Resenha: "Ligue os Pontos – Poemas de Amor e Big Bang” de Gregorio Duvivier

Saudações Leitores!
Eu sempre gostei de poesia e, por isso, não é novidade eu ter solicitado Ligue os Pontos* e assim poder matar minha curiosidade em conhecer a escrita de Duvivier, confesso que fiquei impressionada porque se trata de um livro simples, mas foi escrito de uma maneira tão complexa que é impossível soltá-lo.


Ligue os Pontos – Poemas de Amor e Big Bang, Gregorio Duvivier, São Paulo: Companhia das Letras, 2013, 88 pág.

Gregório Duvivier dispensa apresentações, basta dizer que ele faz parte do famoso canal no YouTube: Porta dos Fundos, mas ele não é só um humorista sarcástico e inteligente, ele também é escritor e Ligue os Pontos é um de seus livros de poesia.
Trata-se de um livro que em pouco tempo dá para devorá-lo, mas sua essência fica muito mais visível se for saboreado calmamente. É um livro simples, singelo e – na minha concepção – é quase uma ode ao Rio de Janeiro, em que Duvivier faz seu próprio mapa sobre bairros cariocas e vai ligando cada bairro e cada história de forma simples e sarcástica.
Ligue os Pontos também trata de amor, de luz, trevas e de sentimentos intangíveis e fugazes, é um livro pequeno, mas que traz de tudo um pouco, exaltando aquilo que se deve exaltar e ironizando e criticando outras tantas coisas abomináveis.
Mesmo não conhecendo o Rio de Janeiro e mesmo me perdendo na hora de ligar os pontos – por conta da minha falta de conhecimento – dá para ler tranquilo e apreciar a genialidade e o jogo de palavras e mistérios que envolvem cada poema e trecho.
Definitivamente este livro se trata de um daqueles que vez por outra vamos querer pegá-lo, abrir numa página qualquer e ler, degustar as palavras e os sentimentos por trás de cada uma delas, desvendar o mistério das palavras e da escolha delas por Duvivier é uma tarefa incrivelmente fascinante.
Nada do que está em Ligue os Pontos foi escrito sem pretensão, nota-se logo nos primeiros poemas que há um objetivo e cada leitor pode ver de um prisma diferente e este é um dos grandes legados da poesia.
Ligue os Pontos também é um livro que vem a me alegrar, pois vejo a força da poesia brasileira, que ela não morreu e que há ainda bons poetas hoje em dia. Que Duvivier seja sempre uma caixa de surpresa para todos os leitores - cariocas ou não - brasileiros.

* Esse livro foi cortesia da Companhia das Letras, para saber mais clique AQUI.

12 comentários:

  1. Oi Mila,

    Passo tempo demais sem aparecer, né? A vida é tão corrida e me sinto mal por não vir tanto aqui já que AMO o seu espaço. Suas críticas, sugestões e resenhas são tão parecidas comigo que fico chateada por não poder acompanhar diariamente seu blog.
    Sobre o livro Ligue os Pontos eu já tenho esse livro nos meus desejados e não entendo ainda o motivo de não tê-lo comprado ainda. Mas vou comprar. Amei a resenha e me alegrou bastante sua observação sobre a poesia brasileira... porque pra falar a verdade de poetas só gosto mesmo dos mais clássicos os mais contemporâneos, para mim, carecem de 'musas' de inspiração e as poesias saem meio chochas... fico feliz por Gregorio não ser assim.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju, obrigada pela visita e comentário

      De fato também tenho a impressão de que a poesia brasileira anda meio com as pernas tortas, mas é porque nem todo grande poeta ainda foi descoberto, alguns, infelizmente, permanecem no anonimato... Sim, sou dessas que morrem de esperança, e acredito que Gregorio Duvivier tem essa emoção, sutileza e percepção poética que faz com que toas as poesias saiam uma lindeza e cheias de sentimento/significado.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Olá Camila,

    Já coloquei nos meus desejados!
    Acho o Gregorio uma pessoa muito talentosa e quero conferir o trabalho dele....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adélia!
      Eu jurava que você já tinha lidoooooo.... você que ama poesia ainda não leu? Corre, não espera mais nenhum segundo!

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  3. CONFESSO QUE NÃO IMAGINA ESTE SER MARAVILHOSO QUE ME LEVA AS GARGALHADAS,QUANDO ESTOU TRISTE SER UM ESCRITOR DIGAMOS PERFEITO.MAIS UM BRASILEIRO QUE NÃO FOGE AS REGRAS E NÃO TEM VERGONHA DE SER TÃO POVÃO.ADORO POESIA,MAS NÃO AQUELAS CANSATIVAS,QUE VOCE COMEÇA A LER E QUER PARAR..PELA RESENHA PARECE SER TOTALMENTE O CONTRARIO...PARABÉNS@#GREGORIODUVIVIER.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariza,

      Esse livro e as poesias são muito boas, não são cansativas e se você se cansar e quiser parar de ler vai perceber que já terminou foi o livro inteiro... Muito bom. Sou fã de poesia.

      xoxo
      MIla F.

      Excluir
  4. Nossa, você acabou respondendo a minha pergunta durante a sua resenha. Fiquei pensando "Mas então este livro é mais voltado para quem conhece os bairros do Rio de Janeiro e eu ficarei perdidinha, né?"
    A ideia dos pontinhos, creio que só vendo mesmo para entender...Mas que bom que eu poderei apreciar este outro lado mais poético, rebuscado e sensível de Gregório! rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, como hoje em dia está tudo tão interligado e a cultura massificada e a maioria dos filmes e novelas serem RJ-SP a gente acaba 'conhecendo' muitas ruas e bairros, mas é bom ver o olhar de um poeta sobre eles... é uma nova e bem grandiosa perspectiva. Vela a pena.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  5. Oi!!
    Ótima resenha, me fez querer ler o livro agora mesmo >.<!!!
    Adoro esse tipo de leitura,inteligente e despretensiosa ao mesmo tempo em que diverte.
    Com certeza entrou na lista de desejados!!
    T+!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \õ/ Uhurrrr que bom que a resenha lhe despertou interesse, esse livro é mesmo muito bom, vale a pena ler!!!!

      Obrigada pela visita e comentário.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  6. Você falou tudo, Camila!!! O Duvivier é, realmente, uma caixinha de surpresas. Já o conhecia pelo canal Porta dos Fundos, e alguns outros trabalhos na TV e Cinema, ou seja, conhecia esse lado de ator. Não sabia que ele era redator, roteirista, diretor e, muito menos, escritor e poeta. E o melhor de tudo, ele é bom em tudo o que faz. Claro que vou querer ler não apenas esse, mas tudo o que ele lançar.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nardonio,
      Eu tô chocada como o Duvivier consegue ser tudo muito bem, é um homem multifacetado e vale não só a pena - mas um frango inteiro - ler o livro dele. Ontem terminei a leitura de Put Some Farofa e fiquei de queixo caído... o cara é muito bom.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!