Resenha: “Bruxa da Noite – Livro 1 da Trilogia Primos O’Dwyer” de Nora Roberts

Saudações Leitores!
Uma vez, há algum tempo atrás li um livro da famosa Nora Roberts, mas fiquei tão completamente frustrada que tive receio em começar a ler Bruxa da Noite*, mas tomei fôlego e coragem e resolvi correr o risco. Espiem só qual o resultado dessa experiência literária:


Bruxa da Noite, Nora Roberts, São Paulo: Arqueiro, 2015, 320 pág.
Traduzido por Maria Clara de Biase

Dark Witch (2010) é o primeiro livro da Trilogia Primos O’Dwyer escrita pela escritora best-seller Nora Roberts, que acredito que todos – em algum momento – já devem ter ouvido falar ou até mesmo lido alguns de seus muitos títulos (vários já publicados no Brasil e em muitos outros países).
Particularmente minha experiência com Nora Roberts não começou nada bem, antes de ler Bruxa da Noite eu li Tesouro Secreto, há alguns anos atrás, e foi completamente frustrante, um horror (Acidez Literária), pois minhas expectativas estavam altas devido a tanto já ter ouvido falar da escritora, então somente agora dei uma nova chance para Nora Roberts, mas mantive meus pés no chão e com as expectativas bem abaixo do normal quando se começa a ler um livro.
De início o livro começa bem maçante e arrastado, tive que me forçar a continuar com a leitura e comecei a pensar que Nora Roberts era superestimada, foi difícil prosseguir, mas após passar a narrativa do inverno de 1263, onde é contada a história dos antepassados dos personagens principais, as coisas ficam um pouco melhores, pois a narrativa vem para um tempo mais presente: 2013, no Condado de Mayo e somos apresentados aos personagens principais, aqueles que acompanharemos a história.
"Um dom nunca deve ser desperdiçado no que você pode fazer com sua inteligência, suas mãos ou suas costas." (p.22)
Iona chega a Irlanda, especificamente ao Condado de Mayo com o apoio de sua avó materna, para conhecer seus primos Branna e Connor O’Dwyer e aprender sobre seu destino e a magia que corre em suas veias. Nesse meio tempo os primos a convidam para ficar morando com eles e aprender a usar seus poderes de bruxa para depois tentarem destruir o mago Cabhan que desde seus antepassados vem tentando roubar o poder dos bruxos.
É claro que Nora Roberts não iria deixar o romance de lado e ao colocar Iona para morar com seus primos, faz surgir um emprego para a jovem bruxa e consequentemente ela cai de amores por seu chefe: Boyle. Segundo a narrativa de Roberts, o casal tem uma química capaz de gerar uma bomba nuclear, mas... sim, para mim tem um mas: não consegui sentir essa química. Honestamente? Esforcei-me muito para gostar do casal principal, mas foi difícil. Achei-os insossos e faltou muita coisa para esse casal me agradar.
"Ele me puxou e me beijou até minha cabeça explodir e meu cérebro sair pelas orelhas" (p.119)
Ok, prosseguindo, Iona também vai construir laços de amizade com Fin e Meara, que são personagens bem legais, atrevo-me a dizer que são os personagens que mais gostei no livro... Excetuando Connor, eu gostei desse rapaz! :-)
Um ponto que achei bem interessante no livro foi o fato de todas as pessoas saberem que Branna, Connor e Ionna são bruxos, são ancestrais da famosa e poderosa Bruxa da Noite e que herdaram uma lenda e um vilão para derrotarem. O fato de todos saberem e comentarem que eles são bruxos me deixou feliz, achei legal as pessoas aceitarem isso ou mesmo acreditarem se tratar só de mito.
"O amor, como ele sabia muito bem, podia cortar você em pedaços sem deixar nenhuma cicatriz invisível." (p.228)
Em resumo, Bruxa da Noite não foi uma leitura desagradável, mas não foi marcante, novamente fiquei um tanto quanto frustrada e é porque nem esperava grandes coisas do livro, mas saber que a escritora é famosa e que todos que a leem gostam me deixa com uma pergunta a martelar na minha cabeça: Por que não consigo gostar dos livros dela?
Provavelmente darei outra chance para a escritora, mas vai demorar um pouco, preciso me recuperar dessas experiências. Embora meu conceito sobre a escrita, as histórias e os personagens da escritora não tenha se elevado, melhorou bastante se comparado com o primeiro livro dela que li, então, pode ser que ainda haja esperança. O Segredo é não ir com muita sede ao pote.


*Este livro foi cortesia da Editora Arqueiro, para saber mais sobre o mesmo, clique AQUI.

2 comentários:

  1. Oi Mila joia?
    Vira e mexe vejo esse comentário que Nora da uma arrastadinha em seus livros. Tenho a trilogia das flores, cujo ainda não tive coragem para ler ainda. O livro parece se desenvolver bem, mas é tão ruim quando você vê que o autor se arrastou até demais né?
    Gostei muito da sua resenha, e da sinceridade.
    Beijoca <3
    http://livrosimaginarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Camila,

      Estou meio traumatizada com a Nora, mas como eu disse, essa minha segunda experiência foi melhor, então possivelmente darei uma nova chance para ela, mas sempre vou ficar com um pé atrás por conta disso.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!