Resenha: "Mr. Mercedes" de Stephen King

Saudações Leitores!
Encontro-me sem palavras para dizer o quanto Stephen King é um ótimo escritor e, Mr. Mercedes* é a prova disso, pois a tensão rola solta nesse livro e quero dividir a fantástica experiência que tive ao ler com vocês.
>>> Esse livro foi cortesia da Suma de Letras, saiba mais sobre o mesmo AQUI.


Mr. Mercedes, Stephen King, Rio de Janeiro: Suma de Letras, 2016, 400 pág.
Traduzido por Regiane Winarski

Mr. Mercedes é mais um livro de Stephen King, conhecido autor e ganhador de vários prêmios... Alguém já deve ter lido, assistido ou ouvido falar dele... Ou seja, dispensa apresentação. Do autor, eu já li Sob a Redoma.

Mr. Mercedes é um romance policial e não um thriller como tinha muita gente imaginando e vem a contar as peripécias de um assassino psicopata que ao roubar um Mercedes, vai até uma feira de empregos na cidade e atropela várias pessoas matando oito, incluindo uma mãe e sua bebezinha. 


Para vocês terem noção do doente que é esse terrível assassino, numa carta que ele enviou para o detetive Hodges (que cuidava do caso do Mr. Mercedes) ele afirma que após matar aquelas pessoas ele ficou excitado e se masturbou, tamanha foi sua euforia. Ler isso me deu uma repulsa tão grande que fui preparando meu "espírito" para este livro - afinal, estamos falando de King!


O enredo traz o seguinte: Bill Hodges é um detetive aposentado que solucionou diversos casos importante, mas não foi capaz de solucionar o massacre envolvendo um Mercedes numa feira de emprego e isso o deixa frustrado. De certo modo, após a aposentadoria, ele se sente um inútil e pensa em dar cabo de sua vida, no entanto, ele recebe uma carta do próprio Mr. Mercedes. 


Como todo psicopata, Mr. Mercedes, que se vangloria de ter matado todas aquelas pessoas e ter saído ileso do crime e mais, quer fazer com que o detetive que cuidou do caso sinta-se culpado e tire sua própria vida. Contudo, o "tiro" sai pela culatra e Hodges fica empolgado e disposto a procurar e encontrar Mr. Mercedes. Então, detetive e assassino trocam mensagens através de um site Under Debbie's Blue Umbrella em que não deixa nada salvo ou codificado.

Fiquei assustada com a capacidade de Stephen King criar uma história tão doente e assustadora e tão esplendida ao mesmo tempo, tanto é que não conseguia parar de agradecer o fato de Stephen King ser um escritor (ótimo escritor, a propósito) e não um Serial Killer. 


Diferente de muitos dos romances policiais, Stephen King não faz segredo sobre seu assassino, logo no começo ele identifica Mr. Mercedes como Brady Hasrtsfield e mais, vai nos mostrando a mente psicologicamente doente desse assassino, e tudo o que ele faz para tentar destruir Hodges e seus amigos: Janelle, Jerome e Holly. Ou seja, ao passo que acompanhamos os avanços das pesquisas e investigações de Hodges, também acompanhamos o que Brady Hasrtsfield está fazendo e seus planos mirabolantes e doentes.


Fiquei absurdamente chocada com o desenrolar dos fatos e em vários momentos me vi soltando palavrões terríveis quando eu sabia que algo ia dar merda, quando algo ia sair errado e, juro, não tenho estrutura para tanta tensão... eu estava temerosa por todos os personagens que me cativaram (King sabe criar personagens extremamente inteligentes, loucos, carismáticos e ativos).


Chega um momento na narrativa em que a situação é tão caótica que você sabe que algo crucial vai acontecer a qualquer momento e não consegue mais soltar o livro, aí você pensa:" Putz, Stephen King é o MESTRE da Narrativa", porque mesmo com o desenrolar das pistas sendo algo muito lento (e alguns leitores podem considerar cansativos, prevejo isso) ele consegue prender o leitor de tal forma que parece errado soltar o livro antes de terminá-lo. É impossível abandonar Hodges, Jerome, Janelle e Holly no meio dessa investigação. É um ato revoltante largar o livro e não conhecer os passos de Mr. Mercedes!

Confesso que esperei outro final - um mais clichê - mas é claro que King foge ao clichê e vai para o que surpreende e, puxa, quando eu pensava que tudo já tinha dado o que tinha que dar e eu estava me habituando com o final, King foi lá e na última página, nas últimas linhas lança uma surpresa que faz o leitor terminar a leitura com um palavrão saindo pela boca. Simples. Estilo Stephen King de terminar o livro.


Então é isso, se você gosta de Romances Policiais não percam mais nenhum segundo dessa vida preciosa, corram para ler Mr. Mercedes, e caso não curta romances policiais, mas goste de Stephen King, vá em frente porque esse escritor dificilmente ira decepcionar. 

"[...] para os jovens, tragédias que não acontecem não passam de sonhos.As lembranças: elas sim são realidade." (p.377)

4 comentários:

  1. Oi Mila! Tudo bom?
    Ah, Stephen King... Sempre um rei, sempre escrevendo histórias chocantes.
    Esse assassino me lembrou um pouco o Nate, de Eu Vejo Kate. Não sei se você conhece, mas vale MUITO a pena! É romance policial nacional, incrível e perturbador.
    Quero ler Mr. Mercedes ainda esse ano porque tudo que é do King tem espaço na minha vida <3
    AMEI as fotos, ficaram incríveis! E sua resenha também!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Denise,

      King é realmente fabuloso. Aproveite quando tiver oportunidade para ler.
      Eu Vejo Kate, tenho vontade de ler, mas ainda não tive oportunidade... vi no seu blog os comentários.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir
  2. OMG Stephen King.... sem comentários...

    e esse detetive aí vai aparecer em outros livros, sabia? Acho que a Suma deve publicá-los aqui no Brasil.

    abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juh,

      Eu vi, isso me deixou beeeem empolgada, confesso. Tô doida para ler.

      xoxo
      Mila F.

      Excluir

Muito obrigada pelo Comentário!!!!