe aí, essa personagem é muito sincera afinal quantas vezes as pessoas não dizem constantemente 'se fizer isso eu te amor' ' eu vou te matar se disser isso' 'eu morro se isso acontecer'... achei bacana a proposta e vou ler se tiver oportunidade, mas não tenho grandes expectativas com respeito a gostar da história, mas creio que gostaria do humor, do sarcasmo e das ironias presentes no livros... Obviamente, se o livro desvenda um pouco do universo feminino, parece ser uma 'boa pedida'.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente uma boa pedida Rafael e indico a leitura sim. O livro pode não nos fazer suspirar ou cair de amores por seus personagens, mas fará dar boas risadas e haverá coisas com que possa se identificar, afinal, querendo ou não, todo mundo tem sua 'bagunça particular'
      xoxo

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!