Resenha: "As Crônicas de Nárnia: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (Crônica 2)" de C.S. Lewis

As Crônicas de Nárnia (Volume Único), C.S. Lewis, São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009, 752 pág. 
Crônica 2: O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa (99-186 pág)
Tradução: Paulo Mendes Campos
Ilustração: Pauline Baynes
COMPRAR: Amazon

Saudações Leitores!
Hoje trago a resenha da segunda Crônica de As Crônicas de Nárnia (The Complete Chronicles of Narnia) do escritor britânico C.S. Lewis intitulada O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, quem está acompanhando o Diário de Leitura já deve saber o que senti ao ler este segundo livro, mas  como já falei que faria uma resenha para cada livro vim falar desde.

Confesso que estava um pouco receosa ao começar a ler O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa, quem assistiu ao Diário de Leitura, parte 1 e parte 2 deve saber o quanto minhas expectativas estavam elevadas, mas tive o prazer de vê-las sendo correspondidas e até superadas.
No entanto, a única coisa que me doeu um pouco foi me despedir do Digory e da Polly, personagens da primeira Crônica, pois os considerei muito mais perspicazes do que os personagens desta: Lúcia, Edmundo, Pedro e Susana.

O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa acontece muitos anos depois dos acontecimentos de O Sobrinho do Mago, e embora Digory esteja presente nesta segunda crônica ele já está idoso e é apenas chamado de Professor, portanto toda a ação fica por conta dos novos personagens.
Num dia de brincadeiras Lúcia acaba se escondendo dos irmãos dentro do guarda-roupas que foi construído da árvore plantada por Digory (que era a semente da maçã que ele trouxe de Nárnia). Quando Lúcia entra no guarda-roupa vai parar misteriosamente em Nárnia e fica chocada com o novo mundo, aliás, o leitor também irá se assustar já que Nárnia está muito diferente daquela que conhecemos em O Sobrinho do Mago, pois aqui Nárnia está sob o domínio da Feiticeira cruel que tornou tudo sombrio, frio e coberto de neve, sem contar que todos os animais de Nárnia temem a feiticeira.

No entanto, Lúcia volta para o seu mundo e conta aos irmão sobre Nárnia, mas Pedro, Edmundo e Susana não acreditam... Por pouco tempo, pois muito em breve todos estarão em Nárnia numa maior aventura.
Novamente vamos nos deparar em O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa com fatos bem semelhantes ao encontrados na Bíblia: traição de Edmundo pode ser considerada bem parecida com a de Judas. Aslan sendo sacrificando pela segurança dos humanos, mas sem ser devidamente reconhecido pelo ato, entre vários outros fatos dentro dessa crônica.
"Quem venceu, a final? Louco! Pensava com isso poder redimir a traição da criatura humana?! Vou matá-lo, no lugar do humano, como combinamos, para sossegar a Magia Profunda. Mas, quando estiver morto, poderei matá-lo também. Quem me impedirá? Quem poderá arrancá-lo de minhas mãos? Compreenda que você me entregou Nárnia para sempre, que perdeu a própria vida sem ter salvo a vida da criatura humana. Consciente disso, desespere e morra."
Depois de todas as enormes confusões, a paz foi restabelecida em Nárnia e os irmãos ficaram governando por bastante tempo, mas depois tiveram de voltar para seu mundo, onde perceberam que não passou nenhum segundo a mais após terem entrado no guarda-roupa.

Ainda não sei muito bem o que esperar da próxima crônica que será O Cavalo e Seu Menino, pois ainda não tenho certeza se será os mesmos personagens desta segunda Crônica ou já seremos apresentados a novos. Sei que, novamente, será uma aventura para mim.
Em resumo, estou amando conhecer o universo criado por C.S. Lewis, como eu não fazia ideia sobre o que se tratava o livro, para mim, está sendo uma grande surpresa ao virar cada página.
"É claro que um dia vocês voltarão a Nárnia. Quem é coroado rei em Nárnia, será sempre rei. Nárnia. Mas não tentem seguir o mesmo caminho duas vezes. Na verdade, vocês nem devem fazer coisa alguma para voltar a Nárnia. Nárnia acontece. Quando menos esperarem, pode acontecer." 


0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!