Resenha: "Vampiratas: Demônios do Oceano, vol.1" de Justin Somper

Vampiratas: Demônios do Oceano, Justin Somper, Rio de Janeiro: Record, 2007, 304 pág.
Tradução: Alves Calado
COMPRAR: Amazon

Saudações Leitores!
Vampirates: Demons of the Ocean (2005) no Brasil Vampiratas: Demônios do Oceano, escrito pelo inglês Justin Somper, é o primeiro volume da série Vampiratas que conta com mais cinco livros: Maré de Terror (vol.2), Capitão de Sangue (vol.3), Coração Negro (vol.4), Império da Noite (vol.5) e Guerra Imortal (vol.6).

A primeira vez que ouvi falar dessa série foi em 2012 no blog Livros e Chocolate onde li a primeira resenha que me deixou eufórica e louca de vontade de ler, mas apenas agora (5 anos depois) me joguei nessa leitura.
Toda a narrativa fictícia acontece no ano de 2505 no litoral leste da Austrália. Quando os gêmeos Connor e Grace Tormenta (14 anos) ficam órfãos eles se veem obrigados a fugirem do lugar onde sempre moraram, a Baía Quarto Crescente, pois não queriam ser adotados ou pior irem parar num orfanato, então, eles decidem fugir pelo mar com o barco de seu falecido pai, mas uma tempestade inesperada acaba fazendo com que os irmãos naufraguem. 

No meio da tempestade, Connor é resgatado por um navio pirata chamado Diablo, cujo capitão é Molucco Wrathe e o jovem acaba se tornando um pirata também. Já Grace é resgatada por Lorcan um dos integrantes do navio Vampirata e fica mantida presa em uma das cabines sem saber exatamente o que está acontecendo.
Vampiratas: Demônios do Oceano tem uma narrativa que flui de forma gostosa e intercala duas narrativas para que fiquemos a par do que está acontecendo no navio Pirata e no navio Vampirata, mas em vários momentos fiquei agoniada sem saber muito sobre os Vampiratas, já que Lorcan mantia Grace totalmente desinformada e presa, quando ela começou a descobrir o que estava acontecendo as coias foram ficando ainda mais emocionantes, sobretudo com a chegada do Festim, que é quando os Vampiratas se alimentam de sangue humano e houve um vampiro tenebroso chamado Sidório que achou que Grace seria uma doadora de sangue. Tremi na base.
Com todos os perigos que Grace corria, as coisas não estavam melhor para Connor já que eles foram assaltar um navio que estava cheio de tesouros e houve luta e muita aventura, que o jovem pirata soube contornar. 

A forma como o livro se desenvolver foi muito boa para um primeiro livro de série, que geralmente é uma introdução ao "universo", e a forma como o livro finalizou quando os dois irmãos se reencontram, mas tem um futuro indefinido me deixou ainda mais eufórica para ler a continuação.
Para finalizar, Vampiratas: Demônios do Oceano, me lembrou muito A Quase Honrosa Liga de Piratas que também fala sobre pirataria e aventuras pelo mar, mas o contexto é absolutamente diferente. 

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!