Resenha: “Coroa Cruel” de Victoria Aveyard

Saudações Leitores!
Eu devia ter lido Coroa Cruel* antes mesmo de ler Espada de Vidro (segundo livro da série), pois pode-se considerar Coroa Cruel o volume 1.5, mas não deu para ler antes, pois recebi a prova de Espada de Vidro e precisava ler ele primeiro. Agora posto a resenha para vocês.


Coroa Cruel, Victoria Aveyard, São Paulo: Seguinte, 2016, 232 pág.
Traduzido por Cristian Clemente

Cruel Crown, no Brasil, Coroa Cruel é um spin-off da série A Rainha Vermelha, e pode ser lido após A Rainha Vermelha.
O exemplar conta com dois contos: Canção da Rainha, que traz o diário de Coriane Jacos (mãe de Cal) e Cicatrizes de Aço, conto narrado por Farley uma das líderes da rebelião vermelha, além disso, o livro traz os primeiros capítulos de Espada de Vidro, próximo volume da série.
No conto Canção da Rainha ficamos a par dos acontecimentos que levaram Coriane, uma mulher comum, a ir morar na corte e futuramente se casar com Tiberias e se tornar a rainha. Todo o conto é entremeado com narrativas em primeira e terceira pessoas. Na verdade esse conto só nos mostra um pouco sobre a personalidade de Coriane, o que lança uma sutil luz sobre o desenrolar dos fatos do primeiro volume da série, mas não chega a ser uma leitura altamente obrigatória.
O segundo conto Cicatrizes de Aço já é bem mais elaborado e mostra Farley a principal militante apresentada em A Rainha Vermelha em sua força, coragem e ideais, o interessante é que este conto acontece no mesmo 'tempo' do primeiro volume, isto é quando temos assuntos comentados por alto no primeiro livro, aqui no conto acompanhamos de perto o surgimento, a agilidade e as cabeças da revolução vermelha. Esse conto, sim, pode ser uma ótima leitura para entendermos a revolução vermelha.
Por fim, temos as primeiras 'movimentações' (capítulos) do segundo volume dá série: Espada de Vidro, cuja proposta é deixar o leitor curioso, mas que para ser honesta, achei que serviu mais para dar volume ao livro, já que Coroa Cruel ficaria bem 'fininho' se não tivesse esse acréscimo, pois os dois contos disponibilizados por Victoria Aveyard não são grandes.
Enfim, sempre considerei livros de contos relacionados a séries algo extra, algo que não influi e nem contribui para o desenrolar da história central, mas para um leitor curioso vale muito a pena conferir, pois é uma 'canja' a mais do universo criado.


*Esse livro foi cortesia da Editora Seguinte, para maiores informações, acesse AQUI.

4 comentários:

  1. oi Mila, eu não tinha nenhum interesse pelo livro ou pela série por pensar que se tratava de um outro tema, de um outro enredo, mas estou bem curiosa, pois tenho lido boas resenhas e creio que a aposta me agradará
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaila,
      acho que vale muito a pena conhecer essa série. Está dando o que falar. Particularmente eu gostei mais do primeiro livro que do segundo, mas, de modo geral, estou amando acompanhar a história.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. Li a Rainha Vermelha e adorei!
    Como não tinha previsão para Espada de Vidro, comecei a ler Coroa Cruel. A leitura é boa, mas nem perto do primeiro livro da série.

    Bjo

    Fê Correia
    www.entrerabiscoseriscos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pronto, Fê, você encontrou as palavras que me fugiram... apesar da leitura de Coroa Cruel ser boa, os contos não chegam aos pés do primeiro volume da série.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!