Resenha: "Identidade Roubada" de Chevy Stevens

Saudações Leitores!
Eu amo histórias que mexem comigo, então eu já sabia que ia gostar de Identidade Roubada* antes mesmo de começar a ler. Acertei em cheio. Cinco estrelas para esse livro porque ele merece. A história foi incrível, envolvente, tensa, angustiante, revoltante... pensei - devo ter falado também - muitos palavrões durante a leitura. Uma palavra para descrever esse livro? Seria: Inquietante.


Identidade Roubada, Chevy Stevens, São Paulo: Arqueiro, 2011, 256 pág.
Traduzido por José Roberto O’Shea

Still Missing publicado originalmente em 2010 foi escrito pela escritora canadense Chevy Stevens, é importante frisar que Identidade Roubada já foi vendido para mais de vinte países e se tornou best-seller nos Estados Unidos e na Alemanha.
Fazia muito tempo que queria ler esse livro, então finalmente tive a oportunidade de tê-lo em mãos e ‘devorá-lo’, não vou me fazer de doida, eu sabia o que esperar da leitura, pois a sinopse já prova o quanto o livro é tenso, dramático e traz um assunto muito cruel, portanto, é óbvio afirmar que me emocionei com essa história.
"Tenho certeza de que tem gente que fica tão esmagada, quebrada, que nunca deixará de ser um fragmento humano." (p.99)
A narrativa de Identidade Roubada é bastante diferente dos outros livros que já li e que abordam a temática, a técnica usada é a que cada capítulo é uma sessão de terapia com a psicóloga de Annie, nossa personagem principal.
Através das sessões de terapia sabemos que Annie é uma corretora de imóveis que é sequestrada durante o trabalho e passa mais de um ano desaparecida e sendo abusada sexualmente, violentada, escravizada e martirizada pelo sequestrador que a coloca numa cabana (prisioneira) numa montanha remota e isolada da civilização.
"Fiquei ali deitada com aquele maluco nu me abraçando, querendo que a cama se abrisse e me engolisse inteira. Meu braço doía, meu rosto doía, meu coração doía. Chorei até pegar no sono." (p.33)
Cada sessão Annie abre seu coração e sua mente para reviver os traumas, perdas, danos e consequências de tudo o que passou, seus medos tudo está escrito neste livro e tudo é muito a flor da pele. Em diversos momentos Chevy Stevens é bem minuciosa e realista que é devastador acompanhar tudo pelo que Annie passou.
Um ponto bastante interessante em Identidade Roubada é que ao passo que vamos acompanhando as lembranças do que aconteceu com Annie nas montanhas e em seu cativeiro, ficamos a par também dos acontecimentos que a levaram a fugir do cativeiro, e de toda a investigação policial para descobrir quem estava por trás do sequestro. De fato, o sequestrador era doentio, mas o desenrolar dos fatos e a descoberta que visualizamos através das investigações são muito assustadoras também.
"Quando finalmente gozou, eu queria jogar água sanitária na minha vagina e me esfregar com água quente até sangrar, mas não podia sequer sair da cama para me lavar." (p.51)
Identidade Roubada é um livro perturbador e inquietante, me fez lembrar em muitos momentos o livro Quarto (Emma Donoghue), e sem dúvida é o tipo de livro que angustia o leitor, que tem que parar para recuperar o fôlego para seguir a leitura.
Nunca tinha lido nada de Chevy Stevens, mas esta escritora acabou de ganhar meu respeito com esse livro, vale muito a pena conhecer essa história, no entanto, vale uma ressalva: é um livro muito triste, então se você não gosta do tipo é melhor não arriscar, mas se gosta, esta é leitura obrigatória!

"Por dentro, morri." (p.44)


*Esse livro foi cortesia da Editora Arqueiro, para saber mais sobre o mesmo, clique AQUI.

2 comentários:

  1. Oi Mila,

    fiquei bastante curiosa, aprecio romances policiais... thrillers psicológicos etc.

    abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ju,

      então corre pra conferir esse foi o livro mais fantástico que li este ano de thriller psicológico. Gente eu sofri mesmo... muito bom

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!