Resenha: "A Guardiã da Minha Irmã" de Jodi Picoult

Saudações Leitores!
Fazia algum tempo que queria ler esse livro. Para falar a verdade, desejei ler esse livro no momento em que assisti ao filme e soube que era adaptação de um livro. A Editora Verus me concedeu a oportunidade de lê-lo ao me enviá-lo para resenhar. Eis que agora vocês podem conferir minha resenha, confesso: resenha sentimental, pois o livro me fez derramar lágrimas.


A Guardiã da Minha Irmã, Jodi Picoult, Campinas, SP: Verus, 2011, 433 pág.
Traduzido por Julia Romeu

My Sister’s Keeper publicado originalmente em 2004 foi publicado no Brasil com o título A Guardiã da Minha Irmã, escrito pela americana Jodi Picoul, que tem vários livros escritos e publicados e, muitos deles, sofreram adaptações cinematográficas, entre os que sofreram adaptação está A Guardiã da Minha Irmã, em 2009, entretanto o filme no Brasil tem o título Uma Prova de Amor.
Sem sombra de dúvida o livro é bem escrito e Picoult tem uma narrativa cativante que faz com que o leitor não tenha vontade de largar seu livro, além desse detalhe, há algo que pode ser considerado por muitos um ponto positivo ou não: a escritora, é bastante detalhista. Por que digo isso?

"Ao contrário do resto do mundo, não cheguei aqui por acidente. E, se seus pais só tiveram você por um motivo, é melhor esse motivo existir. Porque, quando ele desaparecer, você vai desaparecer também." (p.14)

O enredo é simples e complexo: Anna Fitzgerald, de 13 anos, foi geneticamente feita em laboratório para ser uma doadora compatível para sua irmã, Kate (16 anos) que tem leucemia promielocítica aguda (LPA) diagnosticada aos três anos de idade e desde esse tempo, toda a família Fitzgerald tem como centro Kate, e, portanto, acaba esquecendo Jesse, o irmão mais velho que se torna um rebelde, e Anna é vista numa boa parte das vezes apenas como a doadora de Kate.

"Houve algum erro. Foi o vidrinho de sangue infeliz de outra pessoa que a médica analisou. Olhe para minha filha, para o brilho de seus cachinhos revoltos e para o voo de borboleta que há em seu sorriso - esse não é o rosto de alguém que está morrendo aos poucos.
Eu a conheço há dois anos. Mas se você pegar cada lembrança, cada momento, e colocá-los um ao lado do outro, eles se estenderão até o infinito." (p.40)

Sara e Brian, pais de Jesse, Kate e Anna acabam negligenciando e não escutando a família por conta das muitas recaídas e crises de Kate, e quando chega a um dia fatídico em que Anna entra com um pedido de emancipação junto com seu advogado Campbell Alexander, pois ela se recusa a continuar sendo doadora de Kate e assim ter que doar um rim para ela.
Sara, sua mãe, revolta-se e tenta brigar judicialmente contra a emancipação já que se Anna não doar um rim para Kate, Kate que está morrendo, morrerá muito mais rápido. Brian, o pai, está muito dividido sobre o que considerar certo e errado: se Anna não doar o rim Kate morre, mas Anna não quer doar o rim e Kate já viveu com essa doença um tempo muito maior do que todas as expectativas. Será justo obrigar Anna doar uma parte de seu corpo para que Kate viva por mais tempo?

"Ser pai é apenas uma questão de seguir as pegadas dos filhos, torcendo para que eles não se afastem tanto que você não consiga mais ver seus passos." (p.157)

A Guardiã da Minha Irmã é um livro forte que lhe coloca de frente com o que é certo, errado, ético ou não. Na verdade, o próprio leitor não sabe de que lado ficar nessa história e para completar, magnificamente Jodi Picoult coloca cada capítulo narrado por um dos personagens: Anna, Sara, Brian, Jesse, Campbel Alexander e até a curadora ad litem, Júlia. É tremendamente atordoante saber os pensamentos, os sentimentos e os motivos que cada personagem tem.

"Agora que isso não é mais uma situação hipotética, me parece que um pai ou mãe só pode fazer duas coisas quando lhe dizem que seu filho tem uma doença fatal. Ou você se desmancha e vira uma poça, ou leva aquele tapa na cara e se força a erguer o rosto de novo para levar mais." (p.241)

Este é o primeiro livro da Jodi Picoult que leio e confesso que gostei tanto que pretendo ler outros livros da escritora, há vários já publicados no Brasil. De forma bem pessoal, tenho que dizer que há tempos não chorava tanto lendo um livro como chorei lendo A Guardiã da Minha Irmã e mesmo que ele tenha partes bem jurídicas e médicas, pois tudo gira em torno do processo de Anna e da saúde de Kate, devo dizer que me surpreendi lendo e que me emocionei bastante, afinal tem muito sentimento envolvido nas palavras, frases, parágrafos e capítulos deste livro. Às vezes, a vida nos reserva surpresas e, às vezes, são os livros que escondem surpresas, fico grata por ter tido a oportunidade de me surpreender e emocionar com A Guardiã da Minha Irmã.

"Mas ser mãe é completamente diferente. Você quer que seu filho tenha mais do que você jamais teve. Quer acender um fogo debaixo dele e vê-lo subir aos céus. É mais que as palavras. Mas cabe tudo direitinho aqui dentro." (p.415)

Desejo que muitas outras pessoas ao lerem essa resenha se interessem por esse livro que tem uma história linda para contar, dolorosa e triste, mas linda. Que tal se confrontarem com questionamentos tão complexos que você jamais saberia resolvê-los se estivesse vivendo a mesma situação? Que lado é o certo de ficar? Leia e descubra.

Camila Márcia

16 comentários:

  1. eu assisti ao filme esses dias atras e também, nunca chorrei tanto vendo um filme! quero muito ler o livro também, todos os da autora! mas são tããããão caros ;x
    adorei a resenha, ficou linda!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rayme, minha querida! Valeu pela visita e comentário. (*.*)
      O filme é lindo, não é? Vou falar dele em uma postagem do Filmes x Livros. E sim, os livros não são tão caros, graças a Deus, e você realmente precisa ler A Guardiã da Minha Irmã, é um livro muito bom, fico feliz que tenha gostado da minha resenha,

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Tenho uma vontade enorme de ler esse livro desde que vi o filme Camila. Ouvi dizer que o final dele é bem diferente do filme, então ainda tenho grandes expectativas com a história. Preciso ainda comprar pra conhecer a escrita dessa escritora incrível que parece ser a Jodi.

    Beijos
    Fernanda - Leitora Incomum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernanda,
      Realmente o final do livro é muiiiiito, completamente, diferente do final do filme. Só digo uma coisa: é mais dramático e traumático. Enfim...
      Jodi escreve perfeitamente bem nesse livro e digo isso porque é incrível como ela faz termos jurídicos e médicos serem tão legais para ler. hihihihii... entretanto este é o único livro que li da escritora e embora tenha vários outros já li opiniões muito diferentes... portanto, é aquela velha história o que pode agradar a uns pode não agradar a outros... só lendo para saber!

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  3. Vi a adaptação para o cinema e me emocionei...

    Bjo!

    Te espero lá no meu cantinho, =D

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gladys, realmente não tem como não se emocionar com o filme, o livro é bem emocionante também. Super indico a leitura.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  4. Oi Mila,

    Já assisti ao filme e chorei muito, muito, muito agora fiquei desejando ler ao livro. Será que vou chorar? Aposto que sim.

    JU.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Ju,
      Aposto que irá chorar também... somos duas choronas... hihihi.
      Depois vou fazer um posto sobre o filme, mas preciso assisti-lo novamente, faz o maior tempão que assisti.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  5. Dramas sempre me levam as lágrimas... acho que vou aguardar um pouco para ler, porque estou muito sensível, hihihihi, mas já está na minha lista Há algum tempo.

    beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em,
      Você precisa ler, sobretudo, no tempo certo, se você acha que não é agora então espere mais um pouquinho... para uma leitura se tornar especial o livro tem que ser bom, sim, mas ele também precisa ser lido no tempo certo, caso contrário será um sofrimento.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  6. Parece um bom livro Mila, eu assisti ao filme com minha namorada e ela chorou bastante, bem acho que vou comprar o livro e dar para ela. Com certeza ela irá amar. Mulheres adoram dramas... homens também, mas eles escondem isso. rsrsrsrsrs

    abrços gatinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber Carlos... hihihihihi
      Se você realmente der esse livro para sua namorada, não tem como ela não gostar. Primeiro porque será um presente de alguém especial [não esqueça de colocar dedicatória, acho que ela também iria gostar disso]. Segundo porque se ela gostou do filme tem 99,99% de chances de ela gostar do livro.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  7. Já li e aprovei, a Jodi Picoult como você falou faz um assunto tão triste e chato se tornar uma obra de arte. Não li outros livros dela até então, mas tenho curiosidade a respeito de Garota (garotas?) de Vidro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \õ/ Esse livro é realmente bom querida. Também tenho vontade de ler "A Menina de Vidro", acho que você estava se referindo a esse livro, hihihi, quando eu ler posto resenha aqui.

      xoxo
      MilaF.

      Excluir
  8. Acredita que sou louca para ler esse livro. Eu ia ganha-lo da minha mãe quando a gente foi numa livraria, mas quando perguntamos o preço estava 35,00 e minha mãe não me deu porque achou muito caro. :-( É a vida. Um dia eu leio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que pena Bru, vou torcer para que logo consiga lê-lo. É tão lindo. Espero que goste.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!