Resenha: “Uma Vez na Vida” de Marianne Kavanagh

Saudações Leitores!
O que falar de Uma Vez na Vida*? Com uma premissa boa, personagens encantadores, mas que, infelizmente, travou, mesmo assim, afirmo, categoricamente, que este livro não é ruim, tente me entender lendo a resenha abaixo.
Uma Vez na Vida, Marianne Kavanagh, São Paulo: Única Editora, 2014, 96 pág.
Traduzido por Elisa Nazarian

For once in my life (2009) é o primeiro romance da escritora e jornalista Marianne Kavanagh e apesar de ter tido boas críticas lá fora, na minha concepção foi um livro frio, não teve clímax e em nenhum momento você fica a suspirar pelo casal.
Tudo começa em 2002 quando Tess cruza com sua alma gêmea, George, na rua, mas como ambos não se conhecem, passam indiferentes um pelo outro. Entretanto, Tess tem uma amiga, Kristy, que conhece George e que sempre afirmou, categoricamente, que os dois tinham nascido um para o outro, a partir daí ela se esforça ao máximo para fazer com que os dois se conheçam, mas o destino parece não estar disposto a facilitar as coisas para os dois e ambos não têm a oportunidade de se conhecer até terem se passado quase dez anos, embora diversas vezes tenham estado sob o mesmo teto.
É apenas em 2011, quando ambos estão bem maduros e que desistiram de seus sonhos, porque a vida não lhes foi generosa é que Tess e George tem a oportunidade de se conhecerem. George já está casado e tem uma filha. Tess está morando com seu namorado e já tem uma vida planejada com ele. Nesse ínterim, quando Tess e George se conhecem tudo parece mudar: primeiro, ambos se dão conta de que são almas gêmeas; segundo, eles percebem que a vida deles seguiram caminhos diversos; e terceiro, os dois não são felizes com suas escolhas, mas aprenderam a viver com elas.
Tess é uma personagem encantadora ela ama roupas vintage e sonha com sua própria loja de roupas vintage claro. George é, também, um bom personagem, ele ama música e sonha em ser um cantor famoso. Ele tem talento, Tess também, mas as circunstâncias de suas vidas castraram seus sonhos, até que Tess e George se conheceram e se deram conta de que valia a pena lutar pelos sonhos.
Uma Vez na Vida é um livro que tem tudo para ser bom: um enredo interessante, personagens interessantes e histórias que se passam em vários lugares e países, mas – infelizmente – a história não se desenvolveu, foi lenta e os sentimentos são tão frios quanto gelo. Apesar de ter gostado do casal Tess e George e ter sofrido pelos dois nunca terem se encontrado, esse casal não conseguiu me fazer ficar na torcida deles.
Considerando todos os pontos que este livro tinha para ser maravilhoso e não foi, culpo a forma como ele foi escrita: muito fragmentado, distante e frio, era como se cada palavra do livro fosse um tijolo formando uma parede ao redor dos personagens e nos privando de seu carisma. Uma Vez na Vida é uma leitura fria e sem emoção, não tem clímax, o leitor espera, espera, espera, espera e espera para que algo aconteça e NADA. Nem quando Tess e George ENFIM se conheceram não houve aquele clima de fogos de artifícios...
Então, Uma Vez na Vida é um livro ruim? Não, não é. O livro é regular e é uma leitura agradável, embora seja lenta – quase se arrastando – por isso, não quero desmotivar ninguém a lê-lo, se você ficou com vontade de ler, vá em frente, mas vá preparado para não ter grandes surpresas.


*Este livro foi cortesia da Única Editora, para saber mais sobre ele clique Aqui.

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!