Resenha: “Meu Nome é Memória” de Ann Brashares

Saudações Leitores!
Quando eu descobri que o livro Meu Nome é Memória tinha sido lançado no Brasil não pensei duas vezes e comprei junto com minhas amigas do Clube do Livro que faço parte, como todas nós somos fãs da autora Ann Brashares decidimos que essa seria nossa leitura do mês e agora vocês podem conferir minha opinião sobre o livro. Check out!


Meu Nome é Memória, Ann Brashares, Rio de Janeiro: Suma de Letras (Objetiva), 2014, 280 pág.
Traduzido por Lívia de Almeida

My name is memory foi publicado originalmente 2010, mas apenas este ano (2014) chega a versão brasileira: Meu Nome é Memória. Escrito pela americana Ann Brashares, escritora best-seller da série Quatro Amigas e um Jeans Viajante e do livro Nosso Último Verão.
Sou suspeita para falar de Ann Brashares, pois tive uma experiência incomparável quando li Nosso Último Verão e como dizem: a primeira impressão deixa marcas profundas, então eu leria qualquer coisa que a autora escrevesse, portanto, ao saber do lançamento deste livro, não titubeei ao comprá-lo e lê-lo.
Para minha surpresa e desespero a narrativa começa arrastada e minuciosa ao excesso – a autora quis explicar demais (o que é bom, mas às vezes se torna cansativo e enfadonho), entretanto depois de passadas 125 páginas, mais ou menos, a narrativa fica maravilhosa e não tive mais vontade de soltar o exemplar, novamente Ann Brashares me encantou com mais um de seus livros.

"Vivi mais de mil anos. Morri incontáveis vezes. Esqueço o número exato. Minha memória é uma coisa extraordinária, mas não é perfeita. Sou humano." (p.09)

Meu Nome é Memória conta a história de Daniel, que é um personagem peculiar, pois ele já teve muitas vidas e sempre guarda em sua memória todas as lembranças de suas vidas passadas. A primeira vida de quem tem memória foi a que viveu no ano de 541 na África, desde então quando morre, volta a vida, cresce, recorda-se de suas vidas passadas e escolhe sempre o mesmo nome: Daniel.
Em sua primeira vida ele tem o destino cruzado de uma forma trágica com uma garota desconhecida e que se torna seu grande amor, mas ele só vem a encontrá-la muitas vidas depois com o nome de Sophia, esposa de seu irmão Joaquim. A tragédia não poderia ser pior nesta vida também. Dessa forma, Ann Brashares, vai contando as vidas de Daniel e todas as vezes que ele teve a sorte de encontrar-se com seu grande amor e os motivos da ira que o irmão de Daniel, Joaquim, vai guardando e se transformando em algo tenebroso.

"Desde que comecei a compreender a minha memória, penso nos meus atos de uma forma diferente. Sei que o sofrimento não se encerra com a morte. Isso vale para todos nós, quer nos lembremos disso ou não. Na época, eu não sabia disso. Talvez ajude a explicar porque fiz o que fiz, mas não atenua." (p.30)

Daniel, em uma de suas vidas conhece Bem, que lhe conta e lhe fala sobre o poder de suas memórias – dom ou maldição? – de fato os anos vão passando e a história das aventuras e desventuras de Daniel vão parar no ano de 2004 quando ele volta a encontrar o amor de sua vida na pele de Lucy, no entanto, ele a assusta ao tentar explicar suas ligações através do tempo e ela foge.
Lucy sempre se sentiu obcecada por Daniel e nunca soube explicar essa obsessão até ter umas visões – que na realidade eram lembranças de sua vida passada como Constance – e passa a buscar por Daniel, só que se encontra com Joaquim que se passa por Daniel dizendo que teve que mudar de corpo, assim, o pior acontece, porque Joaquim está em busca de vingança e sofrimento. O que Daniel pode fazer? Ele tentará fazer algo, não esperou diversas vidas para ver sua amada sofrer novamente, então em 2009 os dois se reencontram. Algo decisivo está para acontecer e mudar toda a história.

"As pessoas às vezes falam sobre o poder das primeiras impressões e, acredite, existe verdade nisso. A trilha da vida pode mudar de um instante para outro. Não só a trilha da vida, mas a trilha de todas as nossas vidas, a trilha da nossa alma. Quer você se lembre ou não. Isso faz a gente querer pensar duas vezes antes de agir." (p.56)

Se não fosse o fato do começo do livro ter sido tão arrastado e maçante, cheio de informações desnecessárias – ainda acho que a escritora tentou explicar muitas vidas e poderia ter só contado as mais importantes. Objetividade às vezes é bom – Meu Nome é Memória teria sido um livro ótimo, mas mesmo com os pontos negativos admito que é um livro fabuloso e que o final é surpreendente demais, fantástico e de tirar o fôlego, na verdade, nos deixa mil possibilidades. Preciso de uma continuação urgente! Ai meu Deus, não sei se esse livro terá continuação, mas já li na web [fontes não confiáveis] de que esse livro faria parte de uma série, será? Acho bem provável.

"O amor exige tudo, pelo que dizem. Mas meu amor exige apenas uma coisa: que, não importa o que aconteça ou o quanto demore, você continue a acreditar em mim, que você se lembre de quem somos e que você nunca se desespere." (p.278)

Acredito que Meu Nome é Memória é uma história de amor linda e encantadora que atravessa tempos e tem os mais variados planos de fundo: Inglaterra, Antioquia, Congo Belga, Constantinopla, Georgia, México, enfim, todos os apaixonados por um romance encantador e surreal poderão se encantar com este livro, além do mais Ann Brashares escreve muito bem, sempre considero uma proeza pegar um livro realmente bem escrito, ou seja, não é só o enredo que é bom, mas a escrita é boa e coerente, no entanto, tentem superar as primeiras 125 páginas, prometo que depois disso tudo fica bem melhor!


2 comentários:

  1. Oi Mila, tudo bem?
    Adorei a proposta do livro! Nunca li nada parecido e acho que deve ser muito diferente acompanhar a vida de uma pessoa que se lembra de suas vidas passadas... E acho que o romance deve ser uma das partes principais né?
    Já anotei o nome do livro e pretendo ler! :)
    Beijos e boas leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patricia,
      Ann Brashares é Ann Brashares, amo a escrita inteligente dela, apesar de na resenha ter apontado coisas que me incomodaram no livro, ainda assim achei ótimo! Claro que recomendo a leitura!!!

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!