Resenha: “O Maravilhoso Agora” de Tim Tharp

Saudações Leitores!
Esperei demais de O Maravilhoso Agora* e ele, tadinho, não superou e nem chegou perto de onde estavam minhas expectativas, achei a leitura um tédio apesar de trazer uma história bem real e reflexiva, mas eu esperava mais... puxa, julguei o livro pela capa e esse título tão fofo, vez por outra cometo esse erro, mas não tirem conclusões precipitadas, deixem-me explicar melhor:

O Maravilhoso Agora, Tim Tharp, Rio de Janeiro: Record, 2014, 320 pág.
Traduzido por Juliana Romeiro

The Spectacular Now (2008) foi escrito por Tim Tharp, e foi finalista do National Book Award e ganhou uma adaptação cinematografica.
O Maravilhoso Agora foi um livro que ficou muito aquém das minhas expectativas, na verdade eu esperava algo fofo e lindo, afinal olhando essa capa e o título é impossível não criar altas expectativas, mas infelizmente – as minhas – não foram superadas.
Temos um narrador personagem, Sutter Keely, que vai nos contar toda a sua vida de agito e irresponsabilidade, porque o rapaz de 17 anos vai de mal a pior: não liga para a escola, passa o dia bebendo uísque com 7Up (um alcoolátra), está sempre em festa e é o típico cara descolado, mas sem noção.
Ele vive sua vida de forma irresponsável e sem planos para o futuro. Sutter só está preocupado com o agora. No entanto, quando ele encontra uma namorada para seu melhor amigo Ricky, ele acaba sendo abandonado. Para completar, Cassidy – na morada de Sutter – o abandona, pois está cansada de tentar fazer com que ele leve a sério os seus sentimentos e tente fazer planos para o futuro de ambos.
É aí que a vida de Sutter começa a perder totalmente as estribeiras: sem amigo, sem namorada ele acaba exagerando a cada dia na bebida, nas festas e desmoralizando sua mãe e o padrasto. Sutter não liga para ninguém, é um dos caras mais egoístas que você pode imaginar, e o pior ele se acha o máximo.
Daí, depois de uma noite de farra ele conhece a dócil e submissa Aimee, que além de estudar na mesma escola que ele, é entregadora de jornal para ajudar a mãe com as despesas da casa.
Aimee acaba por se tornar um projeto para Sutter, ele começa a mudar a garota e a ser o que os pais costumam dizer: “uma má influência”. Aimee passa a beber descontroladamente, chamar palavrão, brigar entre outras coisas. Há uma verdadeira transformação e todos ficam chocados com isso.
Em O Maravilhoso Agora passamos o livro inteiro odiando Sutter, mas não perdemos a esperança de que ele possa mudar, então é um baque certeiro quando percebemos que ao invés de se tornar uma pessoa melhor acaba tornando uma pessoa boa (Aimee) em alguém ruim me deu vontade de esmagar o escritor por essa crueldade, não obstante, percebo que na vida real é bem mais provável a transformação que aconteceu no livro do que a que eu esperava que acontecesse.
Pegou-me desprevenida o desfecho porque foi extremamente realista e cruel, muitas vezes, pego um livro para fugir da realidade, então encontrar algo tão real dentro dessas páginas me deixou frustrada, pois eu não esperava.
O fato é que também não consegui gostar muito da narrativa, achei cansativa e quase um sonífero – talvez porque não gostei do livro – então, mesmo reconhecendo que o autor escreve muito bem e criou um enredo realista não consegui gostar do livro. Achei realmente monótono.
Por conta dos pontos que salientei, fico impossibilitada de indicar esse livro, mas é claro que como todos os leitores tem um gosto particular, certamente uns poderão gostar e outros não... Acredito, ainda, que a melhor forma de sabermos se gostamos ou não de determinada leitura é lermos...

*Esse livro foi cortesia da Editora Record, para saber mais sobre o mesmo, clique AQUI.

2 comentários:

  1. Lembro que comecei com você pelo twitter que tinha visto o filme, mas não tinha gostado. Pela sua resenha o livro segue assim também né, o que é uma pena porque possui uma boa premissa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Debyh,

      lembro do seu comentário, sim, claro.
      E, de fato, como já assisti ao filme ele é bem fiel ao livro (muda uma ou duas coisinhas), mas ambos são bem chatinhos... uma pena, porque a temática usada é bem realista, mas achei que pecou na narrativa...

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!