Resenha: "A Sereia" de Kiera Cass

Saudações Leitores!
Sou fã de Kiera Cass então é mais do que natural ansiar pelo lançamento e leitura de A Sereia*, e embora sabendo que esse, na verdade, foi o primeiro livro escrito por Kiera eu esperava algo fabuloso até porque todo o miticismo que gira em torno das sereias sempre me deixou fascinada, agora quero contar para vocês como foi minha experiência de leitura.


A Sereia, Kiera Cass, São Paulo: Seguinte, 2016, 323 pág.
Traduzido por Cristian Clemente

The Siren no Brasil A Sereia (que será lançado em 26 de janeiro de 2016) foi primeiro livro já escrito por Kiera Cass, conhecida pela sua série A Seleção: A Seleção, A Elite, A Escolha, A Herdeira, Contos de A Seleção, Felizes para Sempre que vem reinventar a mitologia das sereias.
Ao contrário de A Seleção que me pegou de jeito logo na primeira página, senti uma dificuldade imensa de gostar de A Sereia, porque eu tenho uma ideia comigo onde considero escrever um livro de fantasia/ ficção algo bastante difícil porque o autor tem que convencer o leitor sobre o que está escrevendo, sobre o ‘mundo’ que está construindo e isso é espetacularmente bem mais complicado do que escrever um chick-lit ou um romance contemporâneo onde você apresenta fatos corriqueiros, possíveis de ser reais.
A Sereia não me convenceu, não nego que a leitura seja fácil, fluída e que é instigante – por isso consegui ler até o fim – mas faltou o tempero, aquilo que vicia e que te faz parar o livro e pensar o quanto o autor é fantástico e genial ao ter criado aquilo. Não senti nada ao ler este livro.
De uma forma resumida o enredo é bem raso e supérfluo: temos uma mitologia a cerca das sereias – que não é aprofundada – onde três jovens lindas servem a Água (que além de ser água, é uma entidade e ‘fala’) e tem que cantarem para atraírem naufrágios e assassinarem pessoas para alimentarem a Água, essas jovens servem por 100 anos e depois estão ‘’livres’ para continuarem suas vidas.
Achei os personagens vagos: Kahlen é uma protagonista que não convence e é depressiva, como alguém como ela conseguiu viver 80 anos do jeito que vive e não se acostumou? Como alguém que já viveu quase um século pode não ter perspectivas para o futuro e não ter uma grande bagagem intelectual e cultural? Kahlen é retrógrada só quer se apaixonar, mas o que alguém tão egoísta e que vive de forma tão individualista sabe sobre o amor?
É aí que surge Akinli o rapaz misterioso, com um nome exótico – que eu pensava que poderia significar alguma coisa, mas não faz sentido algum – e se apaixona por Kahlen, uma ‘garota’ que só viu algumas poucas vezes e muito rapidamente.  Surge uma paixão tão grande que só em estarem distante os dois adoecem – não, péra – eu sei que o amor é algo profundo, mas é um exagero haver uma paixão tão forte assim quando você viu a pessoa, o quê?, quatro vezes e nem chegaram a ter um diálogo realmente profundo.
O que seria de A Sereia sem as fabulosas Miaka e Elizabeth? As duas personagens sereias irmãs de Kahlen, definitivamente, salvam o livro, porque apesar de serem impulsivas e um pouco imaturas para quem já viveu anos e anos, conseguem ser divertidas e aproveitarem a vida, sem frustrações e arrependimentos.
Agora a pergunta que não quer calar: gostei ou não de A Sereia? Não, mas eu tentei muito gostar, no entanto, não foi nada do que eu pensava: pecou na mitologia (ela fez sereias com pernas, isto é, sem rabos de peixe, que é quase como um vampiro que brilha no sol e não queima) que mesmo sendo da forma como foi merecia ter sido melhor trabalhada, deveria ter construído personagens convincentes para seus devidos tempos de ‘vida’ e não deveria ter forçado no relacionamento de Akinli e Kahlen, pois ficou vazio e superficial, não dá para sentir que ali existia amor, claro que temos que levar em consideração que esse foi o primeiro livro que Kiera escreveu e que para um primeiro livro não está tão ruim, mas não chega aos pés de sua série de sucesso: A Seleção.
Em resumo, para quem já curte a escritora e é fã dos trabalhos dela vale a pena dar aquela conferida no livro, é uma leitura válida, mas não vá com sede ao pote poque você pode perceber que lá dentro não tem águas profundas.

* Esse livro foi cortesia da Editora Seguinte, para mais informações acesse: Aqui.

13 comentários:

  1. Minha opinião exatamente igual a sua!!! Não consigo sair da página 10!!! Amo a Seleção,mais esse livro a kiera pecou e muito.Livro chato e entediante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Samara,

      lamentavelmente a Kiera não soube desenvolver a história, que em si - por ser de um ser misterioso como Sereias - teria tudo para ser bom, mas... pecou...

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Eu estou louco pra ler esse livro porque já li diversas resenhas que falam bem dele e algumas que não falam tão bem, mas como eu sempre digo: precisamos criar nossas próprias opiniões. eu amo livros da Kiera e acho que ela não vai me decepcionar, acho que será a minha próxima aquisição. Adorei seu blog, já está nos meus favoritos.

    Meu Blog: www.umcontainer.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, eu também sou da mesma opinião que as pessoas devem ter suas próprias opiniões... e livros é bem relativo, enquanto uns amam outros odeiam... então, acho que vale a pena você conferir.
      Eu não gostei desse, mas como fã da escritora eu precisava conhecer...

      xoxo
      Mila F.

      Ps.: Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  3. Concordo com você, acredito que ela pecou em não segui a mitologia e mais ainda em ter feito um romance tão superficial. Se fosse um livro de 500 páginas ou até mesmo dois livros eu teria lido e contendo mais informações, adorado!
    Blog Letícia Iarossi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kiera Cass deu uma escorregada nesse livro, uma pena... fazer o quê?
      Só sei que não me agradei nada.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  4. Nossa, eu ainda não li, mas com certeza tava pensando em ir "com muita sede ao pote"! Amo histórias de sereias, porém infelizmente é difícil achar um livro que retrate bem o universo delas. Cade as sereias com caldas? Não é o primeiro livro do gênero que eu tenho interesse em ler, mas me frustro por ter sereias com pernas. Gostei da sua resenha. Você foi sincera e mostrou bem sua opinião.
    Fiz uma resenha de outro livro sobre sereias, só que da escritora Tricia Rayburn.Se quiser ver, vou deixar o link aqui https://www.youtube.com/watch?v=dI5DzLUpHmA
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana,

      realmente foi uma decepção essa leitura, nem sei como encontrar palavras que não sejam tão pesadas para dizer o quanto não gostei, achei a história tão bobinha, cheia de fios soltos. Muito fraca.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  5. Bom, após a leitura adorei. Eles tiveram apenas algumas conversas e simplesmente se apaixonaram. Achei lindo isso, paixão de repente, e aí, praticamente no livro inteiro ela está disposta a dar a sua vida por ele desde que a água não o mate. Concordo na sua descrição dela (nunca vi garota mais chata), porém, depois de matar tanta gente eu ficarei do mesmo jeito, achando que não merecia nem uma frestinha de amor. E o sonho dela é encontrar alguém, encontrar o amor. Com certeza é difícil pra ela ter esse sonho e ser uma sereia. Uma sereia. Fiquei boba por ela não ter cauda (como pode?) Mas depois percebi que sereias são uma invenção. Chapeuzinho vermelho, hoje existe até chapeuzinho amarelo! Adorei tudo no livro(só queria que ela lembrasse da água e das irmãs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ler sua opinião, mesmo que diferente da minha, adoro ver os pontos que te agradaram...

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  6. Eu gostei do livro na verdade eu amei, O AMOR dos dois é muito lindo de se ver, só o final que deixou a desejar pois gostaria que ela se lembrasse das irmãs e da Água, gostei tanto que gostaria que tivesse uma continuação. Lógico que ele não se compara com a seleção mais se tratando de histórias tão distintas cada uma teve seu encanto. Pena que acabou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito sua opinião Tuene,

      queria ter sentido o mesmo, mas infelizmente não foi assim.

      xoxo
      MilaF.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!