Resenha: “O Grande Gatsby” de F. Scott Fitzgerald

Saudações Leitores!
Ainda não entendo o motivo de ter demorado tanto para ler O Grande Gatsby*, sem dúvida, este livro merece todos os méritos que tem. Foi uma leitura que me surpreendeu bastante. Vou explicar mais abaixo...

O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald, São Paulo: Geração Editorial, 2013, 204 pág.
Traduzido por Luís Humberto

The Great Gatsby foi publicado pela primeira vez em 1925 e escrito pelo norte-americano Francis Scott Key Fitzgerald, que atualmente é conhecido como um grande representante da "geração perdida", o ídolo da juventude insatisfeita de seu tempo. Além de O Grande Gatsby, Fitzgerald escreveu os romances: "Os belos e os malditos", "Suave é a noite" e o inacabado "O último Magnata", além do mais escreveu uma peça de teatro e seis volumes de contos. O Grande Gatsby é considerado sua obra-prima e já foi adaptado diversas vezes para o cinema.
A narrativa é em primeira pessoa, contada por Nick Carraway e tem como plano de fundo o a prosperidade sem precedentes após a Primeira Guerra Mundial, a década de 1920. Nick começa a relatar precisamente o verão de 1922  e é uma crítica ao "Sonho Americano".
Nick Carraway passa a contar como se tornou amigo de Jay Gatsby e de como ele vivia uma vida promovendo festas animadas em sua mansão em Long Island, mas que as festas eram frequentadas por pessoas que muitas vezes ele nem sequer conhecia. Além de tudo isso há muitos rumores sobre Gatsby e a origem de sua fortuna, além de seu passado completamente misterioso e desconhecido.
Nesse ínterim, Nick também visita seu amigo Tom Buchanan e sua mulher Daisy (prima de Nick) e quando o tempo vai passando percebe-se que Daisy conhecia Gatsby e que eles já foram namorados. Tom, também tem uma vida devassa, com uma amante e festas. 
Gatsby, viveu do sonho de reencontrar sua amada Daisy e perece nesse sonho, e faz de Nick Carraway seu confidente e cúmplice de sua paixão. Nick é o homem honesto e fica grotescamente chocando com a direção que a vida do grupo vai tomando: traição, violência, fanfarras e mortes, tudo parece ruir. 
Quando o fim de Gatsby chega percebe-se que ele esteve a vida toda de riqueza rodeado por milhares de pessoas, mas que termina incrivelmente sozinho e desconhecido.
O Grande Gatsby  foi um livro que me surpreendeu pela simplicidade da narrativa, mas a fantástica construção da história foi impecável, envolvente mostrando os costumes de época. É de uma riqueza esplendorosa esse livro que me cativou desde a primeira página. 


*Esse livro foi cortesia da Geração Editorial, para saber mais sobre o mesmo, clique AQUI.

2 comentários:

  1. Olá! Esse livro está na minha meta de leitura, uma amiga me indicou e disse ser muito bom... me empolguei mais depois que li sua resenha!
    Abraço!

    http://eventualobradeficcao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Roberta,

      bom ver sua mensagem e saber que você tem esse livro na sua meta de leitura, porque eu acho que você deveria encarar a leitura, é bem legal e divertido. Fiquei surpresa, porque como é considerado um clássico eu supus ser um pouco rebuscado, mas não... foi uma leitura bem fluida.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!