Resenha: "O Circo Mecânico Tresaulti" de Genevieve Valentine


O Circo Mecânico Tresaulti, Genevieve Valentine, Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2016, 320 pág.
Traduzido por Dalton Caldas
Ilustrado por Wesley Rodrigues

Saudações Leitores!
Mechanique: A Tale of the Circus Tresaulti (2011) cujo título brasileiro ficou O Circo Mecânico Tresaulti foi ganhador do prêmio Crawford Award 2012 e indicado para o Prêmio Nebula, escrito pela americana Genevieve Valentine conhecida por escrever livros de fantasia e ficção científica.


De início, O Circo Mecânico Tresaulti, é extremamente confuso e estranho, senti-me absolutamente perdida, pareciam haver várias histórias soltas, mas na medida em que fui lendo fui entendendo o sentido de cada história de cada um dos integrantes do Circo e seu papel e função dentro dele.


A história se passa após várias guerras que resultaram na morte de milhares de pessoas, amputação de outras tantas e destruição de cidades inteiras, nesse contexto surge Boss que restaura corpos das pessoas com partes mecânicas e essas pessoas acabam por trabalhar em seu circo. O interessante é que mesmo com o passar do tempo essas pessoas (mecanicamente restauradas) não envelhecem, não morrem de causas naturais, no entanto podem ser assassinados.

"Havia sempre lágrimas de alegria; um homem tão lindamente unido com uma máquina era algo que as pessoas precisavam ver depois de uma guerra como a qual haviam passado. A tecnologia naquela época era armas e sinais de rádio; as pessoas precisavam lembrar-se da arte da máquina." (p.20)

O Circo segue sua rotina normal de viagens por todo o mundo - quase nunca passando pela mesma cidade duas vezes - e nessas andanças outros integrantes passam a fazer parte da família circense, o que naturalmente é bom, mas o lado ruim é que mesmo fugindo do governo, certa vez eles encontram um agente do governo que capturam Boss com interesses e ambições particulares em seus poderes e a trupe terá que ou se unir para salvar Boss.


Aí, vocês podem me perguntar: o que há de confuso, estranho e bizarro nisso? Gente, essa ideia que passei só fica clara quase no final do livro (tipo faltando menos de 100 páginas para terminar), até você chegar a essa compreensão você vai ficar lendo todo O Circo Mecânico Tresaulti de forma automática e apesar de achar interessante vai achar confuso, bizarro, sem noção e entediante (é chato ler uma coisa confusa), mas se você persevera vai perceber o quanto o livro é interessante e o quanto toas as informações - que pareciam coisas aleatórias e jogadas - vão se tornando informações essenciais e toda a teia vai se ligando de forma genial. Não faltou genialidade neste livro.

"Alguns circos têm uma águia como mascote; alguns têm um leão, ou um aro em chamas, ou uma estrela de oito pontas. O emblema do Circo Mecânico Tresaulti é um grifo de perfil, com suas asas articuladas abertas." (p.21)

O Circo Mecânico Tresaulti é bem diferente de todos os livros que já li e isso me chamou atenção e ao mesmo tempo me deixou sem saber como me posicionar em relação a gostar ou não do livro. Após ler e refletir um pouco, posso dizer com toda a certeza que o livro é bom e que gostei de lê-lo.


Como a narrativa não é linear, o leitor tem que ficar bastante focado e prestar atenção aos detalhes e aos personagens - uns vão agradar mais do que os outros - mas é legal ver que a narrativa usada por Genevieve Valentine tem um tom tão mágico e sobrenatural como um espetáculo do próprio circo. É como se o leitor estivesse na plateia. 

"Um circo sempre encontra um lar, todos querem um espetáculo." (p.165)

Quero salientar mais dois pontos que me chamaram atenção: os personagens modificados mecanicamente me fizeram lembrar bastante de um show de horrores tipo Frankestein e isso me assustou: homens máquinas se apresentando: pessoas com asas mecânicas, com ossos de canos de metal e outras bizarrices... Se fosse real eu teria medo de olhar para essas criaturas! (medinho)... O outro ponto que eu queria tocar era sobre as ditas cujas Asas, teve uma revolução enorme e brigas internas por conta de quem ficaria com essas asas que achei um exagero e tão complexo no final eu gostei do que aconteceu, mas fiquei meio... senti falta de algo mais. Queria a decisão e a opinião da Boss, pelo menos. 

2 comentários:

  1. Mila eu preciso te falar que mesmo não tendo me interessado por este livro, gostei da sua resenha, mas tudo ficou em segundo lugar, porque em primeiro estão essas fotos... UAU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wowwwwwwwwwwwwwwww que gracinha!!! ♥

      Muito obrigada, de verdade... e mesmo não tendo se interessado no livro quero deixar claro que é bom e que se você algum dia buscar leituras diferentonas esta deve entrar na sua lista.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!