Resenha: “O Palácio de Inverno” de John Boyne

Saudações Leitores!
Para quem acompanha o blog de longas datas sabe o quanto sou fã de John Boyne e o considero um de meus escritores favoritos, não só por ser um mestre na narrativa, mas pelos temas que aborda sempre com conteúdos históricos, pois gosto de livros assim que são capazes de ensinar e entreter bastante, apesar de muita ficção, é claro, entretanto, o bom narrador é aquele capaz de convencer o leitor e John Boyne sabe fazer isso com categoria. Obrigada a Companhia das Letras pelo exemplar disponibilizado para a resenha, definitivamente, esbaldei-me lendo O Palácio de Inverno.


O Palácio de Inverno, John Boyne, São Paulo: Companhia das Letras, 2010, 456 pág.
Traduzido por Denise Bottmann

Com o título original The House of Special Purpose (2008) foi publicado no Brasil com o título O Palácio de Inverno. Escrito pelo romancista irlandês John Boyne que também escreveu os best-sellers O Menino do Pijama Listrado, O Garoto no Convés e Noah Foge de Casa [todos já resenhados aqui no blog].
O Palácio de Inverno é narrado em primeira pessoa pelo narrador personagem Geóguie Jachmenev, um ex-mujique que teve sua vida mudada no ano de 1915. O enredo é alternado entre tempo cronológico e psicológico. O ano do início do enredo é 1981, mas a história acontece muito tempo atrás e Geóguie Jachmenev volta constantemente ao passado para contar sua história.
É no ano de 1915 que a vida de Geóguie Jachmenev muda, quando ele salva a vida de um membro da família real da Rússia que passava pelo pobre e explorado povoado de Cáchin, onde o narrador personagem vivia com sua família e, a partir desse ato impulsivo que foi visto como ato de coragem Geóguie tem sua vida mudada e é levado para o Palácio de Inverno onde a família do Czar Nicolau Nicolaievitch II mora para que ele possa fazer parte da guarda particular de Alexei, filho do czar. A família Romanov está a frente da Rússia por várias dinastias.
É no Palácio de Inverno que Geóguie se apaixona pela filha mais nova do czar, Anastácia, e reconhece as impossibilidades desse amor, como ele um pobre mujique pode namorar e casar com a filha do czar, que é considerado por todos como o ungido por Deus.
Nesse ínterim, a Rússia está em guerra e muitas coisas acontecem e a narrativa repassa um conteúdo histórico e a experiência vivida por Geóguie e toda a família do Romanov. Os perigos e mistérios estão presentes em toda a narrativa de John Boyne, que mescla com maestria o amor impossível de Geóguie e Anastácia, dando um ar de magia e fazendo o leitor desejar e imaginar mil e uma possibilidades para que tal amor aconteça.
A narrativa sempre intercalada com o tempo passado e o presente leva o leitor a um passeio histórico entre os anos 1915 ao 1981, o passado e o presente na vida de Geóguie. que exilado da Rússia vive em Londres e passa por dificuldades com sua mulher Zoia.
John Boyne tem o dom de narrar e O Palácio de Inverno é a prova disso: não é uma narrativa cansativa embora tenha fatos históricos, não tem personagens bobos, mas alguns com uma ingenuidade peculiar de todo ser humano. Contudo, este livro não é daqueles que tem uma leitura fluida o qual podemos ler em um único fôlego, por ter muita informação a leitura vai acontecer de forma mais lenta e isso não o torna desagradável, pelo contrário, faz-nos refletir bem mais sobre os fatos históricos, o enredo e os personagens.
Como fã de John Boyne e reconhecendo O Palácio de Inverno como uma leitura encantadora e mágica, cuja atmosfera de romance em meio a guerra traz certa poesia, não posso deixar de indicá-lo, sobretudo para aqueles que gostam de ler livros em que fatos históricos se confundem com ficção, tais como acontece com: O Caçador de Pipas, A Menina que Roubava Livros e O Menino do Pijama Listrado. Se já leu e curtiu algum desses títulos, com certeza, irá amar O Palácio de Inverno!

Camila Márcia

5 comentários:

  1. já ouvi falar muito bem de todos os livros do autor, mas nunca tive oportunidade de ler nenhum deles :(
    acho que este me deixou mais curiosa do que os outros... *-*

    ResponderExcluir
  2. Esse é um dos livros que tanto quero ler =D

    ResponderExcluir
  3. Amo muito, todos os livros do John, são todos tão emocionantes... <3
    Foi uma linda resenha. ;D

    ResponderExcluir
  4. Exatamente, Mila, você disse tudo. Esse livro não se lê de uma vez só, você tem que degustar cada parte.
    Eu considero esse um dos meus livros favoritos. Ele marcou muito a minha vida como leitora e até hoje lembro que, quando eu fechei o livro, fiquei agarrada com ele e chorando durante mais de meia hora. É lindo.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  5. John Boyne com certeza conseguiu me conquistar com "O Menino do Pijama Listrado". Adorei sua resenha (: quero muito ler esse livro.

    Beijo,

    Victoria (ameler.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!