Resenha: “Uma Carta de Amor” de Nicholas Sparks

Saudações Leitores!
Para quem acompanha o DLL sabe que sou fã do Nicholas Sparks e apesar de ainda não ter lido todos os livros dele os que li (Noites de Tormenta, A Escolha, Um Homem de Sorte e O Melhor de Mim) tem um espaço reservado no meu coração, claro que eu não podia perder a oportunidade de ler Uma Carta de Amor* um livro já publicado no Brasil mas com todas as edições esgotadas, certamente, como percebemos este relançamento veio cheio de vontade e os apaixonados por romances já o colocaram no topo de suas listas, o que foi meu caso, confiram o que achei.

Uma Carta de Amor, Nicholas Sparks, São Paulo: Arqueiro, 2014, 288 pág.
Traduzido por Eliana Sabino

Message in a Bottle (1998) foi escrito pelo autor best-seller e queridinho Nicholas Sparks, que dispensa apresentações extensas. Tal como vários outros de seus livros, Uma Carta de Amor, também tem adaptação cinematográfica com título homónimo e foi estrado em 1999. Já faz algum tempo que esse livro foi lançado no Brasil, mas a edição estava esgotada há muito tempo e agora, neste mês de março, ele foi relançado.
Sou fã do Nicholas Sparks e tenho vários livros dele embora ainda não tenha lido todos, fico guardando a leitura para quando eu realmente preciso. Fazia algum tempo que eu estava precisando ler Nicholas Sparks e o relançamento de Uma Carta de Amor veio a calhar até porque fazia muito tempo que procurava um exemplar desse livro e nunca encontrava. Aproveitei o momento e pude apreciar este livro.
O que posso dizer de Uma Carta de Amor? Nicholas Sparks tem o dom de narrar e o mais incrível: constrói romances envolventes, com personagens simples, mas ao mesmo tempo complexos. Certamente, tais características não ficam de fora de Uma Carta de Amor. Narrado em terceira pessoa, ficamos a par da vida de Theresa Osborne, que ao passar suas férias em Cape Cod acaba encontrando na praia uma carta dentro de uma garrafa, a carta a deixa muito comovida e foi escrita por Garrett que a escreve para uma mulher chamada Catherine que simplesmente não está mais ao seu lado.

"Antes de nos conhecermos, eu andava pela vida sem sentido, sem razão. Sei que de alguma forma cada passo que dei desde o momento que aprendi a andar foi um passo na sua direção. Fomos destinados a ficar juntos.
Mas agora, sozinho em casa, acabei compreendendo que o destino pode ferir alguém, assim como pode abençoá-lo e fico perguntando porque, entre todas as pessoas do mundo que poderia ter amado, tive que me apaixonar por uma que foi levada para longe de mim." (p.48)

Deanna, amiga de Theresa, incentiva e a convence publicar a carta em sua coluna de jornal – Theresa é jornalista do Boston Times – e, após relutar, acaba publicando. Quando volta de férias Theresa encontra muitas cartas em resposta a sua coluna e dentre todos que se comunicaram Theresa acaba encontrando outra carta de Garrett e depois de algum tempo encontra mais outra carta.
Deanna percebe o interesse de Theresa em relação a Garrett e quer, mais que tudo, que a amiga seja feliz já que ela, após se divorciar de David, não conseguiu se envolver realmente com ninguém, pois nem todos estavam dispostos a aceitar o filho dela, Kevin, e após pesquisas a respeito do escritor das cartas, elas descobrem onde Garrett vive e Theresa vai em busca de conhecê-lo.
Theresa foi para Wilmington para conhecer Garrett, lá os dois acabam se aproximando e se apaixonando. Não obstante, Garrett fica preocupado por achar estar traindo a falecida esposa Catherine. Garrett está machucado e não conseguiu superar a perda de sua mulher. E Theresa, apesar de estar se recuperando de forma paulatina da separação esconde o segredo das cartas de Garrett.
Uma Carta de Amor mostra-nos um romance de tirar o fôlego porque – apesar de não ser um livro erótico, como todo mundo está se habituando a ler – Nicholas fala de amor verdadeiro, um amor que não é só sexo, um amor que cura e cicatriza feridas: um amor cúmplice.

"Num mundo que eu raramente compreendo, existem ventos do destino que sopram quando menos os esperamos. Às vezes sopram com a fúria de um tufão, às vezes mal tocam nossa face. Mas eles não podem ser negados, trazendo, como muitas vezes trazem, um futuro impossível de ignorar. Você, minha querida, é o vento que eu não previ, o vendaval que soprou com mais força do que jamais imaginei ser possível. Você é o meu destino." (p.270)

Este livro, apesar de muitos contratempos na história do casal, tem tudo para ter um final feliz, mas é claro que quando falamos de Sparks podemos esperar uma reviravolta e algo que vai mudar tudo e que alguém vai acabar morrendo – isso não é spoiler, pois todos sabemos que os romances sparkianos tem dessas coisas – assim sendo, é de bom tom, sempre reservar alguns lencinhos para os livros do Nicholas.
Sim, alguém morre. Sim, nós sofremos com essa morte. Entretanto, acredito que Uma Carta de Amor tem, também, um final feliz porque ambos os corações (de Theresa e Garrett) são curados e os dois descobrem como ser felizes e que a felicidade depende de seguir a diante.
Não vou dizer que este foi o melhor livro do Nicholas que já li, porque não foi, mas para mim ele é um dos meus escritores preferidos porque além de amar os romances e a fabulosa maneira de Nicholas contar suas histórias tenho certeza – mesmo antes de ler seus livros – que vou gostar de ler. É uma leitura confortável e mágica que nos faz acreditar no amor verdadeiro: que em algum lugar também encontraremos o nosso amor verdadeiro, mas temos que ficar na torcida para que ele não termine de uma maneira tão trágica.

Camila Márcia


*Este livro foi Cortesia da Editora Arqueiro

6 comentários:

  1. Oi,Mila!
    Não sei o que há de errado comigo. Não consigo me sentir atraída pelos livros do Sparks, sei lá. Eu adoro muitos filmes baseados em seus livros, mas não sei bem o motivo de não conseguir ler nenhum dos seus livros. Às vezes até surge um surge um interesse ,mas ele acaba indo embora rapidamente. Esse, por exemplo, parece meio lento. De qualquer maneira sei que tenho que vencer este bloqueio. Mas curti bastante sua resenha e como toda Sparkete que se preze você conseguiu transmitir todo seu amor.
    Ótima resenha!
    Bjs!

    Zilda Peixoto
    http://www.cacholaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Zilda, que fofo seu comentário.
      Sim, sou fã do Nicholas e sei que apesar de gostar dele muitas pessoas não curtem seus romances, mas eles são lindos em sua essência.
      Não nego que Uma Carta de Amor tenha uma narrativa lenta, mas nem por isso deixa de ser envolvente e com personagens profundamente apaixonados... para mim o Nicholas Sparks é o autor que mais se aproxima de escrever contos de fadas modernos... ele - te juro - faz com que acreditemos no amor verdadeiro... Tá, eu sou muiiiiito romântica, deve ser por isso que amo os livros dele.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Você comentou algo importante, Mila: apesar de tudo, o final possibilita a felicidade ao pensarmos que ambos tiveram seus corações curados após uma história de amor.
    "Uma Carta de Amor" também não é meu livro favorito, mas depois de "Um Amor para Recordar" foi o único que me deixou sem reação quando tudo aconteceu daquela maneira. Acho que todos tinham motivo para um final trágico, o que não é o caso desse. Infelizmente :(
    Hoje postei sobre o filme. Vi que sua opinião é parecida com a minha: muita coisa mudou desnecessariamente.

    Beijos,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rick,
      Quando vi sua postagem sobre o filme corri para conferir e percebi que concordamos em muitos pontos, também vou postar sobre o filme (o post já está nos meus rascunhos), mas antes queria postar a resenha e em breve mesmo sai a postagem do filme... E concordo com você: houve mudanças desnecessárias. Foi a primeira adaptação cinematográfica do Nicholas que já assisti completamente diferente e um tanto quanto frustrante, mas claro para quem só pretende conferir só o filme irá gostar bastante (desde que não tenha lido ao livro que é muito mais romântico).
      Obrigada pela visita e comentário.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  3. Sou fã do Nicholas Sparks e odeio o Nicholas Sparks... mas puxa, esse escritor não sabe dar finais felizes aos seus romances, que é isso? Sofre, choro e me antecipo em comprar lenços porque pegar um livro do Nicholas para ler é preciso de um kit primeiros socorros: chá, café ou chocolate quente, cookies e lenços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ohhhhhh Ju,
      É exatamente assim que me sinto ao ler Nicholas, um misto de raiva e admiração. Amo a forma como ele escreve e acho seus romances açucarados a coisa mais fofa do mundo, mas dá uma raiva por ele matar personagens que ele mesmo nos ensina a amar durante a narrativa. A gente sofre porque ansiamos que os personagens que nos cativaram sejam eternos... mas enfim... também faço uso do kit primeiros socorros.
      Toda vez que pego um romance do Nicholas sei que vou chorar e apesar da fórmula já conhecida: amor intenso + relacionamento lindo + discussão + morte de alguém eu sempre vou gostar... é um clichê me me põe lágrimas nos olhos e tem lugar cativo no meu coração.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!