Resenha: “Charlotte Street” de Danny Wallace

Saudações Leitores!
Primeiramente quero agradecer a todos que lerem essa resenha, claro. 
Também quero agradecer a Novo Conceito por ter enviado a cortesia para que eu pudesse estar resenhando...
Bem, o que dizer desse livro? Se eu pudesse defini-lo em uma palavra eu diria: Fraquinho. Vale lembrar que este é meu ponto de vista, mas que você, leitor, não precisa concordar com ele e nem aceitá-lo passivamente, sei que tem muitas pessoas que acharam esse livro a Sensação, mas Eu estaria sendo desonesta se afirmasse isso sem realmente achar. 
Também quero avisar que na minha resenha tem Spoilers, então se você não curte saber partes do livro não leia a resenha, mas quem lê não venha reclamar que tem Spoiler, pois eu avisei. Espero que confiram a resenha e deixem seus comentários.


Charlotte Street, Danny Wallace, Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito, 2012, 400 pág. (traduzido por Bruna Castelhano da Cruz)

Charlotte Street é o livro mais recente publicado em maio de 2012 pelo escritor, jornalista, cineasta, comediante, ator e apresentador de rádio e televisão: Daniel Frederick Wallace, popularmente conhecido com Danny Wallace. Livro recentemente publicado no Brasil pela Editora Novo Conceito.
Este livro conta a histórica de um cara (Jason) que estava na Charlotte Street (ta aí o porquê do nome do livro) e ao ajudar uma garota atrapalhada a entrar num táxi acaba ficando com a câmera fotográfica dela, tal câmera vai mudar a vida de Jase, por causa dela ele irá passar pelo inferno, purgatório e paraíso!
Bem, na minha concepção, esse é um daqueles livros impossíveis de serem explicados sem falar de seus personagens. Então vamos lá:
Temos o personagem principal e também narrador da história: Jason Priestley (sei que você está pensando no ator de Barrados no Baile, mas não, não é esse, é outro Jason), esse Jason tem 32 anos e é um cara idiota, nunca na minha vida de leitora eu tinha me deparado com um personagem (principal) tão sem brilho, tão babaca, tão sem atitude, tão infantil, principalmente se considerarmos sua idade (de 32 anos), achei as atitudes, devaneios e elucubrações patéticas até por ele ser ex-professor e jornalista. Cadê a maturidade e personalidade do homem?! (Cadê? Cadê?).
Depois temos a ex-namorada de Jason que está noiva e grávida de Gary: Sarah, ela é daquelas personagens centradas, boas demais, feliz e radiante, preocupada sempre em ser madura e decidida. Ah, claro, tem o noivo dela, Gary, ele é um cara legal, bem sucedido e quer mostrar isso para todo mundo, mostrar que está com a melhor garota, que está noivo e que vai ter um bebê. Uaaaauuu.
Não posso esquecer do Devdatta Patel (que nome é esse?), o melhor amigo e com quem Jason divide apartamento em cima de uma loja falida de vídeo games e perto de um lugar que todos acham ser um bordel, mas não é (que isso fique claro: não é). Bem Dev é uma pessoa que não cresceu, tem atitudes infantis, vive correndo atrás de mulher – aparentemente as mulheres correm dele e não para ele – e é sustentado praticamente pelo pai. Ele aparenta ser um nerd, mas algumas de suas atitudes não comprovam isso. Bem eu não sei ao certo. Contudo, Dev é especial, tem uns pensamentos bacanas e é um ótimo motivador. Ele tem certo brilho dentro do livro. É. Isso. Só.
Depois temos a Abbey, uma adolescente que aparentemente é madura o suficiente para dar conselhos, mas suas atitudes geram controvérsias, pois ela além de – aparentemente – não saber escolher um namorado, é volúvel demais e age como uma criança vingativa.
Temos também o ex-aluno e atual amigo de Jason, Matt, eu sinto que eu poderia ter gostado bastante desse personagem se ele fosse mais ativo, pois é o único que realmente dá conselhos que prestam e que apesar de ser mais novo dá um show em suas falas e comentários. Aquele que quando decide, faz acontecer qualquer coisa.
E temos a Zoe, amiga-chefe-pivô da separação de Jason e Sarah. Personagem que vive a dúvida cruel de estar ou não estar apaixonada por Jason. Obviamente esse dilema iria influenciar a amizade, mas após descobrir que Jason foi apenas mais um cara, eles reatam os laços de amizade. São bonitos como amigos.
Percebam: não consegui ter nenhum personagem favorito então acho que isso é resultado da triste narração do Jason, pois um narrador-personagem como ele tem o poder de fazer com que o leitor não goste de nenhum personagem. Gostaria que a história tivesse sido narrada por Dev ou Sarah, acho que teria sido mais marcante.
Sei que eu não consegui gostar do enredo, achei muito fraco: uma história muito sem sentido: um cara acha uma câmera descartável de uma garota, revela o filme e se apaixona por essa garota – que aparece em várias fotos com outro cara em poses comprometedoras – e a partir de então esse cara começa a procurar A Garota e essa procura compromete toda a sua vida profissional, pessoal e psicológica (pois não parece uma atitude meio louca e infantil para um cara de 32 anos?)... Tal atitude só seria justificável se eles (Jason e A Garota) tivessem tido um maior contato, mas não. Não existiu contato.
Em suma, o livro não conta com uma história de amor, não conta com uma narração fantástica e não tem personagens marcantes. Entretanto, provavelmente, se eu fosse uma adolescente eu o adoraria, mas achei muito fraco e o que mais me incomodou foi a infantilidade dos personagens principais, nem quando eu tinha 15 anos era tão infantil e indecisa quanto eles são com seus 32 anos. Isso me incomodou bastante. Talvez se eles não tivessem essa idade e os personagens fossem adolescentes eu teria aprovado suas atitudes. Mas no geral o livro é bastante divertido, tem ironia, sarcasmo e partes beeeeeem engraçadas. Um livro legal para quem quer uma leitura leve e sem grandes emoções.

Camila Márcia

E tudo pode acontecer na Charlotte Street, portanto, se você for em Londres não deixe de passar por lá. #FicaDica

P.S.: Apesar de não ter curtido muito o livro eu estava precisando de uma leitura assim: bem leve, pois tenho lido muitos livros e artigos científicos para minha monografia e um livro assim serviu bastante para descontrair a tensão da minhas outras leituras.

6 comentários:

  1. nossa, parece ser um livro tão bom....
    quero ler ele, apesar de parecer ser fraquinho mesmo.
    e ele parece ser de leitura bem rapida, não?

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha criado expectativas com esse livro mas agora fiquei murcha igual balão vazio rsrsrs
    Pensava que se tratava de outra coisa... Saber que os personagens são fracos e idiotas me deprimiu...
    Adorei a resenha e a sinceridade nela

    Bjos
    Flavia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
  3. Ah sério? Também morguei junto a Flávia, :(((
    Queria muito ler esse livro, mas foi até bom para que eu não o leia cheia de expectativas e me decepcione, rsrs
    Beijooo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Camila, eu senti a mesma coisa desse livro, achei ele bem cansativo e sem sentido, não gostei. A sua resenha ficou ótima por sinal.

    beijos, Lu
    Lendo ao Luar

    ResponderExcluir
  5. Mila, não li resenhas desse livro, mas vi alguns tuítes e algumas pessoas dizem gostar da história. Talvez seja justamente pela questão da idade, já que livros assim também depende da faixa etária.
    Antes estava na expectativa, mas não vou ler esperando muita coisa, pois é bem provável que não goste. Isso porque costumo me irritar com certas atitudes, principalmente as citadas em alguns personagens.

    Beijos
    Ricardo - www.blogovershock.com.br

    ResponderExcluir
  6. Puxa Mila, eu li a sinopse desse livro e me pareceu tão interessante, agora já nem sei se quero ler, primeiro porque definitivamente nós duas temos os gostos parecidos e agora que vc deu seu 'parecer' sobre o livro nem estou pensando em ler mais.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!