Resenha: “A Rainha Vermelha - Book 1” de Victoria Aveyard

Saudações Leitores!
Quando eu vi várias pessoas falando de A Rainha Vermelha* não consegui aguentar de tanta curiosidade e pesquisei a sinopse, então quando a Seguinte anunciou a publicação e disponibilizou algumas provas do livro, tive a sorte de ser uma das premiadas a poder ler e estou quase pirando pela continuação, mas antes preciso contar para vocês como foi essa leitura, vem conferir:



A Rainha Vermelha, Victoria Aveyard, São Paulo: Seguinte, 2015, 419 pág.
Traduzido por Cristian Clemente

Red Queen é o livro de estreia de Victoria Aveyard, e estreu no primeiro lugar na lista do New York Times e já foi traduzido para 18 países, o sucesso foi tremendo e formou-se tanto burburinho que os direitos para o cinema fora adquiridos pela Universal.
O Livro já chega – este mês, com previsão para lançamento dia 16 de junho – ao Brasil rodeado de expectativas e ansiedade dos leitores mais antenados. Temo que criar expectativas em torno desta leitura não é em vão. O livro tem tudo para fazer muito sucesso por aqui. A Rainha Vermelha trata-se de um YA, e faz parte de uma série com previsão para continuações em 2016 e 2017.
Victoria Aveyard criou um mundo onde a sociedade é dividida pela cor do sangue: vermelho ou prateado. Os de sangue vermelhos fazem parte da plebe, quase que escravizados e vivendo em situações degradantes, já os de sangue prateados fazem parte da elite da sociedade e detentores de superpoderes (tipo os que encontramos no x-men).
A narrativa é em primeira pessoa e somos apresentados a Mare Barrow, sangue vermelho, vive uma vida humilde e está prestes a ser chamada para servir (que é o mesmo que morrer) no exercito do rei Tiberias de Norta, em uma guerra que já dura vários anos.

"Ele tem razão. É cruel dar esperanças quando não há nenhuma. Geraria apenas frustração, ressentimento e raiva tudo o que torna a vida ainda mais difícil do que já é." (p.31)

Mare tem receio por ela e por seu melhor amigo Kilorn, ao tentar se salvar e salvá-lo do triste destino, no entanto acaba indo parar no palácio e tendo que trabalhar lá, é aí que tudo realmente começa a se delinear e a trama fica elétrica. Todas as principais casas dos sangues prateados estão no castelo para apresentar suas filhas para que o príncipe Cal escolha a nova princesa.
Nesse ponto Mare acaba descobrindo que tem poderes sobrenaturais incomuns porque é uma vermelha, e a rainha Elara tenta calar a população inventando uma história mentirosa e aprisionando Mare ao castelo e a realeza como noiva do segundo príncipe Maven, todo este esforço é para calar a Guarda Escarlate, um grupo rebelde liderado por Farley que buscam por liberdade e igualdade.

"Sou arrastada através de um desfile de lembranças, de todas as feridas recentes ainda por cicatrizar. Algumas parecem sonhos. Não pesadelos. Meus piores pesadelos." (p.84)

Como já mencionei após a descoberta dos poderes de Mare A Rainha Vermelha segue em um ritmo elétrico, fluído e capaz de tirar o fôlego do leitor. A leitura é intensa e viciante, tanto que já fazia algum tempo que não me sentia tão obcecada por um livro como fiquei por este, eu não conseguia largar e quando o largava ficava às voltas com a história e os personagens girando em minha cabeça.
Absurdamente Victoria Aveyard me cativou não só com a narrativa, mas com seus personagens: mesmo os vilões e os secundários são extremamente fabulosos e bem delineados.

"Nos contos de fadas, a garota pobre sorri ao se tornar princesa. No momento, não sei se voltarei a sorrir algum dia." (p.125)

A Rainha Vermelha é um livro cheio de reviravoltas, perigo, emoção, sentimento que muitas vezes engana até o leitor, porque não temos uma visão global de quem podemos ou não confiar. No entanto, tenho uma queixa, achei Mare esperta demais para ser um tanto quanto ingênua, mas é uma atitude cabível diante do que ela vive, mas achei que ela tem uma facilidade muito grande de acreditar nos outros e confiar fervorosamente neles, passei o livro toda confusa em quem seria mais certo confiar: príncipes, plebe ou Guarda Escarlate, o livro inteiro fiquei a ponto de roer minhas unhas (hábito que deixei há anos e que atualmente abomino, mas....)
Em suma, fazia algum tempo que não me empolgava tanto com um livro e ainda hoje (já faz dois dias que terminei a leitura), apesar de que achei o final meio apelativo com tanto efeito X-men, mas isso é irrelevante, o fato é que me sinto eufórica e não estou acreditando nesse final e no tempo que terei que esperar pela continuação. Tá difícil segurar o “forninho”.
A Rainha Vermelha é um livro que indicaria para todos que amaram A Seleção, Jogos Vorazes, O Teste, A Queda dos Reinos, pois além de ser uma distopia tem esse lance de reis, arenas, testes, castas. Não percam JAMAIS a oportunidade de ler este livro.


*Esse livro foi cortesia da Editora Seguinte, para saber mais sobre ele clique AQUI.
Lembrando que o livro tem previsão de lançamento para 16 de junho e já se encontra em pré-venda em várias lojas e livrarias.

6 comentários:

  1. Oieee,
    já vi um pessoal postando foto desse livro no Instagram.
    Achei ele bem "A Seleção" não gosto muito desse tema.


    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Helana,

      Que pena, bem se você não gosta muito de a seleção, provavelmente não te chamaria muito atenção esse livro, mas esse não é bem o meu caso. Eu sou LOUUUUUUCA por A Seleção, então me apaixonei TIPO, MUUUUUUUUIIIITO por A Rainha Vermelha e mal posso esperar pela continuação.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Oi Camila.
    É bom quando um livro nos causa tanto frisson, eu tenho visto muito zumzumzum em cima de rainha vermelha e até então ele nem tinha chamado minha atenção.
    Não li A Seleção, não li JV, mas li O teste e amo distopias, então acredito que esse livro tem sim potencial pra me agarrar, até mesmo porque narrativas viciantes são minha preferidas, depois vejo a proposta como um todo rsrs.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty,

      Sim, leia a sinopse e outras resenhas também, porque certamente a cada uma você poderá ficar ainda mais empolgada com a leitura e está é a intenção... Espero que você o leia e goste tanto quanto eu.
      Claro que se você o ler vou ficar aguardando seu comentário e resenha sobre A Rainha vermelha <3

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  3. Olha esse livro acabou de chegar para mim e gostaria de te perguntar uma coisa....
    Essa leitura é muito pesada? Tipo, sanguinario digo? É que assim, eu também estou hiper curiosa para ler, mas fui meio que no receio e peguei na pré venda porque tava muito barato. Por isso gostaria da sua opinião. Ficarei feliz se me dizer =] Se cuida linda

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/06/resenha-um-dia.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvana,

      Sei que tem gente que compara A Rainha Vermelha com GoT e por isso tem gente achando que o livro é muito sanguinário, mas não é tãooooo assim, claro que tem 'cenas', mas não chega a ser tão sanguinário e, aliás, mesmo as partes de maior violência são muito bem construídas e coerentes com a narrativa. Tudo na medida certa.
      Espero tê-la ajudado.
      Obrigada pela visita e comentário.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!