Acidez Literária 5#: A Janela de Overton

Saudações Leitores!
Já faz bastante tempo que li esse livro, mas quando estava pensando em algum livro que li e não gostei e lembrei desse, não é que eu realmente tenha detestado A Janela de Overton, mas ele simplesmente não faz meu estilo. Uma de minhas leituras torturantes e sinceramente, posso até relê-lo, mas não está nos meus planos.


Acredito que na época que li e escrevi a resenha [que postei AQUI] fui um tanto quanto generosa na minha avaliação e de certa forma omiti minha opinião pessoal. 
O livro é uma forma do autor nos alertar sobre as muitas manifestações da ideologia dominante, sobre o que é realmente verdade e sobre conspirações governamentais, o livro tem uma carga política realmente muito grande e isso torna a leitura cansativa, principalmente para quem não tem muito interesse em histórias de conspirações políticas.
O fato deste livro ter sido criado para passar informações específicas, provavelmente, o tornou cansativo na narrativa, logo o autor, Glenn Beck, não é um narrador por excelência, mas utilizou-se desse meio para expor sua teoria da Janela de Overton, uma teoria realmente fabulosa e eu devo admitir: verdadeira.
Então, você deve estar se perguntando o porquê de eu ter escolhido esse livro para o Acidez Literária se, aparentemente, eu estou elogiando o conteúdo... a resposta é simples: A narrativa é cansativa e os personagens são rasos (não há profundidade), tanto a narrativa quanto os personagens são fantoches nas 'mãos' do autor para expor sua teoria. 
Mas aí você pode me dizer: "Todos os livros são fantoches nas mãos de seus escritores". Claro que são, mas há uma sutil diferença, quando a narrativa é realmente boa você custa a perceber isso, já em A Janela de Overton desde o princípio se nota a intencionalidade do livro. Isso é realmente positivo, claro. Entretanto, se torna um livro cansativo. 
A narrativa em prol de mostrar e ensinar algo é cansativa, principalmente quando você coloca personagens que não apresentam emoção alguma. Um dos livros que consigo comparar com esse é o Vendedor de Sonhos do Augusto Cury, a história e os personagens são fracos, mas passam ensinamentos. Gosto de livros assim, mas devo confessar que passo dias e dias (as vezes semanas) para finalizar a leitura.
Acho que A Janela de Overton teria sido um livro muito melhor se fosse apenas apresentando a teoria sem enfeitar com um enredo e personagens. Bem, essa é minha opinião, mas se você curte esse tipo de livro, com certeza, ele vale a leitura.

Camila Márcia.

4 comentários:

  1. O livro com certeza não faz o meu estilo, mas ele lhe rendeu uma foto muito legal! rsrs
    A capa dele em contraste com o esmalte vermelho ficou mara *-*

    Beeijos, Dreeh.
    Livros e tudo que há de bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (*.*) Valeu Dreeh,

      Bem espero que outras pessoas leiam e gostem desse livro, embora ele não seja meu tipo de leitura acredito que p/ quem curte tal tipo de livro irá amar.
      Obrigada pelo comentário.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Oie Sua linda =)
    gostei da tua resenha, principalmente pela sinceridade, gosto muito disso.
    rs, mas, depois de ler aqui, confirmo que esse é um livro que não me interessa e só o leria se o tivesse ele.
    Beliscões carinhosos da Máh-
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário Máh e pela visita carinhosa.
      Tem livros que realmente não agradam um leitor, mas podem agradar a outros. Espero que minha opinião ajude as pessoas a escolherem a ler ou não, acho importante se ler aquilo com que há uma identificação, para que a leitura não seja traumática. O Objetivo aqui é falar do livro e incentivar a leitura para aqueles que se interessam pelo estilo.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!