Resenha: "A Garota que Perseguiu a Lua" de Sarah Addison Allen

Saudações Leitores!
Lembro que desde o lançamento de A Garota que Perseguiu a Lua eu ansiava por lê-lo, daí comprei e deixei ele guardado na minha estante. No final do ano passado, quando eu estava fazendo faxina na estante o 'achei' e peguei para ler, agora super me arrependo de ter demorando tanto.


A Garota que Perseguiu a Lua, Sarah Addison Allen, São Paulo: Editora Planeta, 2012, 340 pág.
Traduzido por Alice Klesck

The Girl who Chased the Moon no Brasil A Garota que Perseguiu a Lua foi escrito pela americana Sarah Addison Allen, o que primeiro chamou minha atenção para este livro foi essa capa divina, depois esse título perfeitinho, daí, agora que li estou super arrependida por ter deixado essa leitura me esperando na estante por tanto tempo.
"A forma como vemos o mundo muda o tempo todo. Tudo depende de nosso humor."(p.111)
Para alguns leitores este pode ser considerado apenas um livro, mas traz duas histórias deliciosas que acontecem na pequena cidade de Mullaby, começamos a acompanhar a história de Emily, que passa a morar com o avô 'gigante' após a morte da mãe e passa a conviver com a história de sua mãe, mas precisamente com as consequências dos atos de sua mãe, aparentemente todos na cidade odeiam e tem muito mistério envolvido. Emily também vai se deparar com muitas coisas que não tem explicações racionais, são mistérios e magias que todas as pessoas de Mullaby aprenderam a conviver, ela terá que lidar, também, com um provável romance com Win, mesmo contra a vontade da família.
"Viver seu próprio passado já era bem difícil. Não se deveria viver o passado de outra pessoa." (p.16)
A segunda história é de Julia uma mulher madura que se mudou de Mullaby, mas retornou para a cidade após a morte do pai e terá que aprender a conviver com suas decisões e seu segredo, ela terá que aprender a perdoar e se perdoar para poder voltar a viver sua paixão de juventude por Sawyer.
"Eu sempre estou com saudade de casa. Só não sei onde é minha casa. Há uma promessa de felicidade por aí. Eu sei disso. Até a sinto às vezes. Mas é como perseguir a Lua: bem na hora em que você acha que a tem, ela some no horizonte. Eu fico triste e tento seguir em frente, mas depois o maldito troço volta na noite seguinte, me dando esperança de pegá-la novamente." (p.175)
Ambas as histórias falam sobre recomeços, sobre reparar erros do passado. Para mim, as duas histórias são bem envolventes, os mistérios, a fantasia que não chega a ser tão surreal é um tempero para o livro, do tipo que existem realmente, afinal sempre tem algo de fantástico em nossas vidas, só precisamos de um olhar atento para percebermos.
A Garota que Perseguiu a Lua é um livro doce, fluido e envolvente, traz uma leitura tranquila e tão despretensiosa que a mensagem e a lição que fica se torna permanente na gente. Acredito que o fato de eu estar procurando uma leitura assim tão fofa ajudou bastante ao meu coração a amar esse livro. Se você busca algo delicado, duradouro, envolvente, essa é uma boa pedida.


2 comentários:

  1. Não tenho certeza se vou gostar da leitura, mas pretendo comprar pelo menos pela capa haha
    P.S.: adorei suas fotos :*

    http://somaisumapaginamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria Luiza,
      obrigada pela visita e comentário, um amorzinho.
      Então, eu gostei realmente do livro, era a leitura que eu precisava naquele momento. A capa é divina.
      Espero que conheça e aprecie a leitura...

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!