Resenha: "O Livro do Bem" de Ariane Freitas e Jessica Greco

Saudações Leitores!
Aposto que vocês já ouviram falar de O Livro do Bem*, esse livro tem ganhado cada vez mais destaque desde seu lançamento pela Editora Gutenberg e, foi por isso que acabei o conhecendo e desejando com todas as minhas forças lê-lo. Então, abaixo segue minha resenha/desabafo/observações sobre essa lindeza de livro.


O Livro do Bem, Ariane Freitas e Jessica Grecco, Belo Horizonte: Editora Gutenberg, 2014, 224 pág.

O Livro do bem: coisas para você fazer e deixar seu dia mais feliz foi escrito por duas amigas: Ariane Freitas e Jessica Grecco e surgiu por meio de sua FanPage Indiretas do Bem e acabou se tornando um livro, desses que popularmente chamamos de livros interativos. A intenção da FanPage, bem como do livro é espalhar o amor pelo mundo. O resultado? Deu certo.
Sabe quando você vê um livro e se apaixona a primeira vista? Foi exatamente isso que aconteceu com O Livro do Bem. Não que eu seja uma ótima desenhista ou saiba soltar a imaginação, mas vejo esses livros interativos como uma forma de exercitar a criatividade, a mente, o espírito e o autoconhecimento, uma forma de quebrar a rotina (ao  invés de pegar um livro para ler, você pegar um para escrever), uma forma até de tirar o stress: buscar a felicidade nas pequenas coisas.
Este livro além de ser uma forma bastante criativa de se expressar, tem partes bem poéticas e maravilhosas, as autoras, Ariane e Jessica, foram fabulosas ao criá-lo e colocar nele os ingredientes perfeitos para uma receita de sucesso: um pouco de música, poesia, arte e sentimentos.
Confesso que não foi tão fácil como eu pensei que seria preencher O Livro do Bem, porque ao ir seguindo todas as instruções fui me dando conta que havia muito sobre mim que não conhecia ou que tinha dúvidas e precisava me colocar na balança e tomar uma decisão: sonhos, desejos, música e poesia estavam tudo dentro de mim só que o dia-a-dia às vezes ocultam nossas melhores partes e quando somos questionados sobre elas não conseguimos enxergar, dá pra acreditar nisso?
Percebi que sou feita de sonhos, versos e músicas, que tenho muita coisa guardada dentro de mim, que sou, possivelmente, uma caixinha de surpresa até para mim.
Ao finalizar O Livro do Bem me deu uma louca vontade de fazer tudo de novo e, quem sabe, mudar uma coisinha ou duas que escrevi (aquela busca pela perfeição, sabe?), também ao chegar ao final do livro e ao folheá-lo deparei-me comigo e percebi o quanto cada uma daquelas páginas tem pedaços meus. Ou seja, se alguém pegar o meu exemplar  não irá se deparar apenas com as autoras Ariane Freitas e Jessica Greco, irá se deparar comigo, irá me conhecer. De certa forma agora carrego dentro de mim a sensação de ter escrito O Livro do Bem.
Acredito que todo mundo precise de Um Livro do Bem em suas vidas, é doçura em páginas, é poesia em palavras, é sentimentos escritos e desenhados. É você!


*Esse livro foi cortesia da Editora Gutenberg, para saber mais sobre ele clique AQUI.

4 comentários:

  1. Quero logo o meu!
    Amo esse tipo de livro para você completar com a criatividade.
    Eu tô amando o Diário da Seleção, é muito bom.
    Beijão
    Twenties Girl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana,

      O Livro do bem é uma fofura que só vendo!
      Eu tenho O Diário da Seleção... mas só coloquei meu nome, não avancei ainda... Mas em breve começo a preenche-lo.
      Vá fundo em O Livro do bem, além de ser interativo tem muitas 'indiretas do bem'
      .
      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Que livro fofo, eu já queria de mais só pelo nome porque quem não gostaria de ter um livro do bem? hahah :))
    Ele parece ser ótimo porque não é só interativo, tem coisas fofas também *oo* Quero muito mais agora!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Betânia,

      exato ele é bom porque não é só interativo, tem frase, mensagens e muita coisa bacana... diagramação também é um 'show' a parte.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!