Resenha: “Todo Dia” de David Levithan

Saudações Leitores!
Sabe um livro que você tem curiosidade de ler mas que fica adiando a leitura e depois se arrepende? Foi isso que aconteceu com Todo Dia, logo nas primeiras paginas eu fiquei apaixonada e o achei encantador ao mesmo tempo em que era devastador, possivelmente esse livro não levará as lágrimas, mas ele emociona muito. Quero agradecer a Galera Record pelo exemplar, foi um magnifico prazer conhecer esta história e surgiu a necessidade de ler outros livros do David. Saibam mais sobre minha opinião:


Todo Dia, David Levithan, Rio de Janeiro: Galera Record, 2013, 280 pág.
Traduzido por Ana Resende


Every Day título original de Todo Dia, escrito pelo escritor americano David Levithan tem, cativado e arrebanhado cada vez mais leitores. Com uma escrita cativante David Levithan tem conquistado milhares de leitores e seus livros têm se tornando best-sellers.

O enredo de Todo Dia é algo inusitado, temos o narrador personagem chamado A, A não tem um corpo fixo, todos os dias ele habita um corpo diferente, em um dia ele é Justin, em outro Leslie, em outro Nathan. Isso acontece todos os dias.

"O corpo é a coisa mais fácil à qual se ajustar quando se está acostumado a acordar em um corpo novo todas as manhãs. É a vida, o contexto do corpo, que pode ser difícil de entender.

Todo dia sou uma pessoa diferente. Eu sou eu, sei que sou eu, mas também sou outra pessoa.

Sempre foi assim." (p.7)

Até ser Justin e conhecer a namorada dele Rhiannon, A não se importava em ter um corpo e uma vida diferente todos os dias, mas quando a conhece e se apaixona por ela, quando encontra um motivo para dar sentido a sua vida ele sofre com as constantes mudanças. Até então ele também não tinha contado seu segredo para ninguém, vivendo uma vida solitária, mas Rhiannon lhe faz ter vontade de compartilhar segredos.

"O momento em que você se apaixona parece carregar séculos, gerações atrás de si - tudo isso se reorganizando para que essa interseção precisa e incomum possa acontecer. Em seu coração, em seus ossos, por mais bobo que saiba que é, você sente que tudo levou a isso, que todas as flechas secretas estavam apontando para este lugar, que o universo e o próprio tempo construíram isso muito tempo atrás, e agora você acaba de perceber que chegou ao local onde sempre deveria ter estado." (p.25)

É também por ela que ele comete as maiores imprudências e coloca em risco muitos dos corpos nos quais passa os dias, mas é por ela que ele sempre tenta ser uma pessoa melhor. Ele vê o melhor de Rhiannon e reconhece que ela é boa demais para o abominável namorado Justin.  Os dois se apaixonam perdidamente, mas como esse relacionamento pode dar certo? Como amar um ser invisível? Como amar e se adaptar a um corpo diferente todos os dias?

O desenrolar da narrativa nos coloca de frente com vários questionamentos simples, mas com respostas complicadas ou mesmo sem a existência de resposta. A narrativa nos mostra um estranhamento do corpo, dos pensamentos, das ações, dos costumes, nos coloca de frente com o certo e o errado, nos fazendo questionar. É uma história perturbadora contada de uma forma encantadora que simplesmente prende o leitor do começo ao fim.

"Na minha experiência, desejo é desejo, amor é amor. Nunca me apaixonei por um gênero. Apaixonei-me por indivíduos. Sei que é difícil as pessoas fazerem isso, mas não entendo por que é tão complicado, quando é tão óbvio." (p.123)

Todo Dia é um livro reflexivo, lírico e épico, há todo um confronto e uma batalha interior, há todo um amor que transcende as expectativas e que ao mesmo tempo é dramático e melancólico, há uma solidão profunda nas palavras e o leitor fica na torcida para que aconteça algo que não há explicação. E durante a leitura toda ficamos nos perguntando “Como poderá ser?”, “O que vai acontecer?”.

"Tenho que me lembrar de que as pessoas normais também sentem isso: o desejo de pegar um momento e transformá-lo em eternidade. O desejo de ficar assim por muito mais do que realmente vai durar." (p.200)

Eu sofri lendo esse livro e me apaixonei por A tanto quanto por Rhiannon que depositou seu amor em alguém que não podia ver, quantas pessoas são capazes de fazer isso todos os dias? Só posso dizer uma coisa, estou louca para ler outro livro do David Levithan, porque ele me deixou encantada.

Todo Dia me deixou marcas profundas e espero poder carrega-las e não esquecer que o amor é o que move a vida, sobretudo quando temos que nos desfazer dele ou lutar por ele. Simplesmente encantador. Todos deveriam se dar a oportunidade de se apaixonar por Todo Dia. Leiam!

"Queria que o amor conquistasse tudo. Mas o amor não conquista tudo. Ele não pode fazer nada sozinho.

Ele depende de nós para conquistar em seu nome." (p.242)



Camila Márcia

4 comentários:

  1. Pena que no momento só leio livro sobre TCC.

    Boa sugestão.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato, querido, entendo como é a correria do TCC, mas se você tiver a oportunidade de ler Todo Dia não perca, tenho certeza que irá te sensibilizar, o livro é uma palavra é: Fabuloso.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Adorei a temática de Todod Dia, totalmente inusitada. Acho q poucas pessoas poderiam ter imaginado uma prisão tão diferente como essa q é estar preso ao corpo de pessoas diferentes a cada 24 horas. Bela resenha. Merece sim, ser lido!

    Adriana Medeiros

    minhavelhaestante1.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriana, obrigada pela visita e comentário!

      Pois então Todo Dia foi um dos melhores livros que já li este ano, te digo que ele é lírico e angustiante... é assustador estar num corpo diferente, mas quantos de nós somos capazes de ser a mesma pessoas todos os dias?

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!