Resenha: "Uma Dobra no Tempo (Vol.1)" de Madeleine L'Engle

Uma Dobra no Tempo (vol.1), Madeleine L'Engle, Rio de Janeiro: HarperCollins, 2017, 240 pág.
Tradução: Érico Assis

Saudações Leitores!
Uma Dobra no Tempo (A Wrinkle In Time) é o primeiro livro de uma série infantojuvenil de ficção científica com fantasia chamada Uma Dobra no Tempo, escrita pela estadunidense Madeleine L'Engle. Essa série já tem lá seus 50 anos de existência, mas pasmem: eu ainda não havia ouvido falar dela até este ano com a adaptação em filme e a reimpressão dos livros.

A ordem dos livros é:
1. Uma Dobra no Tempo
2. Um Vento à Porta
3. Um Planeta em seu Giro Veloz
4. Muitas Águas
5. Um Tempo Aceitável
Essa série também é conhecida por ser uma obra de fantasia cristã (aspecto que me faz lembrar de As Crônicas de Nárnia - vale lembrar que os assuntos e a forma de desenvolvimento são completamente diferentes, ok?) e que traz algumas mensagens e ensinamentos sobre teorias científicas e também de princípios religiosos. Não tenho nenhum problema com conteúdos assim, embora eu tenha sido pega desprevenida, pois não fazia ideia do que encontraria aqui.
"_Você acha que as coisas sempre têm explicação?
_Sim. Acredito que sempre têm. Mas acho que, dentro das nossas limitações de ser humano, nem sempre somos capazes de entender as explicações. Mas, veja bem, Meg: não é porque não entendemos alguma coisa que essa explicação não existe."
A verdade é que, apesar de ter gostado da leitura de Uma Dobra no Tempo o livro não fez meu coração bater mais forte pelas aventuras vividas por Meg Murry, seu irmão, Charles Wallace, e  seu amigo Calvin.

Uma Dobra no Tempo é uma leitura leve, gostosinha e rápida, traz personagens bem diferentes e misteriosos como a Sra. Quequeé, a Sra. Qual e a Sra. Quem. O enredo consiste, basicamente, na busca de Meg, Charles e Calvin, pelo pai: o Sr. Murry. Personagem que há anos está desaparecido e que aos poucos descobrimos que isso se deu por conta de uma pesquisa científica que ele realizava e acabou por tesserar em outro mundo. Então o trio de Senhoras misteriosas vão tesserar com as crianças e na medida em que isso acontece vão explicando "segredos" do universo, apresentando outros mundos, novos personagens e vivendo aventuras e perigos.
"Meg, era para você ter alguma noção. Por que vocês acham que acontecem guerras em seu lar? Por que vocês acham que as pessoas ficam confusas, infelizes? Porque elas vivem suas vidas à parte, na individualidade."
Como eu disse, apesar de ter gostado do livro, senti falta de um fundamento melhor, de melhor explicação, e um desenvolvimento mais descritivos sobre os mundos e as personagens criadas. Contudo, levando em conta o público para o qual o livro foi escrito, podemos considerar esses pontos não tão relevantes, já que mesmo com estas "lacunas" a estórias se desenvolve de forma intrigante.

Algo que realmente apreciei em Uma Dobra no Tempo foi a característica de passar alguns ensinamentos, curiosidades, preceitos e princípios que podemos carregar por toda a vida, além disso também temos mensagens lindas sobre amor, amizade e família que sempre devemos valorizar, por mais difícil que seja alguns relacionamentos.
"É tão assustador quanto empolgante descobrir que a matéria e energia são a mesma coisa, que tamanho é uma ilusão e que tempo é uma substância material. Temos como entender, mas é muito mais do que podemos compreender com nossos míseros cérebros de ser humano."
Mesmo não tendo me empolgado tanto com Meg, Charles e Calvin, acho que eles são personagens que podem se desenvolver melhor nos próximos volumes da série, também acredito que algumas explicações possam vir a surgir nos próximos volumes. Gostaria mesmo de saber os motivos da trio de Senhoras terem ajudado as crianças, terem escolhido elas para tesserar... entre outras perguntas que tenho na minha cabeça após a conclusão deste primeiro volume. Realmente espero que os próximos volumes tragam mais respostas.

Para finalizar meus comentários sobre Uma Dobra no Tempo acho super válido falar sobre a edição da HarperCollins: Capa dura, fonte agradável, espaçamento perfeito, margens também incríveis, e alguns extras como biografia da escritora e discurso de premiação. Está perfeita! 🙌😍
"_E não estamos sós, crianças, sabiam?_ disse a Sra. Quequeé, a consoladora._ É uma luta que se trava em todo o universo, em todos os cosmos, e, minha nossa, é uma batalha tão grandiosa quanto apaixonante. Sei que é difícil para vocês entenderem escalas, mas há pouca diferença entre o tamanho do mínimo micróbio e da maior das galáxias. Se pensarem nisto, talvez não vá lhes parecer estranho que alguns dos melhores combatentes vieram do seu próprio planeta. E, é um planeta pequeno, queridos, à beira de uma pequena galáxia. Deviam ter orgulho de ele ter se dado tão bem."

0 comentários:

Deixe seu comentário

Muito obrigada pelo Comentário!!!!