Resenha: “Os Defensores 2: Cidade de Mentiras” de Lian Tanner

Saudações Leitores!
Com vocês a resenha do segundo livro da trilogia Os Defensores, trilogia que muito tem me alegrado e cativado, e este segundo volume só veio me apaixonar ainda mais, agora já quase não consigo suportar a espera do terceiro livro! Obrigada a Farol Literário por me enviar o exemplar para resenha e, assim, ter me concedido a oportunidade de conhecer essa maravilhosa história. Confiram a resenha e não deixem de comentar peoples!!!


Os Defensores II: Cidade de Mentiras, Lian Tanner, São Paulo: Farol Literário, 2013, 312 pág.
Traduzido por Ana Ban
Ilustrado por Sebastian Ciaffaglione

Cidade de Mentiras é o segundo livro da trilogia Os Defensores, escrita por Lian Tanner, escritora australiana. Esta trilogia é composta pelos livros Museu de Ladrões, Cidade de Mentiras e Caminho Selvagem (ainda não publicado no Brasil).
Esse segundo livro da série vai contra todas as expectativas do leitor, quando chegamos ao final do primeiro livro Museu de Ladrões imaginamos que o cenário da narrativa será o mesmo encontrado lá, mas a surpresa é muito grande em Cidade de Mentiras e, garanto, não é uma surpresa ruim, pelo contrário, é uma surpresa incrivelmente fantástica e ainda mais surreal que o primeiro livro.
Cidade de Mentiras inicia seis meses depois dos acontecimentos do primeiro livro, a cidade de Jewel ainda está tentando se adaptar as inúmeras mudanças culturais e sociais que aconteceram, mas nem toda a população da cidade apoia as decisões da Protetora. E também, logo no princípio do livro, nas mãos da querida protagonista Godie Roth está à árdua decisão de se tornar ou não a guardiã do Museu de Dunt, já que o museu a escolheu como guardiã. Mas Godie se vê entre a cruz e a espada por não querer se afastar de Ma e Pa, que estão doentes e ela se julga culpada.
Então, certa noite, Godie e Toadspit vão ao Museu de Dunt dizer à decisão que Goldie tomou de não se tornar guardiã e são seguidos por Bonnie, irmã de Toadspit, e nesta fatídica noite Bonnie é raptada e Goldie e Toadspit vão perseguindo os sequestradores para tentar salvá-la. É assim que eles vão parar a bordo de um navio e são levados a cidade de Spoke.
Eis a grade surpresa: o universo mágico encontrado em Museu de Ladrões ainda está muito presente em Cidade de Mentiras, mas a surpresa maior é o deslocamento da narrativa, os leitores que esperavam a continuação ainda na cidade de Jewel e dentro do Museu de Dunt se surpreenderam com essa viagem marítima. Na cidade de Spoke acontece a temporada do Festival das Mentiras em que toda grande mentira pode se tornar realidade e esse ambiente mágico e surreal acompanha a narrativa.
Também somos apresentados a novos personagens como Mouse e Pounce e a muitos mistérios envolvendo personagens e a própria cidade de Spoke, além do mais neste segundo livro da trilogia o ritmo é mais frenético e cada página há uma aventura e um perigo a espreita. Mesmo com a narrativa principal sendo desenvolvida em Spoke, Lian Tanner, também nos proporciona uma narrativa secundária com os acontecimentos na cidade de Jewel e no Museu de Dunt, com o reaparecimento o Orientador e as manipulações dele e as ações da Protetora, Sinew, Olga Ciavolga, Herro Dan, Broo e Morg.
Como aconteceu no primeiro livro, o segundo termina de uma maneira singular e com um gancho incrível para novas aventuras, dessa vez em Jewel, que se tornou um caos ainda mais saliente que a cidade de Spoke e toda a sua áurea de mentiras. Definitivamente a curiosidade e a vontade de ler o terceiro e último volume da trilogia é grande e voraz.
Para concluir só posso dizer que essa trilogia conseguiu me cativar desde o primeiro livro que me introduziu nesse universo mágico da cidade de Jewel e do Museu, tenho grandes expectativas para o terceiro volume e digo a todos os leitores que caso tenham a oportunidade de ler leiam ou proporcionem a si mesmos a oportunidade de ler Os Defensores, trata-se de um infantojuvenil impressionante e cativante.

Camila Márcia

Detalhes do segundo livro da trilogia, que felizmente segue o padrão do primeiro e está lindo!

2 comentários:

  1. Mila, essa trilogia é puro amor. <3 Eu também não consigo me aguentar para saber como a autora fecha essa história, porque é MUITO boa. Sinto ao mesmo tempo felicidade e tristeza por isso.
    Essa diagramação da Farol ficou espetacular, né?

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Lu, essa trilogia tem me surpreendido bastante, desde que li suas resenhas fiquei curiosa e agora li, juro que não me arrependo, só gostaria de poder fazer todo mundo ler também. Ela é perfeita. Já estou ansiosa pelo próximo volume e sei que vou ficar triste quando concluir a trilogia, mas vou ficar feliz por matar a curiosidade. (*.*)
      Obrigada pelo comentário, flor!

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!