Resenha: “Tutaméia” de Guimarães Rosa

Saudações Leitores!
Eu até pensei em não escrever e nem postar resenha desse livro, mas aí eu resolvi postar e ser o mais sincera que eu podia ser. Não tenho a pretensão de achar que todos irão concordar comigo, no entanto, quero deixar bem claro que aceito toda opinião seja ela de acordo com o que eu escrevi ou contra, o importante é ter alguma opinião e não ser passivo. Na verdade detesto a passividade e foi por isso que decidi postar essa resenha. Então vamos lá...


Tutaméia, João Guimarães Rosa, 9 ed., Rio de Janeiro: Ediouro, 2009, 268 pág.

Tutaméia – Terceiras Estórias”, de João Guimarães Rosa, foi publicado originalmente em 1967, trata-se de um livro de 40 contos curtíssimos intercalados com quatro prefácios. Guimarães Rosa é um grande expoente da literatura brasileira nascido em 1908 e falecido em 1967 (ano da publicação de Tutaméia). Sua obra é inovadora no quesito linguagem e marcada pelo ‘falar’ regional e criação de novos vocabulários.
Em “Tutaméia”, ficamos diante da grande inventividade de Guimarães, que com sua demasiada capacidade criou um livro complexo e com histórias curtas e palavras exóticas. O que falar dessa obra? Sem dúvida uma obra valorosa, mas sua complexidade é tamanha (resultado, talvez, da erudição do autor) que dificulta a compreensão da obra em geral. A Linguagem empregada por Guimarães, apesar de ser algo que todos exultam torna-se enfadonha e incompreensível. A compreensão só vem a nascer a partir das releituras dos contos e ainda é necessário uma demasiada atenção.
Apesar de apreciar clássicos, sobretudo os brasileiros, devo admitir que “Tutaméia” não caiu nas minhas graças, passei mais de um mês para ler e confesso que há contos que nem cheguei a entender o que estava escrito. A leitura foi arrastada, presa e desprazerosa. Além do nome estranho da obra (Tutaméia) os contos detinham títulos estranhíssimos. Apenas alguns contos posso dizer que apreciei (nem sei se essa palavra está bem colocada nesta situação) foram: “Antiperipléia”, “Arroio-das-Antas”, “Desenredo”, “Esses Lopes”, “Nós, os temulentos”, “Se eu seria personagem”. Por incontáveis vezes eu ensaiei abandonar a obra, mas como não costumo abandonar livros, decidi continuar e vencer Guimarães Rosa. Sim, foi uma verdadeira batalha ler esse livro, precisei de muita força de vontade e determinação.
Fica difícil (muito difícil) indicar esta obra para alguém. Óbvio que ela tem um grande valor literário e é rico em linguagem, mas sinto-me travada em indicar este livro, pois para mim não foi prazerosa a leitura e simplesmente só posso dizer que se quiserem ler, leiam e espero que gostem. Infelizmente não posso dizer o mesmo e creio que muita gente vai me criticar por esta minha opinião, definitivamente não queria ser execrada, mas se este for o preço a pagar por ter minha própria opinião acerca dessa leitura, terei que pagar, pois foi assim que me senti e ninguém pode mudar sentimento.
Por que li? Bem, no começo tive que ler esse livro pra faculdade, mas graças a Deus o professor mudou de ideia e disse que não era mais necessário, mas como já tinha começado a ler terminei por persistência mesmo, mas se depender de minha vontade eu não releria “Tutaméia” só faria isso em caso de exigência acadêmica.

Camila Márcia

11 comentários:

  1. Gostei da sua sinceridade na resenha, acho isso muito legal e dou preferência para ler resenhas de blogs como o seu. Eu ainda não li e nem conhecia esse livro, eu achei a sinopse interessante, mas realmente esses clássicos são um saco para ler, eu acho que também não leria por vontade própria. Ainda bem que os novos livros são escrito em uma linguagem fácil e acessível né?

    Abraços
    http://entrepaginasdelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Bem vinda ao clube, então, Camila! kkkk
    Infelizmente, como você sabe, na faculdade, minha equipe ficou com esse livro para apresentação. Você deve ter imaginado a nossa aflição, então, não é mesmo?! rs
    Sem dúvida, é um livro bastante difícil. É complicado entendê-lo apenas lendo-o, precisamos de um apoio (artigos relacionados à obra e, sem dúvida, um dicionário de Guimarães Rosa kkkkk). Creio que se não fosse essa exigência da faculdade, já o teria abandonado há tempo!
    É, sem dúvida, um clássico, como você bem apresentou. Para compreender a maioria dos contos, tive que ler várias vezes. Mas, enfim. Isso é uma questão de gosto. Eu também não tive prazer nessa leitura, apesar de ser interessante, tendo em vista toda a estruturação da mesma, que é bem diferente, mas valeu a tentativa! :)

    Beeijo

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem MESMO que ele mudou de ideia!

    ResponderExcluir
  4. AI quando li guimarães rosa na escola foi meio tedioso, a obra é complexa, pode ser o classico que for mais não da pra ler e entender simplesmente por ler. Fiquei meio traumada

    ResponderExcluir
  5. não gosto de literatura brasileira, por causa da escola
    e ainda mas depois desta tua resenha, fiquei mais sem vontade de ler ainda :(
    AUHSUAHSUHAUHSHUAS

    ResponderExcluir
  6. Definitivamente jamais leria Guimarães Rosa, todo mundo diz que os livros dele são de dificil compreensão, ainda sou daqueles que apóiam a leitura (de literatura) por prazer!

    Abraços Mila!

    ResponderExcluir
  7. Eu jamais levaria um livro adiante se eu não gostasse da leituras, isso seria atormentador! Adimiro a sua força de vontade ao continuar a ler uma obra tão desagradável. Mas vamos a frase clichê: é apenas um autor brasileiro, não julgue todos os demais por ele. Cada escritor tem seu próprio estilo e criatividade...

    Abraços flor!

    ResponderExcluir
  8. Mila, parabéns por sua sinceridade em relação a este livro. Li apenas um conto do Guimarães Rosa devido a um trabalho escolar e apesar da escrita, gostei do que encontrei. E ainda que sua resenha tenha sido negativa, pretendo ler mais sobre ele, em especial Grande Sertão: Veredas. Já Tutaméia... bom, deixa para o futuro.

    Beijos e novamente parabéns.
    Ricardo - www.overshock.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Nossa...me dou no coração ver que um livro não agradou! Eu nunca li esse, mas geralmente clássico assim da literatura brasileira podem ser meio cansativos e chatinhos mesmo. Mas, adorei sua sinceridade.E o nome do livro é bem estranho tbm.
    Beijocas!
    http://palomaviricio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Mila, você tem razão. Tenho este livro e confesso que é realmente muito cascudo,difícil de ler. Guimarães Rosa é assim mesmo, é espinhento,duro de ler porque sua linguagem é muito regional e complexa. Leia Sagarana e aí sim terá uma ideia completamente diferente em relação aos livros dele. Este vale muito a pena porque é excelente mesmo!!! Primeiras estórias também é muito bom. Depois fica mais fácil encarar a obra máxima que é Grande Sertão:veredas este sim clássico do Rosa. Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Li Grande Sertão: Veredas há mais de 25 anos e adorei. Li alguns contos e gostei. Li meu Tio Iauaretê e adorei.

    Estou lendo Tutameia e concordo inteiramento com sua opinião. Também apreciei os mesmos textos: “Antiperipléia”, “Arroio-das-Antas”, “Desenredo”, “Esses Lopes”, “Nós, os temulentos”.

    Um ou outro trecho de algum outro em Tutameia. Também não recomendaria o livro para ninguém.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!