Resenha: “Harry Potter e o Cálice de Fogo” de J. K. Rowling

Saudações Leitores!
Uau, quando terminei a leitura do quarto livro da série Harry Potter fiquei sem palavras, até agora o que eu mais tinha gostado era "O Prisioneiro de Azkaban", mas com certeza "O Cálice de Fogo" também já se tornou meu favorito. Ma-ra-vi-lho-so! O livro é enorme, mas nenhum pouco cansativo. Confiram a resenha:


Harry Potter e o Cálice de Fogo, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2001, 583 pág. (tradução de Lia Wyler)

       “Harry Potter and the Goblet of Fire”, foi publicado originalmente em 2000 na Grã-Bretanha e é o quarto livro da série criada por J.K. Rowling e conta a história do menino bruxo Harry Potter em seu quarto ano na Escola de Magia Hogwarts.
       A história começa ainda nas férias aonde Harry vai para a casa dos tios Dursley na Rua dos Alfeneiros número 4 quando ele acorda no meio da noite com sua cicatriz, em forma de raio, doendo após ter tido um pesadelo com o Lorde das Trevas: Voldemort. Após alguns dias Harry vai para A Toca – casa dos Weasley – para posteriormente assistir a final da Copa Mundia de Quadribol – o esporte dos bruxos – e é o momento em que ‘cai a ficha’ para Harry que em outros países também há bruxos.
       Na Copa Mundial de Quadribol, Harry, conhece alguns jogadores famosos entre eles Vitor Krum, que é o jogador mais conhecido e admirado de todos. Após o jogo, um ataque dos Comensais da Morte deixa todo o acampamento em polvorosa e após o sinal da Marca Negra todos ficam exaltados. Neste ínterim, o quarto ano de Hogwarts ainda nem havia começado. Fatos estranhos e desaparecimentos já estavam acontecendo.
       O ano se inicia e Harry vai com Rony e Hermione para Hogwarts, lá entre muitos acontecimentos se inicia o Torneio Tribruxo, em que algumas escolas (Durmstrang e Beauxbatons) de outros países vão para Hogwarts para participarem. São escolhidos três campeões, um de cada escola. E para a escolha ser justas é posto o Cálice de Fogo acessível para que os alunos que querem participar possam colocar seus nomes dentro. Entretanto, Dumbledore e o Ministério fixam como regra a participação apenas de alunos maiores, devido o grau de dificuldade e perigo das tarefas do torneio.
       Na cerimônia de escolha – pelo Cálice de Fogo – os três campeões são apresentados: Vitor Krum da Escola Durmstrang, Fleur Delacour da Academia Beauxbatons e Cedrico Diggory de Hogwarts. Contudo, misteriosamente o Cálice de Fogo expele mais um nome de participante: Harry Potter, porém Harry é menor e o torneio é com três campeões e não quadro, mas segundo o estipulado, o Cálice de Fogo escolheu então ele deveria participar. O mistério acerca de quem colocou o nome de Harry no cálice é enorme e a preocupação do garoto também, pois ele sente medo do que lhe espera nas tarefas do torneio.
       Durante todo o livro, somos apresentados a diversas aventuras e muitas delas nos deixam numa expectativa enorme, um ponto interessante desse livro foi Rowling ter nos apresentado outras escolas de magia, outros alunos que não os de Hogwarts e ter detalhado muito mais os acontecimentos durante o ano letivo de Harry. Os acontecimentos estão todos entremeados e ligados desde a Copa Mundial de Quadribol ao último capítulo do livro, a linguagem é fluida, e o enredo gira em torno de muitos mistérios e muitas descobertas.
       “Harry Potter e o Cálice de Fogo” é, para mim, o livro que mais gostei até agora, apesar de “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” ser também um dos meus favoritos por apresentar o final mais inusitado, algo que eu jamais esperei! Vale a pena conferir, leiam, leiam, leiam...

Camila Márcia

3 comentários:

  1. Cedrico Diggory, eu te amo eternamente! HAUSHUAHSAS
    E, não só porque quem te interpreta é o Robert Pattinson, viu?

    Muito legal todas as cenas do labirinto, são meio tensas por causa do suspense que é mais evidente do que no livro, e tal...
    Mas a Fleur do filme não é tão bonita quando a veela do livro.
    HASHUASHUASHUHAS

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!