Resenha: “A Vida do Livreiro A. J. Fikry” de Gabrielle Zevin

Saudações Leitores!
Hoje trago, para vocês, uma resenha muito especial do fofíssimo A Vida do Livreiro A.J. Fikry* e me encho de vergonha em admitir que já faz algum tempo que tenho meu exemplar e ainda não tinha lido. Como fui capaz de demorar tanto para lê-lo? Se arrependimento matasse....


A Vida do Livreiro A. J. Fikry, Gabrielle Zevin, São Paulo: Paralela, 2014, 190 pág.
Traduzido por Flávia Yacubian

The storied life of A.J. Fikry foi um livro que me cativou pela capa e pelo título, lógico: sou uma leitora viciada e o título/capa são muito instigantes. A Vida do Livreiro A. J. Fikry se trata do oitavo romance de Gabrielle Zevin, que começou sua carreira de escritora aos 14 anos!!!!
O que mais gostei em A Vida do Livreiro A. J. Fikry é que não é o livro que gera expectativas e que promete demais, desde o começo ele mantem um ritmo gostoso e favorável para a leitura, a escrita de Gabrielle é deliciosa e envolvente, os personagens criados por ela são tão reais, impressionantes nas suas delicadezas e nos seus jeitos rudes.
"Lemos para saber que não estamos sós. Lemos porque estamos sós. Lemos e não estamos sós. Não estamos sós.
Minha vida está nestes livros. Leia estes livros e conheça meu coração.
Não somos como romances. Não somos como contos. No fim, somos como obras selecionadas." (p.180)

Por mais simples que A Vida do Livreiro A. J. Fikry trata-se de uma estória complexa, em que cada personagem tem papel fundamental – até mesmo os secundários têm suas próprias histórias – e tudo começa a se delinear quando percebemos que A.J. Fikry é um homem rabugento, mas por trás desse seu estado constante vamos desvendando os motivos, além do mais quando ele conhece Amelia, a vendedora de livros, ele começa a ter consciência de suas atitudes erradas e grosserias.
"Quando leio um livro, quero que leia ao mesmo tempo. Quero saber o que Amelia acharia dele. Quero que seja minha. Posso prometer livros e conversas e todo o meu coração, Amy." (p.114)

A coisa começa a ficar mais bizarra na vida de A.J.Fikry quando ele encontra Maya, uma bebezinha, abandonada em sua livraria. Inicialmente ele só pensa em se livrar da menina, mas ao observá-la, os olhos brilhando e toda a inteligência da garotinha, ele começa a amá-la e acaba por adotá-la. A partir desse momento a vida de A.J.Fikry muda completamente.
"Deparei-me com o conto outra vez, há dois anos, e chorei tanto que você vai ver que o livro está manchado. Acho que fiquei mole depois da meia-idade. Mas também acho que minha nova reação está relacionada com a necessidade de encontrarmos histórias no momento certo de nossas vidas. Lembre, Maya: as coisas que nos tocam aos vinte não são necessariamente as que nos tocam aos quarenta, e vice-versa. Isso é a verdade para livros e para a vida." (p.37)

A Vida do Livreiro A. J. Fikry trata-se de um livro fictício, embora o título nos remeta a uma biografia, e como o livro vem a narrar a vida do livreiro A.J. Fikry, a própria narrativa nos lembra uma biografia, contudo não é. Além do mais, tenho que salientar uma das partes mais gostosa deste livro: os diálogos, são uma delícia.
"Menininha, você não devia sair amando por aí tão fácil.
Estou preocupado com você. Se amar todo mundo, vai acabar quase sempre de coração partido." (p.51)

Em suma, este livro, fala de mudanças de vida, postura, perdão, amor, livros –muitos livros – e escritores. A.J. Fikry amava com todas as suas forças os livros e o que fazia, o livro não chega a nos fazer derramar lágrimas, mas emociona e nos faz criar um afeto todo especial pelos personagens, tanto que, ao virar a última página, dói se separar deles.


*Este livro foi cortesia da Editora Paralela, para saberem mais sobre o mesmo, clique AQUI.

2 comentários:

  1. Já vi muita gente falando bem desse livro e sua resenha me deixou com mais vontade de ler, com certeza será uma das próximas leituras.
    http://eraumavezumaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bia,

      Fico feliz que minha resenha tenha cumprido com o papel de incentivar a leitura, eu realmente achei esse livro gostosinho e fofo... um tributo a todo amante de livros, pois com certeza gostaríamos de vender e viver entre as páginas dos livros... Espero que o leia em breve e aprecie a leitura.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!