Resenha: “Quase Casados” de Jane Costello

Saudações Leitores!
Quando li a sinopse de Quase Casados* fiquei imaginando que o livro seria bom, engraçado e, bem, é com grande alegria que digo que ele correspondeu as minhas expectativas e me surpreendeu porque além de divertido e engraçado ele é super viciante! Confiram a sinopse!


Quase Casados, Jane Costello, Rio de Janeiro: Record, 2014, 416 pág.
Traduzido por Ryta Vinagre

The Nearly-Weds, trata-se de um chick lit escrito por Jane Costello a mesma escritora de Damas de Honra, já publicado no Brasil. Com uma linguagem divertida, tradicional dos chick lit, Quase Casados, é uma leitura divertida que promete fazer os leitores rirem com as trapalhadas da personagem principal.
Você acha a sua vida ruim? Ah, mas com certeza não chega nem aos pés da onda de azar que a pobre da Zoe está passando. Ela foi largada [isso mesmo LARGADA] no altar! Seu noivo – com quem vivia há sete anos – não compareceu ao seu próprio casamento! Que trágico, que saia justa, que situação!!! Sei que existem coisas piores, mas, meu Deus, essa situação está entre elas: mais de cem convidados, uma fortuna gasta e, PAM, o noivo dá o cano. [nunca usei tantas exclamações num único parágrafo]
Pode parecer confuso essa situação, afinal, o cara com quem você namora e vive há sete anos lhe dá o bolo no dia do casamento? Com certeza Zoe fica passada, arrasada e em estado de choque total, mas como uma tradicional [isso é importante] personagem de chick lit, Zoe derrama litros e litros de lágrimas e para superar a maior decepção de sua vida decide dar um novo rumo a ela.

"_Até parece que ele não teve anos para largar você_ tagarelava Jessica._ Ele podia ter feito isso há seis meses e não te deixar nessa situação. Ou pelo menos esperado até depois da lua de mel, quando podia ter feito a coisa certa e pedido o divórcio. Não é assim tão complicado hoje em dia." (p.120)  [alguém fecha a boca dessa Jessica, pls!]

Por morar no Reino Unido, em Liverpool [precisamente] onde todos que a conhecem [e a desconhecem, também] ficam fofocando sobre o fiasco que foi o dia de seu casamento ela toma a atitude drástica de se inscrever em uma agência de babás e vai parar nos Estados Unidos. O problema é que Zoe nunca tinha viajado e tudo sai completamente errado durante a viagem, sobretudo porque assim que chega aos Estados Unidos a agencia de babás a comunica que ela deve mudar seu destino dizendo que ela já não irá para a casa que pensava ir, mas para outra.
A questão é que Zoe acaba indo parar na casa do homem mais ranzinza dos Estados Unidos: Ryan Miller. Muito embora ele tenha dois filhos lindos: Ruby e Samuel. Ryan perdeu a esposa em um acidente, sua vida virou um caos [ele não consegue lidar com a perda] e ele virou um galinha e conquistador barato. Pronto nem preciso dizer que Ryan é muito gostoso!

"Ela o pega pela gola e começa a beijá-lo como se estivesse tentando laçar algo que está preso no fundo da garganta dele. Eu finjo, para os transeuntes, que nunca a vi na minha vida." (p.151)

Pronto o clichê já fica evidente, mas esse fato não significa nada – todo chick lit que se preze tem isso – o que importa é como os personagens vão evoluindo ou regredindo no decorrer da narrativa. E cá entre nós: a autora arrasou porque ela construiu uma personagem fabulosa. Zoe é incrível! Estabanada, doida e mesmo sofrendo muito por suas decepções amorosas aguenta muita coisa do patrão e tenta ao máximo organizar a vida dele e das crianças embora a sua esteja cheia de dúvidas e perguntas.
Nesse meio tempo, além de conhecermos melhor Ryan Miller e percebermos que ele não é só lindo e gostoso, mas que tem muito de sua vida que desconhecemos, somos apresentados para as amigas que Zoe [que são babás também] a melhor delas é Trudie que é completamente pirada [palmas para Tru!].

"_[...] Quando o vi pela primeira vez, ele estava subindo com uma motosserra. Dei uma olhada naqueles bíceps e, vou te contar, eu era dele!
_Não dá para resistir a um homem usando uma ferramenta potente, hein?" (p.48)

Após meses de tortura na casa de Ryan, as coisas começam a melhorar e ela acaba tendo um caso com ele [isso era de se esperar, portanto não é spoiler], mas sente-se insegura em relação a esse affair secreto e em relação aos seus sentimentos. Claro que as coisas não poderiam ficar boas na vida de Zoe, dá tudo errado e é óbvio que o ex, Jason, o covarde que a deixou plantada no altar volta a procurá-la como um cão arrependido, cheio de desculpas esfarrapadas. Será que ele merece uma segunda chance?
Eu sei que todo mundo já fez alguma escolha errada na vida, todo mundo já se arrependeu de algo, já sentiu ciúme, já quis quebrar alguém ou alguma coisa e as atitudes de Zoe me parecem completamente compreensíveis e aceitáveis embora algumas vezes ela tenha agido de forma tão inocente, parecendo-me muito ingênua para a idade e as experiências já vividas, mas tentei relevar a situação e não menosprezar o livro por causa disso.
Um ponto que me levou ao riso foi a falta de habilidade de Zoe em se manter em pé: a garota está sempre tropeçando, rolando escadas e esse tipo de desastres que me faziam morrer de rir [porque eu meio que me identifiquei com essas estabaquices, sou um pouco propícia a esse tipo de coisa].
Pra quem gosta de chick lit Quase Casados é uma indicação fabulosa, não é que o livro seja perfeito e a história original, mas ele é superdivertido, tem personagens encantadores [exceto Jason – minha relação com ele foi ódio a primeira vista].

"_Quer ser minha dama de honra?
_[...] nunca fui dama de honra. Ai, meu Deus, vou me mijar! Isso é demais!" (p.374)

Dei cinco estrelas a este livro porque foi realmente incrível e me empolguei com a leitura, o li em um dia e não consegui largá-lo até terminar. Então, devido a emoção que senti [que para mim é o que conta ao ler um livro] eu simplesmente estou encantada. Já indiquei para todas as minhas amigas [que vão ler] e não posso deixar de indicar para vocês. Gostei tanto que agora quero ler outros livros da Jane Costello.

*Este Livro foi cortesia da Editora Record, para saber mais sobre ele clique AQUI.

5 comentários:

  1. Puxa,
    você conseguiu me convencer a ler esse livro, que amor <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juuuuuuuuuuu,

      leia, leia, leia... acredita que não lembro qual foi a última vez que devorei um livro assim? Foram mais de 400 páginas em um único dia, dá pra acreditar? O mais legal é que a leitura era super divertida e eu bolava de rir... chorava de rir e corria no whats para compartilhar as novidades da minha leitura com as amigas do Clube do livro que faço parte.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Sou fã de chick-lit e essa sua resenha só me fez criar curiosidade para ler. Preciso.
    Ai, me explica que capa linda é essa? Tô assim babando por esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bru,

      eu achei tãooo divertida está leitura que não tenho como te explicar... simplesmente divertida, envolvente e te juro, preciso de outros livros da mesma autora... queria repetir a dose de diversão...
      E sobre essa capa: é linda, né? Babei por ela também... e ela tem aquela textura aveludada e macia, tãoooo boa..... liiiiiiinda!

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  3. Fiquei louca pra ler. Já li dela Corra, Abby, Corra e é muito bom. Já leu? Super recomendo

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!