SOCIAL MEDIA

Mostrando postagens com marcador J. K. Rowling. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador J. K. Rowling. Mostrar todas as postagens
Saudações Leitores!
Estava tão ansiosa pela estreia de Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald que algumas amigas e eu partimos para Sobral para assistir a película. Após a pré-estreia e muita gente falando mal do filme, confesso que ficamos todas temerosa, mas, como fãs desse universo, fomos e vou contar o que achei...

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald
Título Original: Fantastic Beasts: The Crimes of Grindelwald
Direção: David Yates
Ano: 2018
Duração: 134 min
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia
País de Origem: Estados Unidos, Reino Unido e Irlanda do Norte
SINOPSE: Em um esforço para frustrar os planos do terrível bruxo das trevas Gellert Grindelwald (Johnny Depp), Alvo Dumbledore (Jude Law) recruta seu ex-aluno Newt Scamander (Eddie Redmayne), que concorda em ajudar, desconhecendo os perigos que estão por vir. As linhas são desenhadas à medida que o amor e a lealdade são testados, mesmo entre os mais verdadeiros amigos e familiares, em um mundo bruxo cada vez mais dividido entre seres de magos sangue puro e seres não-mágicos.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (Filme)

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Histórias de Hogwarts: Proezas, Percalços e Passatempos Perigosos
Histórias de Hogwarts: Poder, Política e Poltergeists Petulantes
Hogwarts: Um Guia Imperfeito e Impreciso
COMPRAR: Amazon 

Saudações Leitores!
Finalmente criei coragem para ler os três e-books disponibilizados pelo Pottermore, intitulados como: Histórias de Hogwarts: Proezas, Percalços e Passatempos Perigosos, Histórias de Hogwarts: Poder, Política e Poltergeists Petulantes e Hogwarts: Um Guia Imperfeito e Impreciso  que nada mais é do que livros que falam sobre curiosidades a respeito do universo de Harry Potter.

Resenha: Histórias de Hogwarts - J. K. Rowling

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Vidas Muito Boas, J.K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2017, 80 pág.
Tradução: Ryta Vinagre
COMPRAR: Amazon


Saudações Leitores!
Very Good Lives (2015) é o mais novo livro da J.K. Rowling (livros da escritora resenhados no blog AQUI) publicado no Brasil, mas na verdade não é algo inédito, pois se trata de um discurso da escritora para uma turma de Formandos em Harvard feito no ano de 2008.
"Não precisamos de magia para transformar nosso mundo; todos já temos dentro de nós o poder de que precisamos: o poder de imaginar melhor."

Resenha: Vidas Muito Boas - J. K. Rowling

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Fantastic Beasts and Where to Find Them - The Original Screenplay, J. K. Rowling, Nova York: Scholastic, 2016, 304 pág.
Comprar: Amazon, Saraiva

Fantastic Beasts and Where to Find Them - The Original Screenplay se trata do roteiro original do filme Animais Fantástico e Onde Habitam cuja estreia foi em 17 de novembro de 2017. O roteiro foi escrito pela própria J. K. Rowling, acredito que, para quem é fã do mundo mágico se torna mais um livro indispensável em sua estante.

Resenha: Fantastic Beasts and Where to Find Them (The Original Screenplay) - J. K. Rowling

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Harry Potter: A Magia do Cinema, Brian Sibley e J.K. Rowling, São Paulo: Panini, 2014, 164 pág
Tradução: Marina Fragano Baird e Thais Aux

Saudações Leitores!
Estou louca para falar sobre Harry Potter: A Magia do Cinema para vocês, na realidade quero mais é mostrar alguns detalhes do livro, portanto esta review será praticamente ilustrativa, ou melhor: fotográfica, daí vocês poderão tirar suas próprias conclusões.

Resenha: Harry Potter: A Magia do Cinema - Brian Sibley e J.K. Rowling

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Saudações Leitores!
Estou tão empolgada porque hoje vou apresentar para vocês minha primeira vídeo resenha e é bastante especial porque será do livro Harry Potter e a Criança Amaldiçoada, versão em português. Lamentavelmente a resenha tem alguns spoiler, então fica o aviso.
Desde já agradeço a quem assistir e comentar e vou amar ainda mais se vocês me disserem o que acharam não só do livro, mas do vídeo em sim. Tô aprendendo ainda sobre perder o diacho da timidez em frente a câmera, a ser mais sucinta e editar vídeo é uma "parada" completamente nova para mim (sou bem amadora). 

Resenha: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - J.K. Rowling, John Tiffany & Jack Thorne

sábado, 3 de dezembro de 2016

Saudações Leitores!
Dá para imaginar como uma fã de Harry Potter ficou emocionada com a publicação de Harry Potter and the Cursed Child? É claro que não tinha condição de eu esperar pelo lançamento nacional e já corri para adquirir e ler a versão em inglês.

Harry Potter and the Cursed Child, J.K. Rowling, John Tiffany & Jack Thorne,
 Scholastic, 2016, 320 pág.

Harry Potter and the Cursed Child é a oitava história da série Harry Potter criada por J. K. Rowling, no entanto, desta vez a história é "contada" de uma forma diferente, isto é, através do roteiro da peça com o mesmo título, além disso a peça foi escrita através da história original de Rowling com a participação de John Tiffany e Jack Thorne. O livro ainda não foi publicado no Brasil, mas a previsão já é para o final de outubro e o título brasileiro é Harry Potter e a Criança Amaldiçoada.

Resenha: Harry Potter and the Cursed Child - J.K. Rowling, John Tiffany & Jack Thorne

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Saudações Leitores!
Estava guardando Os Contos de Beedle, o Bardo para ler quando eu estivesse absurdamente nostálgica em relação a Harry Potter, pois era o único que não tinha conferido. Esse dia chegou e quero compartilhar a emocionante experiência...


Os Contos de Beedle, o Bardo, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2008, 107 pág.
Traduzido por Lia Wyler

The Tales of Beedle the Bard no Brasil: Os Contos de Beedle, o Bardo, é basicamente um livro extra para os fãs do universo de Harry Potter, o qual J.K. Rowling nos presenteou e faz parte do que comumente é conhecido como Biblioteca de Hogwarts que é composta por o já mencionado livro e Animais Fantásticos e Onde Habitam e Quadribol Através do Séculos.

Todos os livros extras foram citados na obra de J.K. Rowling, e Os Contos de Beedle, o Bardo teve um papel bastante fundamental no desenrolar dos fatos do último livro da série (Harry Potter e as Relíquias da Morte), portanto, é quase uma leitura obrigatória para os amantes da série que marcou uma geração de leitores.


Os Contos de Beedle, o Bardo é o que nós (trouxas) podemos comparar com os nossos populares contos de fadas, no entanto eles são destinados a comunidade bruxa. Tratam-se de cinco histórias diferentes com características moralizantes (tais como os contos de fadas).

As cinco histórias presentes no livro são: O Bruxo e o Caldeirão Saltitante, A Fonte da Sorte, O Coração Peludo do Mago, Babbity, a Coelha, e seu Toco Gargalhante e O conto dos Três Irmãos após cada conto temos os comentários e observações de Alvo Dumbledore.


Fico sem palavras para descrever meus sentimentos durante a leitura de Os Contos de Beedle, o Bardo, porque indubitavelmente me teletransportei novamente para o universo Harry Potter e é sempre bom poder voltar para um lugar conhecido. Além do mais eu não me canso de elogiar a genialidade de  J.K. Rowling por conseguir ter criado um universo tão fantástico e tão incrivelmente real para seus leitores.

J.K Rowling escreve de maneira fabulosa e encantadora, de tal modo que a leitura flui e quando percebemos já estamos virando a ultima página do livro e nos cobrindo com um sentimento saudosista e nostálgico maravilhoso, porque só podemos nos sentir assim quando vivemos e entramos em uma história.



Resenha: Os Contos de Beedle, o Bardo - J.K. Rowling

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Saudações Leitores!
Já faz algum tempo que tinha esse livro, mas negligentemente fui adiando a leitura, foi proposital, na verdade. Por quê? Acalentava-me saber que ainda existia algum livro sobre o universo de Harry Potter que ainda não tinha lido e seria uma fuga ou melhor, um retorno ao universo mágico e encantado que vivi. Mas eis que num bom dia me dá uma saudade grande e devoro Animais Fantásticos & Onde Habitam, gostei do livro, mas fico me perguntando como será o filme que vem aí... porque... bem que leu o livro sabe como é, então já estou preparada para mudanças drásticas, porque não tem condição de não haver, a não ser que o filme fosse uma espécie de documentário ou se passasse completamente dentro de uma sala de aula.


Animais Fantásticos & Onde Habitam, Newt Scamander/J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2001, 64 pág.
Traduzido por Lia Wyler

Fantastic Beasts & where to find them é um livro extra para os fãs da série Harry Potter e foi escrito pela J.K. Rowling que presenteou seus fãs com algo a mais sobre o universo do bruxo mais famoso do mundo, além do mais o dinheiro arrecadado com a venda desse livro seria doado.
O livro é uma cópia do livro usado por Harry Potter e tem anotações do próprio bruxo em algumas páginas e como um livro didático da escola de Hogwarts ele traz apenas explicação sobre o que são os animais fantásticos, onde habitam e alguns detalhes a mais sobre a potencialidade de perigo de cada animal, entre outras coisas.
A leitura é breve, tem algumas ilustrações e o melhor esse livro vai se tornar filme \õ/ para a alegria de milhares de fãs de Harry Potter, como eu.
Gostei bastante de ler este livro, mas não é uma história elaborada como HP, é um livro extra com algumas curiosidades e é bem interessante para quem é realmente fã.
Não vou me estender na resenha porque não tem muito que falar, é simplesmente um livro essencial para quem é fã.

Resenha: Animais Fantásticos & Onde Habitam - Newt Scamander / J. K. Rowling

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Saudações Leitores!
Já faz algum tempo que li Harry Potter e me tornei loucamente fã da série, mas confesso que demorei a comprar os exemplares extras e não queria pegar emprestado para ler porque se assim o fizesse eu demoraria muito mais tempo para comprar meus próprios exemplares. Enfim comprei e em poucas horas devorei Quadribol Através dos Séculos, saiba mais:
Quadribol Através dos Séculos, Kennilworthy Whisp (J.K. Rowling), Rio de Janeiro: Rocco, 2001, 63 pág.
Traduzido por Lia Wyler

Quidditch througth the ages (2001) é um livro escrito por J.K. Rowling sob o pseudônimo de Kennilworthy Whisp que, assim como Animais Fantástico e Onde Habitam é baseado na série Harry Potter e se tratam de livros que foram citados a série, ambos tiveram seus direitos cedidos para a Comic Relief que atua com crianças carentes.
Quadribol Através dos Séculos vem a ser um livro réplica do livro que existe em Hogwarts e traz toda a história do Quadribol desde a criação a sua evolução, colocando até a possibilidade de continuar evoluindo.

Além de expor a história do Quadribol este livro traz os principais times de Quadribol e a história desse jogo no mundo mágico: adequação e adoção dele em outros continentes. Nesse ínterim, também é exposto a questão da evolução das vassouras utilizadas para o jogo e as principais “marcas”, por fim, temos o Quadribol nos tempos atuais com descrições de alguns dos movimentos inventados como estratégia de jogo.
Indubitavelmente Quadribol Através dos Séculos é um livro breve, mas com um conteúdo bem amplo e deverás engraçado, a própria forma como ele é escrito é engraçada, há piadas internas, críticas e manchetes, tudo para dar uma maior autenticidade e personalidade ao livro e a narrativa.

É incrível como J.K. Rowling conseguiu me surpreender com este livro tão breve, tanto que fiquei ansiando por mais, mas infelizmente, esse livro é bem sucinto. Ela inova principalmente pelo fato de trazer um livro fictício, mas muito citado em Harry Potter para seus leitores, assim podemos nos sentir cada vez mais parte deste mundo mágico, além de, claro, ela ter tido a inventividade de criar um jogo completamente novo, traçar sua história através dos séculos e abranger toda a história esportiva.
Em suma, só posso indicar este livro, não só aos fãs de Harry Potter, mas a todos que saibam que um livro volumoso pode até ser bonito, mas não é sinônimo de que ele seja bom, entretanto, quando um escritor é genial em poucas páginas ele dá seu recado de maneira indiscutivelmente perfeita.

Camila Márcia

Resenha: Quadribol Através dos Séculos - Kennilworthy Whisp (J.K. Rowling)

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Saudações Leitores!
Quem acompanha o blog sabe que sou fã da J.K. Rowling e de sua famosa série Harry Potter e fiquei muito emocionada ao saber do novo livro da Diva e, como fã, fiquei contando os dias para o lançamento. Obviamente não pensava em comprar o livro tão cedo por conta do preço, que estava muito caro, entretanto, tive que comprá-lo quando o destino o colocou como leitura do mês do Clube do Livro Floreios e Borrões, do qual faço parte, então, apesar do preço [caro] o comprei, li e quem acompanha minhas outras redes sociais [o twitter, principalmente] já sabe mais ou menos como foi essa leitura. Lembrando que eu fiz essa leitura em fevereiro e somente agora estou conseguindo postar a resenha, dá para acreditar? õ.Õ
Antes de postar a resenha quero informar que Morte Súbita deve ser lido carregado do sentimento de desapego a Harry Potter, pois o mundo mágico se foi e o mundo real/cru/cruel é o que paira em cada uma das 501 páginas que agora resenho para vocês:

Morte Súbita, J.K. Rowling, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012, 501 pág.
Tradução: Izabel Aleixo e Maria Helena Rouanet


Morte Súbita cujo título original é The Casual Vacancy foi publicado em 2012, livro escrito por J.K. Rowling, autora da tão aclamada série Harry Potter (7 livros, há resenhas de todos aqui no blog) que deu origem a oito adaptações cinematográficas. Na mídia saiu algumas notas referentes a adaptação em série de The Casual Vacancy.
Morte Súbita é um romance adulto que acontece em uma pequena cidade chamada Pagford e gira em torno das consequências geradas pela súbita morte de Barry Fairbrother, um dos representantes do conselho de Pagford e um dos homens mais honrados que existiam na cidade, pelo menos tem aquele lance de que depois de morto todo mundo é santo, caso ele tivesse algum ‘podre’ ficou escondido no passado e não foi mostrado no livro. Com a morte de Fairbrother surge uma vacância no conselho e terá uma eleição para decidir quem irá ocupar o lugar.
O novo livro de J.K. Rowling gira em torno de conflitos políticos e também sociais, ou seja traz à tona temas como ganância, egoísmo, política, sexo, estupros, masoquismo/automutilação, drogas, enfim, as múltiplas faces de patologias sociais o que, claro, tornará a obra perene. Um dos pontos mais abordados no conselho são brigas territoriais entre Pagford e Yarvil sobre Fields, no conselho há os anti-Fields e os são a favor de continuarem custeando Fields, que é um lugar onde vivem pessoas pobres e drogadas.
Descrever Morte Súbita não é tão complicado assim, dizer que se trata de uma história que mostra o pior do ser humano e que tira toda e qualquer esperança que o leitor possa ter já resume tudo. Todos os inumeráveis personagens [sim, existem milhares de personagem e a cada folha que passamos aparecem novos, impossível lembrar o nome deles, sinto muito, isso me incomodou bastante] carregam sua cota extragrande de crueldade e nenhum tem a delicadeza que também é peculiar do ser humano.
Resultado: não consegui gostar de nenhum dos personagens da trama. São personagens reais, sem dúvida, mas a realidade é muito mais que isso. Todos temos um lado negro, mas também temos um lado bom e em Pagford [uma cidade abominável] ninguém tem um lado bom. Suas vidinhas numa bolha não me chamou atenção de modo algum e, embora seja um livro bem realista para mostrar os conflitos e interesses que pesam sobre uma eleição e uma cidade cheia de problemas sociais, não chamou minha atenção.
Obviamente J.K. Rowling continua escrevendo muito bem e isso é um ponto forte e que me fez não desistir do livro apesar dos, também incontáveis, usos de um vocabulário de baixo calão e sem papas na língua. Simplesmente não concordo com o fato de só por serem livros para adultos deva haver incontáveis palavrões, mas isso eu também relevei bastante. Aprecei isso na tradução.
Não sei se foi só eu, mas quando realizava a leitura tive a impressão de estar lendo um livro escrito por homem e não por uma mulher, no melhor estilo Harold Robbins [quem já leu o autor sabe o que estou falando, eram tantos: trepar, transar e foder que eu só vi mesmo nos livros deste autor].
É triste ter que admitir, mas passei quase um mês empacada nessa leitura, não tinha ânimo e nem vontade de ler, ademais, na maior parte do livro eu fiquei me perguntando: qual objetivo desse livro? Claro, como já disse anteriormente, há temáticas muito profundas, mas eu realmente não estava esperando por isso. Em alguns momentos J.K. Rowling até conseguiu prender minha atenção [principalmente nas partes finais], mas durante toda a leitura achei-o maçante e o final apesar de não ter sido como eu esperava, devo admitir combinou com toda a tragicidade do livro.
Por último quero dizer da minha frustração em relação ao título: o título brasileiro ficou meio tosco e com promessa de um belo romance policial à la Agatha Christie, mas quem espera por um suspense ou detetives geniais vai se frustrar ainda mais do que eu, que apesar de não ter criado nenhuma expectativa em relação a Morte Súbita a não ser a de voltar a ler J.K. Rowling, fiquei frustrada com o rumo e o tema  que a autora escolheu para tratar em seu novo livro.
Pra finalizar, obrigada editora Nova Fronteira por ter deixado a capa estilo a original, mas infelizmente: que capa feia!

Camila Márcia

Resenha: Morte Súbita - J.K. Rowling

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Saudações Leitores!
Cheguei ao fim da leitura da série Harry Potter, e agora percebo que sete livros se tornaram pouco para quem realmente se deixou cativar pelo bruxinho. É com alegria que vejo o desenrolar da história, mas foi com pesar que li a última frase do livro, porque vou ficar morrendo de saudades já não há outro em seguida. Espero poder reler a série novamente e assistir aos filmes (nunca assisti nenhum).
Bem, estou aqui tentando escrever uma resenha sobre esse livro e percebo o quanto é dificil por tamanha complexidade e inumeras informações contidas nele e, tenho convicção, de que nenhuma resenha, feita por mim ou por qualquer outra pessoa será suficientemente fiel ao desejo de poder expor todo o prazer que o resenhista sentiu ao realizar a leitura da série. Não obstante, vou tentar ser objetiva, mas tenho certeza que poderia passar o dia todo falado do livro que não me cansaria. Acho que a resenha será não só de uma fã, mas de garota que se deixou cativar e apaixonar por Harry Potter. Espero que gostem:



Harry Potter e as Relíquias da Morte, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2007, 590 pág. (tradução de Lia Wyler)

      “Harry Potter and the Deathly Hallows” é o título original e foi lançado mundialmente em 2007. Trata-se do sétimo e último livro da série do bruxo Harry Potter, foi escrito, como todos sabem, por Joanne Kathleen Rowling, mas conhecida por J. K. Rowling. Também como os outros seis livros da série ganhou adaptação cinematográfica, tendo uma diferença: este último livro originou dois filmes: Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte I e Parte II.
     Após a morte de Dumbledore e este ter passado uma tarefa imprescindível a Harry Potter: a de procurar Horcruxes. Harry, agora com dezessete anos, compartilha essa tarefa com seus melhores amigos Rony e Hermione, que se prontificam a ajudá-lo esporadicamente. O trio decide não voltar a Hogwarts para cursar seu ultimo ano e sim irem à procura das Horcruxes.
     Nesse ínterim, o Ministério da Magia é tomado por Voldemort, as pessoas são postas sob a Maldição Imperius e todo o mundo bruxo vê a ascensão de Lord Voldemort ao poder. O caos é implantado, os sangues-rins são perseguidos e mortos, muitos bruxos resistentes são assassinados e todos estão assustados e os trouxas também sofrem as consequências da ‘guerra’ bruxa. Comensais da Morte e Dementadores estão espalhados por todos os lugares a procura de Harry Potter.
     Entretanto, Harry e seus amigos tentam destrinchar um grande quebra-cabeça deixado por Dumbledore, para poderem encontrar e destruírem todas as Horcruxes e assim Voldemort poder ser destruído. Nessa busca, Dumbledore deixa um espólio com alguns objetos para Harry, Rony e Hermione. Para Harry deixou o Pomo de Ouro que ele capturou em seu primeiro jogo de quadribol e a espada de Godric Gryffindor; a Rony deixou o Desiluminador e a Hermione deixou um exemplar de Os Contos de Beedle, o bardo, objetos essências para a descoberta de novos mistérios envolvendo as supostas Relíquias da Morte.
     O livro é repleto de aventuras do começo ao fim e, também, cheio de mistérios que Harry e os amigos têm que descobrir e muitos deles estão relacionados com os livros anteriores da série. Ademais, Harry Potter e as Relíquias da Morte, tem uma ligação muito especial com o sexto livro (Harry Potter e o Enigma do Príncipe), pois é a continuação das histórias não finalizados no mesmo. É nesse livro que as forças resistentes: Armada Dumbledore e a Ordem da Fênix juntam-se para o confronto final que, não poderia ser em outro local a não ser em Hogwarts. Onde tudo começou, é lá que tudo, também, encontra seu fim.
     O sétimo livro da série é um dos mais diferentes, pois é o único em que Harry Potter não volta para mais um ano de estudos em Hogwards. É também neste livro em que, com a morte de Dumbledore, nos vemos diante de muitos boatos sobre a vida desse grande bruxo e nos deparamos com o choque de não sabemos nada sobre a vida de Alvo Dumbledore.
     À medida que, no livro, Harry e nós vamos descobrindo ‘fatos’ da vida de Dumbledore, confesso que dá um pouco de raiva do bruxo e aquela aura estonteante em que Dumbledore foi apresentado para os leitores nos livros anteriores vai definhando e nascendo. Eu ficava me perguntando o por quê de Rowling estar, de certa forma, colocando Harry e nós contra Dumbledore. É então que o fim vai se aproximando e a gente vai percebendo a genialidade da autora: seja bruxo ou trouxa, ninguém é perfeito.
     Enfim, só tenho que dizer que acredito que todos deveriam ler Harry Potter, sejam jovens ou adultos, a série é verdadeiramente perfeita e não é só feita de aventuras ou prazer de leitura, mas mostra um laço de amizade, família e amor muito profundos. Durante o livro somos apresentados personagens que são muito bem construídos e todos tem uma lição para aprender e uma lição para dar ao leitor. Eis uma série que merece ser lida.

Camila Márcia

Ps.: Quero novamente agradecer as minhas amigas Poliana e Marianne por terem me emprestado os livros da série e dividirem esse bruxinho comigo. Agora minha vida não será a mesma após conhecer Harry Potter... Obrigada!

Resenha: Harry Potter e as Relíquias da Morte (vol.7) - J.K. Rowling

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Saudações Leitores!
Inacreditável, hoje acordei as seis da manhã porque estava louca para terminar de ler esse livro e terminado o livro corri pro computador pra já fazer a resenha e disponibilizar pra vocês, eu precisava dividir minha experiência de leitura com alguém, não obstante, fico triste só de pensar que só falta mais um livro pra terminar a série. Tô apaixonada pelo Harry (risos). Quero aproveitar para agradecer a minha amiga Marianne por ter me emprestado o livro. Simplesmente maravilhoso, confiram a resenha e deixem seus comentários!


Harry Potter e o Enigma do Príncipe, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2005, 510 pág. (tradução de Lia Wyler)

Com o título original “Harry Potter and the Half-blood Prince” foi publicado em 2005, é o sexto (e penúltimo) livro da série Harry Potter e, novamente J.K.Rowling vai narrar mais um ano turbulento e cheio de descobertas na vida do bruxo Harry, agora com dezesseis anos.
É incrível como J.K.Rowling escreve “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” com maestria, uma história encadeada, lógica e sombria. Mistério é o que não falta neste sexto livro. O início do livro é o mais inesperado e ao mesmo tempo mais esperado possível, Rowling, conta da renúncia do primeiro ministro, Cornélio Fudge, e apresenta o mais novo ministro, o auror Rufo Scrimgeour, afinal a população bruxa não poderia mais acreditar que o Lord das Trevas estaria morto, não após o ataque no Ministério no ano anterior em que ficou mais do que provado que o que Harry e Dumbledore afirmavam não eram calúnias e sim a verdade.
Ainda no início do livro nos deparamos com Snape em uma situação e conversa suspeita com a esposa de Malfoy e Belatriz Lestrange (Comensal da Morte). Temos também a revelação de que Draco Malfoy se tornará um Comensal da Morte. Outro ponto estranho é que quem vai buscar Harry Potter na casa dos tios não são os integrantes da Ordem da Fênix, mas o próprio diretor de Hogwarts: Dumbledore.
Contudo, o ano letivo inicia-se, embora alguns pais temerosos pela volta de Voldemort tenham retirado os filhos da escola. Um ano de mistérios e dúvidas persegue Harry Potter, um livro de Porções rabiscado com dicas e encantos, um livro que pertenceu ao Príncipe Mestiço, ajuda Harry, mas deixa seus amigos curiosos. Quem seria esse Príncipe Mestiço?
Novamente Harry vê-se num labirinto de dúvidas e mistérios, pois é neste livro que ele descobre muitas coisas sobre a vida de Voldemort. J.K. Rowling construiu um enredo cheio de mistério que é capaz de deixar o leitor extasiado e cada vez mais ansioso pela leitura.
Os mistérios são destrinchados, mas há um dia fatídico, há mortes, perdas e Harry novamente sofrerá e terá que tomar grandes decisões. Entretanto, nos deparamos aqui com os fortes laços de amizade entre Rony, Hermione e Harry que mostram o quanto amigos fieis e verdadeiros são capazes de tudo pela amizade.
Confesso que adorei o livro e que a série cada vez me cativa mais, não obstante este – como muitas pessoas já disseram – é um dos livros mais sombrios da série e tem um final que me surpreendeu muito, não que eu não tenha gostado do fim, mas eu realmente não esperava, portanto, foi um choque.
A leitura é rápida, não pelo livro ser pequeno, porque ele não é (são 510 páginas!), mas porque após o inicio dificilmente se consegue largar o exemplar. Os personagens descritos por Rowling continuam evoluindo, crescendo. Os detalhes nas descrições e diálogos são fascinantes. Em suma: o livro não é cansativo, pelo contrário é perfeito!
Sem dúvida indico!

Camila Márcia

Resenha: Harry Potter e o Enigma do Príncipe (Vol.6) - J. K. Rowling

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Saudações Leitores! 
Já faz algumas semanas que comecei a ler Harry Potter e a Ordem da Fênix, entretanto comecei em um período bem puxado de provas da faculdade, minha amiga Poliana Fonteles (do blog Minhas Ana's) me emprestou (como ela tem feito com toda a série e carinhosamente a chamo de Polly Potter, porque ela é muito fã). 
Mas, enfim...dai entrei de férias e como o livro é bem grande (o maior da série!) fiquei alternando a leitura dele com outros livros menores que tenho que resenhar para as parcerias (do tipo um dia lia Harry e no dia seguinte lia outro livro). Então, agora terminei de ler e só posso dizer que fiquei sem palavras (embora meus preferidos ainda sejam: o Prisioneiro de Azkaban e o Cálice de Fogo) muito bom, mas chega de bla bla blá...


Harry Potter e a Ordem da Fênix, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2003, 702 pág. (tradução de Lia Wyler)

        Em junho de 2003, na Grã-Bretanha, foi publicado o quinto livro da série criada por J.K. Rowling: “Harry Potter and the Order of Phoenix”, sendo publicado no Brasil ainda no mesmo ano. Este livro também teve adaptação cinematográfica que foi estreada nos cinemas em 2007.
        J.K.Rowling continua a contar as aventuras de Harry Potter agora com 15 anos de idade e, como de práxis, a história se inicia nas férias de Harry, que não têm sido nada boas. Após a volta de Voldemort, Harry fica completamente desinformado do que está acontecendo com a comunidade bruxa, pois está passando as férias com os tios trouxas e sem nenhum contato com seus amigos Rony e Hermione fica entediado e ao mesmo tempo temeroso, apesar disso, também fica com muita raiva, pois acredita estar sendo deixado sem informações deliberadamente.
         Contudo, após um misterioso ataque dos Dementadores a Harry que se defendeu produzindo um Patrono, Harry é levado para a sede da Ordem da Fênix, em que vários bruxos liderados por Dumbledore se reúnem para elaborarem estratégias para impedir que Voldemort consiga levar outros bruxos para o lado das trevas. Lá na sede da Ordem, Harry reencontra-se com os Weasley e com seu padrinho Sírius.
        Mas as coisas não só começa complicadas para Harry Potter, muita coisa acontecerá neste ano em Hogwarts, desde a intromissão do Ministério de Magia, com a participação especial da Alta Inquisidora Dolores Umbridge que irá atazanar a vida de alunos e professores, como coisas misteriosas, sonhos estranhos e situações muito excêntricas vivenciadas na escola. O quinto ano de Harry e seus amigos Rony e Hermione serão marcados por proibições, primeiro beijo, aventuras e perdas.
        De fato, o enredo é muito bem construído e cada detalhe na história é bem entremeado e desenvolvido. A autora tem a felicidade de continuar amadurecendo a história, bem como seus personagens. Contudo o livro contem 38 capítulos e todos são extensos, o que, para mim, não chega a ser um ponto negativo, já que, percebe-se evidentemente que não se trata de uma literatura para crianças (embora haja crianças que a apreciem), mas sim juvenil, contudo em alguns momentos se tornou um pouco cansativa a leitura.
        É impressionante que a cada livro da série que leio acho cada vez mais fabulosa a forma que J. K. Rowling desenvolve a história e como ela consegue envolve-la em tantos mistérios deixando o leitor sempre preso a leitura e acho ainda mais fascinante como ela consegue desvendar o mistério ligando cada fato e cada pequeno detalhe que foi citado lá no comecinho do livro ou ainda lá no primeiro livro da série.
        Não obstante, J.K. Rowling sempre aborda acontecimentos passados em cada um de seus livros como se fosse um breve resumo o que contribui para que qualquer leitor, mesmo aqueles que não leram o primeiro livro, acompanhe a história, mas, é claro, a leitura da série na integra é muito mais interessante.
        Enfim, sinto-me na obrigação de indicar esse livro, pois simplesmente o adorei, mas confesso que no princípio me assustei um pouco com o livro, afinal são 702 páginas com letras bem pequenas! J.K. Rowling é fera né? Conseguir prender um leitor durante 702 páginas, não é pra qualquer um não...

Camila Márcia

Ps.: Apesar de ainda não ter assistido ao filme baseado neste livro, fico me questionando como um livro de 702 páginas cheio de detalhes importantíssimos podem ter se transformando em um filme de... de duas horas?... Bem, acredito que o filme deve ser ótimo,  mas como toda adaptação devem ter cortando muitas coisas imprescindíveis.

Resenha: Harry Potter e a Ordem da Fênix (Vol.5) - J. K. Rowling

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Saudações Leitores!
Uau, quando terminei a leitura do quarto livro da série Harry Potter fiquei sem palavras, até agora o que eu mais tinha gostado era "O Prisioneiro de Azkaban", mas com certeza "O Cálice de Fogo" também já se tornou meu favorito. Ma-ra-vi-lho-so! O livro é enorme, mas nenhum pouco cansativo. Confiram a resenha:


Harry Potter e o Cálice de Fogo, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2001, 583 pág. (tradução de Lia Wyler)

       “Harry Potter and the Goblet of Fire”, foi publicado originalmente em 2000 na Grã-Bretanha e é o quarto livro da série criada por J.K. Rowling e conta a história do menino bruxo Harry Potter em seu quarto ano na Escola de Magia Hogwarts.
       A história começa ainda nas férias aonde Harry vai para a casa dos tios Dursley na Rua dos Alfeneiros número 4 quando ele acorda no meio da noite com sua cicatriz, em forma de raio, doendo após ter tido um pesadelo com o Lorde das Trevas: Voldemort. Após alguns dias Harry vai para A Toca – casa dos Weasley – para posteriormente assistir a final da Copa Mundia de Quadribol – o esporte dos bruxos – e é o momento em que ‘cai a ficha’ para Harry que em outros países também há bruxos.
       Na Copa Mundial de Quadribol, Harry, conhece alguns jogadores famosos entre eles Vitor Krum, que é o jogador mais conhecido e admirado de todos. Após o jogo, um ataque dos Comensais da Morte deixa todo o acampamento em polvorosa e após o sinal da Marca Negra todos ficam exaltados. Neste ínterim, o quarto ano de Hogwarts ainda nem havia começado. Fatos estranhos e desaparecimentos já estavam acontecendo.
       O ano se inicia e Harry vai com Rony e Hermione para Hogwarts, lá entre muitos acontecimentos se inicia o Torneio Tribruxo, em que algumas escolas (Durmstrang e Beauxbatons) de outros países vão para Hogwarts para participarem. São escolhidos três campeões, um de cada escola. E para a escolha ser justas é posto o Cálice de Fogo acessível para que os alunos que querem participar possam colocar seus nomes dentro. Entretanto, Dumbledore e o Ministério fixam como regra a participação apenas de alunos maiores, devido o grau de dificuldade e perigo das tarefas do torneio.
       Na cerimônia de escolha – pelo Cálice de Fogo – os três campeões são apresentados: Vitor Krum da Escola Durmstrang, Fleur Delacour da Academia Beauxbatons e Cedrico Diggory de Hogwarts. Contudo, misteriosamente o Cálice de Fogo expele mais um nome de participante: Harry Potter, porém Harry é menor e o torneio é com três campeões e não quadro, mas segundo o estipulado, o Cálice de Fogo escolheu então ele deveria participar. O mistério acerca de quem colocou o nome de Harry no cálice é enorme e a preocupação do garoto também, pois ele sente medo do que lhe espera nas tarefas do torneio.
       Durante todo o livro, somos apresentados a diversas aventuras e muitas delas nos deixam numa expectativa enorme, um ponto interessante desse livro foi Rowling ter nos apresentado outras escolas de magia, outros alunos que não os de Hogwarts e ter detalhado muito mais os acontecimentos durante o ano letivo de Harry. Os acontecimentos estão todos entremeados e ligados desde a Copa Mundial de Quadribol ao último capítulo do livro, a linguagem é fluida, e o enredo gira em torno de muitos mistérios e muitas descobertas.
       “Harry Potter e o Cálice de Fogo” é, para mim, o livro que mais gostei até agora, apesar de “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” ser também um dos meus favoritos por apresentar o final mais inusitado, algo que eu jamais esperei! Vale a pena conferir, leiam, leiam, leiam...

Camila Márcia

Resenha: Harry Potter e o Cálice de Fogo (Vol. 4) - J. K. Rowling

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Saudações Leitores!
Hoje trago a resenha do terceiro livro da série Harry Potter, que confessadamente já me tornei fã! Esse terceiro livro realmente me surpreendeu, dos que já li este foi o melhor, pois o primeiro livro era realmente mais voltado para o publico infantil, mais ingênuo - se é que vocês me entendem; o segundo livro já é consideravelmente mais adolescente e o enredo já é mais evoluído e este terceiro livro é realmente um livro para jovens de qualquer idade, o enredo é surpreendente. Assumo que me surpreendi muito com o 'final' do livro. Enfim, chega desse meu blá blá blá e vamos ao que interessa: A Resenha.


Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2000, 348 pág. (tradução de Lia Wyler) 

       Foi publicado originalmente em 1999 com o título “Harry Potter and the Prisioner of Azkaban”, é considerado um dos melhores livros da série Harry Potter escrita por J. K. Rowling, também tem uma adaptação cinematográfica. O terceiro livro da série continua as aventuras do bruxo Harry Potter e seus amigos, mas dessa vez o enredo está envolto de muitos mistérios, suspense e segredos.
       Como é de práxis, mais uma vez as férias de Harry na casa de seus tios trouxas não foram boas e a culminância delas foi quando Harry transformou, em um jantar, tia Guida (irmão de tio Valter) em um balão após ela ter ofendido seus pais. Depois desse ato Harry foge de casa e perambula pela noite escura até pegar o Nôitibus Andante que lhe leva até ao Caldeirão Furado, onde passa o restante de suas férias hospedado.
       Nesse meio tempo, ele reencontra seus amigos de Hogwarts: Rony e Hermione, mas também descobre que um prisioneiro muitíssimo perigoso chamado Sirius Black fugiu de Azkaban e estaria atrás de Harry para mata-lo. Desse modo, Harry é escoltado para a estação nove e meia até entrar no Expresso a vapor que o levaria de volta para Hogwarts a escola de bruxos.Na escola, devido à fuga de Sirius Black e a preocupação de todos com a segurança de Harry as portas do castelo são guardadas pelos dementadores, os guardas de Azkaban. Assim o ano letivo de Harry Potter e seus amigos é turbulento e cheio de aventura. Diante de todos os cuidados de proteção que Harry recebe ele encontra muitas dificuldades em manter-se concentrado nas aulas, pois seus pensamentos e preocupações estão voltados para Sirius Black que ele descobre ter sido um dos melhores amigos de seus pais e também seu padrinho.
       É surpreendente todo o enredo que J. K. Rowling projeta em “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban”, seu decurso e seu desenlace é exuberante, durante todo o livro alguns mistérios são desvendados e muitos outros surgem para apimentar a história de Harry. A linguagem utilizada pela autora continua simples e fluida, mas é perceptível que há uma evolução na maneira de narrar que vem a ser diferente dos livros anteriores da série, vê-se que há um amadurecimento. Ademais o final do livro é bem inesperado (pelo menos para quem não assistiu ao filme). "As consequências de nossos atos são sempre tão complexas, tão diversas, que predizer o futuro é uma tarefa realmente difícil." (p.342).
       Particularmente indicado aos fãs da série Harry Potter, as pessoas que gostam de livros com muita aventura, magia e mistérios. Em suma, indico a todos, pois é um livro muito bom!
Camila Márcia

Resenha: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (Vol. 3) - J. K. Rowling

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Saudações Leitores!
Já faz uma semana que terminei de ler Harry Potter e a Câmara Secreta, mas só hoje fiz a resenha, pois a semana passada minha vida estava (e ainda está) uma correria, além do mais, também demorei mais do que o comum para ler este livro, pois andei super ocupada e estava lendo outros livros para a faculdade, mas enfim, no meio desse 'caos' consegui terminar de ler, gostei do que li, posto aqui minha resenha, confiram:


Harry Potter e a Pedra Filosofal, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2000, 287 pág. (tradução de Lia Wyler)

       “Harry Potter and the Chamber of Secrets”, segundo livro da série, foi publicado originalmente em 1998, J. K. Rowling prossegue contando as aventuras do bruxo Harry Potter & Cia. A história inicia exatamente onde a do primeiro livro terminou: nas férias.
       As férias de Harry Potter com seus tios e seu primo foram em uma única palavra: horríveis, entretanto, fatos estranhos aconteceram, como a visita de Dobby que aconselha Harry não voltar para Hogwarts, pois lá irão acontecer coisas estranhas e se Harry fosse correria muito perigo, não obstante, Harry anseia para o inicio do semestre, pois já não suporta estar com os tios trouxas. É neste ínterim que após um incidente na casa dos tios que Harry vai no carro voador com os irmãos Weasley para a casa deles terminar de passar as férias.
       O ano letivo se inicia e fatos estranhos começam a ocorrer em Hogwarts, pessoas são petrificadas e surgem boatos de que a Câmara Secreta foi aberta novamente, Harry, Rony e Hermione começam a tentar desvendar o mistério, pois Harry é injustamente acusado de ser o herdeiro de Slytherin (pois só ele poderia abrir a Câmara Secreta). Entre muita ação, investigação, suspeitas rolam muitas aventuras.
       J. K. Rowling mais uma vez contou uma história muito bacana, cheia de aventuras, mistérios, magias e emoção. Ademais sua forma de narrar é sempre muito fluida e não deixa de esclarecer nenhum ponto que mencionou, mantendo uma coerência impecável do começo ao fim do livro.
       Gostei muito do segundo livro da série e ao findá-lo a vontade de ler os livros seguintes é muito maior, pois a curiosidade da vida do bruxinho só aumenta a cada livro. A certeza de que há muito a ser descoberto faz a curiosidade crescer consideravelmente. “São as nossas escolhas, Harry, que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades” (p.280).
       “Harry Potter e a Câmara Secreta” é um livro indicado para os fãs da série, crianças, jovens e também para adultos que curtem o gênero.

Camila Márcia

Resenha: Harry Potter e a Câmara Secreta (Vol. 2) - J. K. Rowling

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Saudações Leitores!
Vamos conferir uma resenha de um livro que demorei muito tempo para decidir ler: Harry Potter, assumo que carregava um certo preconceito quanto a ele, eu pensava que não era bom, mas uma amiga (Poliana) me colocou na parede de falou super bem do "Harry" disse que eu Precisava ler. Então dei uma oportunidade ao livro, que mal poderia haver? Caso eu não gostasse abandonava o livro e se eu gostasse ela me emprestaria os outros livros da série. Resultado, devorei o livro e estou super apaixonada por Harry Potter, louca para ler o segundo livro e veja bem: já penso em comprar a coleção!!!!


Harry Potter e a Pedra Filosofal, J. K. Rowling, Rio de Janeiro: Rocco, 2000, 263 pág. (tradução de Lia Wyler)

       Publicado em 1997, “Harry Potter and the Philosopher’s Stone” da escritora J. K. Rowling é o primeiro de uma série de sete livros que contam a história de um bruxinho chamado Harry Potter e seu grupo de amigos. Todos os livros da série foram adaptados ao cinema e são mundialmente famosos, tendo fãs e admiradores. Pode-se dizer que Harry Potter é febre mundial.
       O primeiro livro da série conta a história de Harry Potter que, órfão, vai morar com os tios, estes lhe escondem que ele é um bruxo e o tratam muito mal. Entretanto Harry cresce e no seu décimo primeiro aniversário ele é convocado para estudar na “Escola de Magia e Bruxaria Hogwarts”, seus tios – obviamente – recusam-se a aceitar que ele vá, mas de nada adianta. Harry Potter vai para Hogwarts, não sem antes escutar Rúbeo Hagrid, Guardião das Chaves e das Terras de Hogwarts, esclarecer-lhe um pouco sobre seu passado: conta a história de sua família, que morreu lutando contra o bruxo Voldemort e, portanto, Harry e os pais são famosos, mesmo porque Harry conseguiu sair vivo, apenas com uma cicatriz na testa. Desde este fatídico fia, Voldemort esta desaparecido.
       Em Hogwarts Harry Potter faz amigos entre eles Rony, Hermione, Neville, entre outros, outrossim, faz algumas inimizades como Malfoy. Entrementes, Harry descobre que tem grande jeito para jogar Quadribol e se torna parte do time de sua casa “Grifinória”. Mas a história não para por aí, uma sucessão de fatos acontecem e Harry e seus amigos suspeitam que Voldemort esta de volta e a procura da Pedra Filosofal, desse modo, eles passam por grandes aventuras e perigos durante todo o ano letivo.
       J. K. Rowling soube com maestria criar um mundo mágico e cheio de fantasia, fundindo elementos fantásticos dos mais variados que já são tipicamente conhecidos: bruxos, centauros, fantasmas, dragões, etc., mas fez isto de uma forma tão peculiar que dá roupagem nova a cada um. Vale frisar também a linguagem que a autora utiliza que é muito fácil e fluida. A forma de narrar a história também é encantadora e muito rica em detalhes e descrições. Além disso, Rowling consegue manter uma coerência incrível em todo o desenrolar da história.
       Em suma, fiquei encantada com a leitura e me surpreendi, pois eu imaginava que o livro era algo bobo, ledo engano. Pude quebrar com meus preconceitos agora e posso dizer que Harry Potter é muito bom, já estou ansiosa para ler o segundo livro!!!! Indico para jovens e adultos, um pouco de fantasia sempre faz bem.

 Camila Márcia

Resenha: Harry Potter e a Pedra Filosofal (Vol. 1) - J. K. Rowling

domingo, 18 de setembro de 2011

Instagram